Pandemia deixa 9,7 milhões sem renda

EM MAIO

Pandemia deixa 9,7 milhões sem renda


O distanciamento social provocado pela pandemia de Covid-19 deixou 9,7 milhões de trabalhadores sem remuneração em maio, segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Covid (Pnad Covid), divulgados nesta quarta, 24, pelo IBGE. O número corresponde a mais da metade (51,3%) das 19 milhões de pessoas que estavam afastadas de seus emprego e a 11,7% da população ocupada, que totalizava 84,4 milhões no mês.

Conforme a pesquisa, 15,7 milhões de pessoas estavam afastadas do trabalho devido às medidas de distanciamento social para evitar o aumento da contaminação pelo coronavírus. O grupo etário com maior proporção de pessoas afastadas do trabalho foi o de 60 anos ou mais: 27,3%.

Os trabalhadores domésticos sem carteira foram os mais afetados, sendo o maior porcentual dos afastadas devido à pandemia (33,6%), seguidos pelos empregados do setor público sem carteira (29,8%) e pelos empregados do setor privado sem carteira (22,9%). Entre os domésticos com carteira, o porcentual foi de 16,6%.

Em maio, havia 75,4 milhões de pessoas fora da força de trabalho (não estavam trabalhando nem procuravam por trabalho), dos quais 34,9% não procuraram trabalho, mas gostariam de trabalhar, e 24,5% não procuraram principalmente devido à pandemia ou porque faltava trabalho na localidade em que residiam, mas também gostariam de trabalhar.