Cidades do Noroeste são alvo de operação

GOVERNO DO PARÁ TAMBÉM

Cidades do Noroeste são alvo de operação


A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça, 29, a Operação S.O.S para desarticular suposta organização criminosa dedicada a desvios de recursos da Saúde destinados a contratação de organizações sociais para gestão de hospitais públicos do Pará. A ofensiva fez buscas no gabinete do governador Helder Barbalho (MDB) e prendeu o ex-chefe da Casa Civil e atual secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico Parsifal de Jesus Pontes, o Secretário de Transportes Antonio de Padua e o assessor de gabinete do governador Leonardo Maia Nascimento.

Uma outra operação, batizada Raio X e diretamente ligada à SOS, cumpriu ainda buscas em salas da Câmara dos Vereadores de São Paulo e da Secretaria de Saúde do Estado. Ao todo, a Operação SOS cumpriu 12 mandados de prisão temporária e 41 mandados de busca e apreensão expedidos pelo ministro Francisco Falcão, do Superior Tribunal de Justiça. Segundo a PF, entre os investigados da SOS estão ainda empresários, o suposto operador financeiro do grupo e integrantes da cúpula do governo do Pará.

As ações foram focadas em Belém, Capanema, Salinópolis, Peixe-Boi, Benevides (PA), Goiânia (GO), além de Birigui e Penápolis, no Noroeste Paulista, cujos alvos foram as Santas Casas.

De acordo com a PF, a investigação da SOS alcança o período de agosto de 2019 a maio de 2020, mirando 12 contratos celebrados entre o Governo do Estado do Pará e Organizações Sociais ligadas ao grupo investigado, totalizando o valor de R$ 1.284.234.651,90.