Cade aprova negócio entre Austa e rede Hospital CareCade aprova negócio entre Austa e rede Hospital Care

ACORDO

Cade aprova negócio entre Austa e rede Hospital Care

Projeção é de investimento de pelo menos R$ 40 milhões em até 24 meses


Covid Center será montado para separar pacientes com síndromes gripais agudas graves dos outros doentes
Covid Center será montado para separar pacientes com síndromes gripais agudas graves dos outros doentes - Guilherme Baffi 30/6/2020

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou o negócio firmado em março deste ano entre o grupo Austa, de Rio Preto, e a holding de serviços de saúde Hospital Care. Com a "concretização" do acordo comercial, os investimentos podem sair do papel. O primeiro deles é a construção do Covid Center, uma espécie de hospital de campanha que será montado no prédio onde funcionava o Fashion Center, atacado de moda ao lado do hospital Austa, em Rio Preto.

Com investimentos da ordem de R$ 12 milhões, a previsão é de que a obra fique pronta entre 45 e 50 dias. Serão 35 leitos, dos quais dez destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI), cinco para isolamento e 20 para enfermaria. "A pandemia vai persistir por algum tempo até que surja a vacina, mesmo que o pico diminua teremos que continuar tratando", afirmou o médico Mario Jabur Filho, diretor presidente do Grupo Austa.

Atualmente, o Austa tem 34 leitos, dos quais 16 destinados à Covid-19. São dez pacientes internados em UTIs com a doença ou com suspeita.

Segundo Rogério Melzi, diretor presidente da Hospital Care, o objetivo é ter uma área específica para o tratamento de síndromes respiratórias agudas graves, o que inclui a Covid. "Dessa forma, o hospital fica mais livre para o tratamento de outras doenças. Há um receio das pessoas de irem aos hospitais e isso pode fazer com que as doenças progridam", afirmou Rogério Melzi, diretor presidente da Hospital Care.

Segundo Melzi, que é rio-pretense e está bastante animado com a possibilidade de atuar em sua terra natal, o grupo ainda aguarda a aprovação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), agência reguladora de planos de saúde, vinculada ao Ministério da Saúde, mas a partir de agora o trabalho começa mais fortemente para melhorar a estrutura oferecida pelo Austa. "A tendência é querer aumentar nossa presença regional e os empregos têm relação com a capacidade de gerar crescimento, oportunidades e empregos", afirmou.

Os planos previstos na parceria em que a rede Care comprou 60% do grupo Austa - o valor não foi informado por haver uma cláusula de confidencialidade - incluem melhorias internas de infraestrutura, com reforma na hotelaria, implantação de novas tecnologias e inserção do modelo de negócios da Hospital Care, além da aquisição de novos equipamentos médicos.

Segundo Melzi, no período de 18 a 24 meses, o grupo não vai investir menos do que R$ 40 milhões em todas as melhorias previstas, com foco no parque tecnológico do hospital e infraestrutura.

Os gestores afirmaram quando o negócio foi anunciado oficialmente, em março deste ano, que não há demissões previstas, ao contrário, que a meta é fazer contratações. Hoje, o quadro tem 800 funcionários.

O Grupo reúne o Austa hospital, a operadora de saúde AUSTAclínicas e o Austa ocupacional, que oferece o serviço de medicina do trabalho.

A rede Hospital Care tem hospitais e clínicas nas regiões de Campinas, Ribeirão Preto, Florianópolis e Curitiba. Criada em 2017, pertence à gestora Crescera e aos fundos Santa Maria e Abaporu.