Mirassol apresenta goleiro na retomada do Paulistão

DE VOLTA AO BATENTE

Mirassol apresenta goleiro na retomada do Paulistão

Técnico Ricardo Catalá prevê queda no nível das equipes na volta aos jogos


Goleiro Luiz começou a carreira na base do Leão em 2003
Goleiro Luiz começou a carreira na base do Leão em 2003 - Mirassol FC/Divulgação

No primeiro dia da retomada do trabalho após a paralisação por três meses e meio em razão da Covid-19, Mirassol e Grêmio Novorizontino definiram reforços para a volta ao Paulistão e disputa da Série D do Campeonato Brasileiro. O Leão da Araraquarense anunciou o goleiro Luiz, ex-São Caetano e Criciúma, para suprir a baixa de Matheus Aurélio, que se submeteu a cirurgia no joelho e só voltará a campo em 2021. No Tigre, a boa notícia foi o acerto com o técnico Roberto Fonseca para o restante da temporada.

A volta é gradual e segue os parâmetros estabelecidos no protocolo de saúde desenvolvido pela Federação Paulista de Futebol. Por enquanto, os treinos físicos são escalonados e com número limitado de atletas para evitar aglomeração. Até por isso, durante entrevista coletiva nesta quarta-feira, 1º, o técnico Ricardo Catalá evitou precisar quando sua equipe estará próxima de um ideal. "Acho difícil precisar isso, tanto da nossa parte quanto dos demais clubes, a resposta é individual e específica. Em linhas gerais, o campeonato vai perder qualidade, pouco tempo de preparação, muito tempo de inatividade, muitas equipes desconfiguradas e isso traz prejuízo técnico", disse Catalá.

Seu maior desafio agora será aproveitar o grupo de atletas remanescentes do Paulistão, com os pratas da casa e reforços pontuais, para manter o padrão de rendimento. "É difícil dar precisão de tempo de quando poderemos fazer um trabalho mais aberto, de onze contra onze, não só por questões físicas, mas pela questão de protocolos, nós todos esperamos aval da Federação, através de alinhamento com o Governo do Estado. Não sou de sofrer antes da hora, o mercado é dinâmico e de repente nesse meio tempo vem mais alguns jogadores para encorpar esse trabalho", afirmou o técnico.

Aproveitar os jogadores formados no clube não será problema para o técnico, que tinha o volante Luís Oyama entre seus titulares até a paralisação. "Quando o jogador é bom, independente da idade, ele merece, conquista no campo, a gente só dá confiança e tranquilidade para que ele execute o trabalho dele", disse Catalá.

Nesta quinta-feira, o clube apresentará oficialmente o zagueiro Wellington, que estava no futebol de Portugal, defendendo o Oliveirense. Mesmo com o longo tempo de paralisação, após as avaliações físicas e médicas, o treinador elogiou seus comandados. "Boas condições e até surpreende. Acredito que em duas, três semanas poderemos fazer algo mais intenso. Mas ao mesmo tempo, a ausência de ritmo e sem fazer amistosos, deve fazer diferença na qualidade do espetáculo. Deve cair um pouco, principalmente nas duas primeiras rodadas".

Volta para casa

O goleiro Luiz Silva Filho, de 37 anos, que marcou época com a camisa do São Caetano e estava no Criciúma na última temporada, reforça o Leão da Araraquarense, clube onde iniciou sua trajetória em 2003. "É sempre muito bom o clube estar atento às oportunidades de mercado. Chegou o Wellington, que era do Mirassol retorna empréstimo de Portugal, e o Luiz. Como nós tivemos a lesão Matheus Aurélio, ele é um goleiro experiente, vencedor, com característica que nos agrada, tem boa relação com o jogo com os pés para fazer o trabalho iniciação de jogo. Vem pra ser mais um e disputar posição com o Kewin e com o Hugo. Como sempre fiz, vai jogar quem provar no dia a dia que merece", disse Catalá.

Luiz ficou por 12 anos no São Caetano e nos últimos seis anos defendeu o Criciúma em 244 partidas.

Thiago Carvalho/Novorizontino

O anúncio oficial da permanência do treinador Roberto Fonseca no Novorizontino para Série D do Campeonato Brasileiro será feito até o final da semana. Mas durante entrevista nesta quarta-feira, 1º, o técnico confirmou o acerto para o pós-Paulistão. "Posso dizer que houve um novo acordo e fico até o final da Série D", disse o técnico, que em princípio foi contratado para o Estadual, onde o time de Novo Horizonte ainda faz mais dois jogos, contra Ponte Preta e Santos, com chances matemáticas de avançar às quartas de final.

Uma vaga no mata-mata é possível devido as baixas sofridas pelo seu principal concorrente, o Santo André, que perdeu alguns jogadores de referência, como o goleiro Fernando Henrique, o atacante Ronaldo, o zagueiro Luizão e o meia Dudu Vieira. "Perdemos muitas peças, dez ou 11 jogadores. Temos esses dias de trabalho pra que a gente possa realinhar a parte tática, vínhamos numa sequencia maravilhosa na competição, sem perder, defesa menos vazada e nós teremos reajustes táticos e técnicos. Vamos fazer de tudo para que possamos voltar perto daquilo que a gente estava na primeira parte da competição", disse Fonseca. "Eles perderam bem menos que nós, meia dúzia, mas iremos trabalhar pensando e prospectando essa classificação, acreditamos muito nisso. Temos jogadores vencedores e não podemos pensar diferente."

Foram mais de 100 dias de paralisação e um tempo de revigorar forças. "Foi uma coisa inédita, não vamos mentir que a primeira e a segunda semana não é tão difícil. Vinha de um trabalho desgastante, viagens, jogos, concentração. De repente até fez bem pra gente. Mas a partir disso foi difícil, procurei assistir jogos, fazer atividades físicas, mas também acompanhando jogos que fizemos, olhando o que tava fazendo de bom e aquilo que precisava melhorar, disse Fonseca.

Quanto a Série D, que começaria no duelo contra o Joinville, em Santa Catarina, e terá 24 datas até o seu final, o técnico não teme que ela avance até 2021. "Como é por chaves vai usar menos datas. As Séries A e B são 38. Na Série D teremos pouco mais de 20, por isso dá para terminar em dezembro", disse Fonseca. (OJ)