Capitão do Mirassol revê seus conceitos depois de pandemia

RETOMADA DO PAULISTÃO

Capitão do Mirassol revê seus conceitos depois de pandemia

Tudo isso traz uma lição para que a gente possa aproveitar melhor aquilo que está ao nosso alcance, ser melhores seres humanos, amar o próximo


Zagueiro Reniê mostra seu frasco de álcool gel utilizado nas dependências do CT
Zagueiro Reniê mostra seu frasco de álcool gel utilizado nas dependências do CT - Mirassol FC

Os clubes de futebol da elite paulista voltam oficialmente aos treinos na próxima quarta-feira, 1º de julho, mas o Mirassol já confinou seus atletas em seu Centro de Treinamento, para realizar exames médicos e testes físicos. Com a rotina de treinos e jogos quebradas há três meses, Reniê, zagueiro e capitão do Leão, comentou sobre as transformações de vida causadas pela chegada do coronavírus.

"Isso mostra o quanto a gente, como ser humano, é limitado né. A gente faz planos, projeções isso veio pra falar que a gente não tem o controle de certas coias e é necessário entender isso. Tudo isso traz uma lição para que a gente possa aproveitar melhor aquilo que está ao nosso alcance, ser melhores seres humanos, amar o próximo", disse Reniê, em coletiva por videoconferência na tarde de quinta-feira, 25.

Assim como todo o elenco, os jogadores foram dispensados para ficar em casa e obedeceram uma rotina online para manter a forma. "Ha coisas que gente não controla e isso foi uma baita lição, faz três meses que estamos distantes do campeonato, um time que estava numa crescente muito boa e tudo isso passou. É uma lição pra gente, não temos controle e é necessário fazer uma revisão na nossa vida e entender que somos falíveis", disse o capitão.

A retomada de treinos será o primeiro passo para conclusão do Paulistão, mas num cenário bem diferente. As equipes do Interior estarão bem reformuladas por conta das saídas por término de contrato. No Mirassol, por exemplo, nomes como Hernandes, Chico e Camilo deixaram a equipe. Na contramão, os grandes do estado mantiveram seus elencos e alguns até buscam reforços.

"Os clubes do interior foram muito afetados, tinha uma equipe e vai terminar outra. Acho que nosso trunfo e confiança é saber que manteve a ideia de jogo, conceito e quem entrar pode se adaptar a isso e dar seu melhor. A gente espera que com isso dar sequência ao campeonato bonito que a gente fazia, com bons jogos e jogo vistoso. E com isso dar passos, primeiro dar passo se falando em classificação e depois se possível enfrentar uma grande equipe que é São Paulo", disse Reniê.

Com 16 pontos no Grupo C, o Mirassol ainda enfrentará Água Santa e Ponte Preta. O São Paulo lidera a chave com 18 pontos e já está garantido nas quartas de final. Inter de Limeira com 11 pontos e Ituano com dez ainda possuem chances matemáticas. "Tem muita coisa ainda, a gente vai aos poucos pensando nessa readaptação e espera que lá frente possa se concretizar isso, entrando outras pessoas, da equipe manter o padrão jogo e ideia", finalizou Reniê.

Doação

O Mirassol aderiu ao leilão beneficente da Federação Paulista de Futebol (FPF) que pretende auxiliar profissionais do futebol paulista, árbitros e jogadores, e moradores de comunidades do estado afetados pela pandemia da Covid-19. O Leão doou para campanha um kit com um quadro com a camisa oficial do Leão, medalha de vice-campeão e a bola do jogo da final do Troféu do Interior de 2018, contra a Ponte Preta. Nesta semana, Diego Lugano e Amoroso, campeões da Libertadores e do Mundial de Clubes de 2005 pelo São Paulo, aderiram à ação.

A iniciativa é uma 'corrente do bem', em que os participantes convocam os outros a doarem uma relíquia de seu acervo pessoal, que irá a leilão por meio do site leilaofpf.com.br.