SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 19 DE MAIO DE 2022
ECONOMIA

Impulsionados pela pandemia, apps de entrega ganham força em Rio Preto

Serviços de delivery de praticamente todo tipo de coisa crescem não só no País, mas também em Rio Preto

Simone Machado
Publicado em 06/07/2021 às 21:34Atualizado em 20/07/2021 às 18:51
Gabriel e Ciro criaram aplicativo de entrega de bebidas e viram crescimento expressivo (Fotos: Divulgação)

Gabriel e Ciro criaram aplicativo de entrega de bebidas e viram crescimento expressivo (Fotos: Divulgação)

Desde que a pandemia de Covid-19 surgiu e colocou o mundo todo em alerta, diversas medidas de restrições foram impostas à população afim de combater o avanço da propagação do vírus. Com lojas, bares, restaurantes e até mesmo supermercados fechados, a necessidade de se comprar online e receber os produtos mais básicos em casa foi como nunca antes vista. E, justamente neste cenário que os aplicativos de entrega ganharam força, confiança e a preferência do consumidor, se tornando uma solução eficiente.

Estudo feito pelo Sebrae em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) apontou que mais da metade (54%) dos empresários brasileiros já usavam o serviço delivery antes da pandemia.

No entanto, as medidas de restrições fizeram esse número crescer para 66% nos últimos 15 meses. O levantamento apontou também que a adesão aos aplicativos de entrega teve um salto, passando de 25% para 72%, ou seja, cresceu 47% no mesmo período.

Foi pensando em solucionar problemas bem simples como ter de sair para comprar bebida no meio de um churrasco ou ter que ir a um supermercado apenas para buscar um refrigerante, que os empresários rio-pretenses Gabriel Medeiros Santos, 28 anos, e Ciro Thiago Neto, de 26, criaram o aplicativo de entrega Bebidas Online, em 2019.

"O app foi criado com o objetivo de atender prontamente o cliente com bebida gelada, gelo, carvão, vinhos, destilados, salgadinhos, chips, chiclete, carnes e outros artigos de conveniência e fazer essa entrega o mais rápido possível", explica Gabriel.

O que os amigos não faziam ideia é que a pandemia chegaria no ano seguinte e o negócio, que tinha a meta de crescer gradativamente, iria decolar e crescer 300% em 2020.

Com a mudança de cenário, a demanda pelo app explodiu e os empresários enxergaram a oportunidade de expandir o negócio por meio de franquias. A empresa que nasceu em Rio Preto, hoje está presente em 90 cidades brasileiras e projeta faturamento de R$ 50 milhões neste ano.

"Somente em Rio Preto temos 30 estabelecimentos cadastrados e mais de 20 mil usuários na nossa plataforma. A nossa estimativa de faturamento local é de R$ 300 mil, em média", acrescenta Ciro.

Mas se engana quem pensa que os aplicativos de entrega ficam limitados a levarem comidas e bebidas. Atualmente diversos serviços como compras em supermercados, farmácia, pet shop, papelarias e diversos outros segmentos podem ser feitas em um clique através de aplicativos.

Como é o caso do app Ceofood, que oferece dezenas de serviços. "Começamos como delivery gastronômico e vimos a necessidade do mercado e começamos a expandir os nossos serviços e passamos a atuar em diversos segmentos como pet shop, presentes, acessórios, boutique de roupas, lojas de sapatos, chinelos, farmácias, mercearias, hortifrútis, enfim é um delivery de tudo", explica Kawel Lotti, CEO da Ceofood.

E o negócio deu tão certo que a empresa que nasceu em Rio Preto em 2018, virou franquia, expandiu e atualmente está presente em 21 estados e mais de 300 cidades no Brasil, com previsão de expansão para países da Europa, como Portugal e Espanha. "Hoje já superamos a marca de 500 mil usuários".

E de olho nesse mercado crescente e lucrativo novos empresários passaram a investir em aplicativos de entrega.

Nascido há pouco mais de um mês, o UaiFast, além de oferecer a entrega de alimentos, também oferece outros produtos, pouco vistos em apps de entregas, como materiais elétricos.

"Além das entregas também oferecemos o serviço de agendamento em salão de beleza e barbearia, por exemplo. A ideia de oferecer esses serviços, pouco vistos em apps de entrega, surgiu justamente pela dificuldade de encontrar tudo em um só lugar e na palma da mão", explica Leonan Ananias da Silva, CEO do UaiFast. Em pouco mais de 30 dias de lançamento a plataforma já conta com 117 usuários cadastrados.

Facilidade é atrativo

A pandemia mudou o comportamento do consumidor, que devido às medidas de restrições, passou a consumir mais em plataformas onlines, utilizando os aplicativos de entregas de alimentos e de serviços.

Estudo feito pela startup de gestão de finanças pessoais Mobills revelou que os gastos com os principais aplicativos de entregas de comida - Rappi, iFood e Uber Eats - cresceram 149% em 2020. Para a pesquisa, cerca de 47 mil usuários foram ouvidos durante 12 meses.

Ainda segundo o levantamento, o valor médio das transações por meio de apps de comidas, bebidas e serviços, também aumentou, passando de R$ 50,51 para R$ 103,96, um aumento de mais de 100%.

Em dezembro, impulsionado pelo 13º salário, o gasto com apps de delivery de comidas alcançou o maior faturamento, com aumento de 187%.

Pensando na praticidade, a advogada Gabriela Oliva é cliente assídua de compras em aplicativos de entrega e viu a frequência do consumo aumentar durante a pandemia. Atraída pelos cupons de descontos oferecidos por diversos estabelecimentos ela relata que tem diversos apps em seu celular e tudo ao alcance na palma da mão.

"Posso acompanhar meu pedido, sei o horário que vai chegar, não preciso fazer o pagamento em dinheiro, uma vez que ao cadastrar o cartão o pagamento já é automático, deixando a compra muito mais simples". (SM)

Kawel Lotti: negócio virou franquia e está em 300 cidades do País

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por