SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 25 DE JULHO DE 2021
PREPARATIVOS

Lojistas de Rio Preto definem estratégias para Black Friday deste ano

Evento de descontos será oficialmente realizado dia 27 de novembro

Felipe NunesPublicado em 19/10/2020 às 22:17Atualizado há 06/06/2021 às 18:43
[object Object]

Evento de descontos será oficialmente realizado dia 27 de novembro (Guilherme Baffi 19/10/2020)

A pouco mais de um mês para a Black Friday, lojistas rio-pretenses já se preparam para uma das datas de descontos mais aguardadas do ano e que em 2020 promete ser bastante diferente por conta da pandemia. Entre os motivos estão a mudança de comportamento da população e dos hábitos de compras, ambos afetados pelo distanciamento social e pela crise financeira.

Neste ano, a Black Friday será oficialmente realizada no dia 27 de novembro, mas muitos lojistas aproveitam a data para oferecer condições especiais por maior período. Mais do que uma queima de estoque de produtos, a data é uma grande oportunidade para vender mais, divulgar a marca e os produtos e fidelizar novos clientes. Mas é preciso esquecer os anos anteriores e encarar 2020 de outra maneira, afirma Simone Haduo, consultora de negócios do Sebrae de Rio Preto. "Temos uma diferença nessa retomada. Agora, as vendas não são pelo o que o mercado está querendo oferecer, mas sim pelo o cliente está tendo a necessidade de comprar".

Segundo a pesquisa Ipsos Covid Pulse Survey, 58% dos clientes que compram produtos online disseram estar comprando menos por conta da situação econômica. Justamente por isso, os empresários não devem usar os números do ano passado como indicadores de vendas para este ano. Por conta das mudanças, a especialista defende que é preciso pensar em diferentes estratégias para conseguir atrair o consumidor, tanto para a loja física, quanto para a virtual e investir em produtos de qualidade.

"Uma das dicas é apostar em uma pré-campanha nas redes sociais. O consumidor vai ficar atento e começar a pesquisar os itens da loja. Dessa forma, é possível entender o que o mercado quer e qual é a motivação do cliente. Se é por necessidade, indulgência ou entretenimento", comenta.

Os próximos passo são analisar o preço dos concorrentes, reforçar a equipe, o estoque e pensar na logística. "É preciso criar a jornada completa da experiência de consumo, se colocando no papel de consumidor", afirma Simone.

A Black Friday será o primeiro passo para a retomada do varejo, acredita o Fernando Gibotti, CEO da GS Ciência do Consumo. Ele destaca que uma das vantagens do pequeno varejista é o fato de poder estar próximo dos clientes e de entender suas necessidades. "O que gera venda é relacionamento. Essa proximidade é importante, assim o varejista pode usar essas informações para entender o que o consumidor precisa e fazer uma campanha direcionada".

Gibotti destaca que outra estratégia importante é de estar presente em plataformas coletivas (marketplace) e realizar campanhas focadas em mídias locais, além de usar redes sociais que impactem o público alvo. "Mesmo os estabelecimentos que não atuam com e-commerce precisam encontrar meios de divulgar suas campanhas e estarem próximos dos clientes. Os lojistas devem aproveitar esses ferramentas para levar o cliente para dentro da loja física e fazer um marketing um a um", pontua.

Vendas

Em 2019, as vendas no e-commerce foram de R$ 3,2 bilhões (quinta e sexta-feira), segundo dados da Ebit|Nielsen, referência na mensuração de dados de comércio online no Brasil. O número é 23,6% maior ao registrado no mesmo período do evento em 2018, quando as vendas totalizaram R$ 2,6 bilhões. A expectativa para este ano é de um aumento de 20%. Ou seja, os brasileiros devem comprar mais produtos de forma online.

É nisso que está apostando a empresária Luciana Bortoluzi, proprietária da loja Brechó Bambolê, que vai vender de forma online durante a Black Friday pelo primeiro ano. A loja criou um e-commerce durante a pandemia para não ter o faturamento zerado por por conta das regras de isolamento social. Com essa nova ferramenta, a empresária está pensando em estratégias para atingir os consumidores. "Cada ano a gente muda a estratégia. Às vezes trabalhamos com desconto geral, algum produto específico ou promoção compre duas peças e leva a terceira. Nessa semana devo definir a companha e iniciar os preparativos de divulgação", diz.

A expectativa é de um crescimento de 20% no faturamento com as ações da Black Friday, entre as vendas na loja e no site. "Vamos usar uma plataforma diferente para conseguir suportar um maior número de acessos e proporcionar uma boa experiência para os clientes", diz.

Black Friday
lojistas
rio preto
 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por