AES Corp negocia fatia de 28% da AES Tietê

NEGÓCIO BILIONÁRIO

AES Corp negocia fatia de 28% da AES Tietê

Empresa opera três hidrelétricas e um complexo de energia solar voltaica na região


Localizada no rio Tietê, em Promissão, a Usina Hidrelétrica "Mário Lopes Leão"
tem potência instalada de 264 mil kW
Localizada no rio Tietê, em Promissão, a Usina Hidrelétrica "Mário Lopes Leão" tem potência instalada de 264 mil kW - Reprodução

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está em negociação para a venda de sua participação de cerca de 28% do capital total na AES Tietê, que opera três usinas hidrelétricas e uma de energia solar voltaica na região. A fatia está sendo negociada, neste momento, com a AES Corp, que possui 24,35% do capital total. Com a conclusão da operação, a AES conseguirá bloquear Eneva, que neste ano já lançou uma oferta para aquisição das ações da AES Tietê, em um recente imbróglio societário que precisou, até mesmo, de posicionamento da B3. A fatia do BNDES na geradora de energia vale um pouco mais de R$ 1,5 bilhão na B3.

Para esse negócio, o BNDES contratou o BR Partners, conforme fonte. Antes de avançar as tratativas com a AES Corp, o BNDES chegou a conversar com a Eneva, que tinha interesse na participação. No entanto, a AES Corp tem direito de preferência, mas o interesse da Eneva tornou o processo competitivo. Do lado da AES Corp., os assessores financeiros são o Credit Suisse e Goldman Sachs.

A Eneva já estava preparando uma nova oferta pela AES Tietê, conforme apurou o Broadcast. Isso passou a ser feito após a B3 se posicionar ao mercado dizendo que para as empresas listadas no Nível 2, como a AES Tietê, os acionistas preferencialistas têm direito a voto em caso de uma incorporação. Ou seja: com uma oferta da Eneva a AES Corp teria que aceitar os votos dos preferencialistas e por ter apenas 24,35% do capital total, a empresa norte-americana não teria controle sobre o resultado da operação. Na época da primeira oferta da Eneva, o BNDES já tinha indicado que venderia sua fatia, tendo ainda como pano de fundo a intenção do banco de fomento de reduzir sua carteira de renda variável.

Agora, com a nova operação junto ao BNDES, a AES Corp, ganha a chance de ter mais de 50% do capital total e deixar de ficar exposta a uma oferta hostil.

No momento, o BNDES tem buscado entender o apetite de mercado para suas fatias de empresas listadas em bolsa, mas até aqui essa é a única para a qual já tem um assessor financeiro.

Procurado, BNDES não comentou até o momento.

Atuação na região

A AES Tietê, cujo Centro de Operações da Geração da Energia fica localizado em Bauru, opera na região as usinas hidrelétricasde Água Vermelha, de Promissão e de Nova Avandava, além do "Complexo Solar" de Ouroeste, uma usina de geraçãod e energia voltaica com 157.8 MW de potência total instalada.