Estocar deixa de ser opção para consumidor rio-pretense

ECONOMIZE

Estocar deixa de ser opção para consumidor rio-pretense

Confira os preços de 120 produtos cotados em 13 supermercados


Carlota Rodrigues de Faria observa os itens mais em conta antes de comprar
Carlota Rodrigues de Faria observa os itens mais em conta antes de comprar - Leonardo Lino 24/6/2020

Alguns consumidores estão optando por não comprar em grande quantidade e a preferência por fazer estoque já não é mais a escolha de muitos. Além disso, a ida ao supermercado e as pesquisas em vários locais também foram reduzidas, por conta da pandemia de coronavírus. Este é o caso da advogada Carlota Rodrigues de Faria, que reduziu a quantidade de dias em que vai ao supermercado e não faz mais estoque.

A advogada afirmou que não faz mais pesquisas e escolheu outras opções para economizar nas suas compras. "Sempre faço uma lista, quando algum produto está prestes a acabar eu já anoto para comprar na próxima ida ao supermercado. Fazendo isso eu evito fazer estoque e compro somente o que necessito. Costumava ir mais de uma vez, mas depois dessa pandemia eu reduzi e agora vou somente uma".

Carlota diz que agora ela busca os produtos mais em conta, mas sempre avaliando a qualidade e observando a validade. Além disso, a consumidora está sempre de olho no dia de feirinha - que é quando os produtos de hortifrúti estão em promoção - para comprar verduras e legumes com o preço mais em conta e produtos frescos.

A faxineira Sueli Severiano também não faz mais estoque e vai ao supermercado apenas uma vez por semana. "Gosto de comprar somente o que estou precisando. Para conseguir economizar, cadastrei meu WhatsApp nos supermercados, assim recebo as promoções. Vejo onde está mais em conta e quando vou comprar já sei qual o produto está mais barato".

Pesquisa

Na pesquisa desta sexta-feira, 26, o Diário cotou o preço de 120 produtos em 13 supermercados de Rio Preto. A variação total chegou a R$ 337,80. O corte de carne coxão mole chama a atenção pela diferença. O quilo varia de R$ 22,49 a R$ 42,99, uma variação de R$ 20,50.

Clique aquipara ver tabela de preços de cesta básica
Clique aquipara ver tabela de preços de produtos de supermercados e atacarejos

A atual crise financeira poderá levar trabalhadores a se endividar. Para os que ficaram no vermelho e agora procuram formas de sair, o ideal é procurar onde começou a dívida. Após encontrar, comece a fazer um planejamento, anote seus ganhos e seus gastos.

A consultora financeira Juliana Batista afirma que após seguir esse primeiro passo o trabalhador deve ver quais são os gastos supérfluos e, se possível, cortar alguns deles. O planejamento é essencial para entender se os ganhos suportam os gastos. "É clichê a frase 'devemos gastar menos do que ganhamos', isso todos sabem. Porém, nem todos elaboram um fechamento das contas no final do mês para saber se realmente estão dentro do planejado".

A especialista afirma que deve o trabalhador tomar cuidado para não entrar em empréstimos de curto prazo para pagar dívidas, como o cheque especial, por exemplo, que possui juros altos. "Tente negociar as dívidas, caso não dê para pagar todas de uma vez. Os ajustes para ficar no azul começam com o planejamento, respeitando a primeira regra de não gastar mais do que se ganha".

Juliana finaliza dando uma dica para que o trabalhador não volte a entrar em dívidas.
"Tente praticar a regra dos três sim ou não.
Antes de comprar qualquer produto pergunte a si mesmo se realmente precisa, depois se realmente quer aquele produto e por fim se você pode pagar. Se a resposta for não para qualquer uma das perguntas não compre".