Franquias têm crescimento no semestre em Rio Preto

EXPANSÃO

Franquias têm crescimento no semestre em Rio Preto

Setor promove evento online com série de discussões entre o ecossistema


Setor promove evento online com série de discussões entre o ecossistema
Setor promove evento online com série de discussões entre o ecossistema - Freepik/Banco de imagens

Apesar dos inúmeros desafios enfrentados também pelo setor durante o pico da pandemia de coronavírus, o franchising conseguiu manter sua curva ascendente em Rio Preto. No primeiro semestre deste ano houve um aumento em 8% no número de redes instaladas na cidade, passando de 354 para 381. "Rio Preto é uma das principais cidades do Brasil quando o assunto é franchising. Temos muitos franqueados originários daí e várias redes que se sentem atraídas porque há shopping centers e comércios consolidados", afirmou o presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), André Friedheim.

O movimento de crescimento se mantém nos últimos anos, mesmo com as crises, inclusive na instalação de redes. Atualmente, a cidade tem 1.443 operações de marcas de franquias, contra 1.293 do primeiro semestre do ano passado, o que representa um aumento de 12% no período. "As franquias ganharam espaço e despertaram interesse em micro e pequenos empreendedores, oferecendo um risco menor ao investidor, o que faz sentido num momento de crise e de pouca previsibilidade. Creio que exista correlação com o desemprego gerado, fazendo com que antigos colaboradores dispensados procurem no negócio próprio uma saída", afirma o economista Bruno Sbrogio.

Entre os setores que se destacam na economia de Rio Preto dentro do franchising, a alimentação mantém sua predominância, com 25,4% de participação e 367 redes. Entretanto, o crescimento no período foi de apenas 0,5%, com duas novas redes. Serviços e outros negócios tiveram a maior alta, de 74%, passando de 131 para 228 unidades. A participação no setor é de 15,8%. O segmento de saúde, beleza e bem-estar também registrou alta considerável, de 17%, passando de 182 para 213. A participação no conjunto no franchising local é de 17%.

"São setores que vem crescendo com constância nos últimos anos e refletem a própria mudança da nossa sociedade, cada vez buscando mais treinamento, comodidades, promoção da imagem e praticidade. Na pandemia, devido à natureza de proximidade que muitos serviços requerem, também foram bastante abalados, e a volta rápida para patamares anteriores ao da crise mostra que a economia manteve uma estabilidade do consumo, mas não apenas isso, mostrou uma reinvenção do próprio setor, propôs novas formas de trabalhar, usando inovação tecnológica, novos canais de comunicação com o consumidor, treinamentos online, sistema delivery e atendimento personalizado", comentou Sbrogio.

Futuro

Justamente o futuro do setor pós-pandemia, que investiu muito nos aspectos tecnológicos, é o tema da ABF Franchising Week, evento totalmente digital e gratuito para associados à entidade que segue até a próxima sexta-feira, 9. "Tivemos perdas e ganhos na pandemia, só que mais ganhos. Foram duas mil operações fechadas, o que representa apenas 1,5% do total e hoje já temos franqueadoras em processo acelerado de vendas de unidades, o que já sinaliza a recuperação", afirmou Friedheim.

A ABF Franchising Week terá transmissão ao vivo, em duas faixas de horário, pela manhã e no fim da tarde. A programação conta com o Congresso de Transformação Digital e o Congresso de Franqueados, além das palestras do chairman da IFA 2019-2020 (International Franchise Association), David Barr, do ex-ministro e presidente do STF, Carlos Ayres Britto, e de Silvio Meira, cientista-chefe da Digital Strategy Company.

Vamos conversar com todo o ecossistema,franqueados, franqueadores, colaboradores. Vamos falar muito sobre transformação digital, aspectos jurídicos do franchising, além de tendências do varejo e comportamento humano", afirmou.

As inscrições podem ser feitas por evento. Acesse www.abffranchisingweek.com.br.