AOS 44 DO SEGUNDO TEMPO

Mirassol e Novorizontino têm boa notícia com recebimento de R$ 120 mil

No sufoco financeiro em razão da paralisação dos torneios, Mirassol e Novorizontino tiveram cotas pagas pela televisão repassadas pela FPF


-

Como um alento aos cofres dos clubes durante a temporada, Mirassol e Novorizontino receberam o apoio financeiro de R$ 120 mil da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), já que disputam o Campeonato Brasileiro da Série D nesta temporada. Além disso, já caiu nos cofres dos clubes os valores das cotas pagas pela televisão e repassados pela Federação Paulista de Futebol.

O Leão recebeu da Federação R$ 250 mil de cotas televisivas referentes a última parcela, somados aos R$ 120 mil da CBF. "Sempre muito importante qualquer auxílio financeiro que o clube receba. Entrou no caixa geral e será usado conforme a necessidade. Está sendo reservado para usarmos na Série D", disse o presidente Edson Ermenegildo.

Com a ausência de jogos por conta da pandemia e sem a bola rolas há 60 dias, funcionários do Leão foram liberados pela direção. O dirigente não soube dizer a quantidade exata. "Foram liberados, mas com a promessa de que assim que a situação normalizar serão recontratados", disse Edson. "A manutenção do clube varia, não estão acontecendo competições da base nem do profissional, mas em torno de R$ 150 mil. Com competição, como o Paulista, por exemplo, R$ 1 milhão no mínimo", acrescentou.

O Leão não pensa no momento em realizar ações para o torcedor, como o Novorizontino fez, ao vender totens com imagens dos torcedores quando os jogos retornarem com os portões fechados. "Não tem outra solução. Esperamos ansiosos e esperançosos para retornar aos campeonatos, tanto o Paulistão quanto a Série D. Estamos focados no retorno do futebol. Sem futebol até para fazer gestão (é difícil). Vamos pedir doação? Não é perfil do Mirassol pedir doação a quem quer seja", comentou o cartola.

Já o Novorizontino usou os valores pagos pela CBF para acertar com os funcionários. "Do valor da Série D, que já foi depositado, o clube fez uso para o pagamento dos funcionários e para manutenção de sua estrutura", afirmou o presidente Genilson da Rocha Santos. "O custo do clube está 50% menor do que o normal, já que houve acordo entre todos os funcionários e atletas e teve uma redução de salários proporcional a todos que fazem parte do clube", acrescentou.

As categorias de base também foram desativadas temporariamente. O Tigre disputa os estaduais das categorias sub-15, sub-17 e sub-20. "O clube está conseguindo se manter, mas esperamos que passe logo, porque todos têm a necessidade de seguir seus afazeres. Como clube, procuramos ter muita consciência quanto à saúde financeira e vamos seguir firme para que, na volta, façamos o que sempre fizemos com excelência, trabalho profissional, bem organizado e referência", declarou o dirigente.

Além dos R$ 240 mil destinados aos clubes da região, foram mais de R$ 19 milhões destinados pela CBF às equipes das Séries C e D nacional, além dos times das Séries A-1 e A-2 do Brasileiro Feminino. "Vivemos um momento inédito, de crise mundial, cuja extensão e consequências ainda não podem ser calculadas. É necessário, portanto, agir com critério e responsabilidade. O nosso objetivo, com essas novas medidas, é fornecer um auxílio direto imediato. Mas, além disso, temos que seguir trabalhando para assegurar a retomada do futebol brasileiro no menor prazo possível, quando as atividades puderem ser normalizadas", disse o presidente da CBF, Rogério Caboclo, ao site da entidade.

Em campo

No Paulistão, a duas rodadas do fim da primeira fase, os mirassolenses estão na segunda posição do Grupo C com 16 pontos e lutando por classificação às quartas de final. O Tigre também tem chances de avançar, ocupando o terceiro lugar no Grupo B, com 16 pontos, três atrás de Santo André e Palmeiras. O estadual foi paralisado há dois meses, em 16 de março, após a 13ª rodada, e não há previsão de retorno.

Na Série D do Brasileiro, que começaria no próximo fim de semana e ainda não tem definição sobre o início, o Leão está no Grupo 7, ao lado de Portuguesa-RJ, Bangu-RJ, Cabofriense-RJ, Toledo-PR, Cascavel-PR, Nacional-PR e Ferroviária de Araraquara. A estreia seria contra o Bangu, no Maião, mas foi adiado por conta da pandemia.

O Novorizontino está no Grupo A-8, juntamente a Caxias-RS, Joinville-SC, Marcílio Dias-SC, Pelotas-RS, São Caetano, São Luiz-RS e Tubarão-SC. O debute seria contra o Joinville, em Santa Catarina.

Nesta temporada, o Brasileirão da Série D seria disputados entre maio e novembro, com três meses a mais do que na temporada passada. Inicialmente, o regulamento prevê que as equipes jogarão em turno e returno entre si, avançando à próxima fase os quatro melhores de cada grupo.