SEM CITAR NÚMEROS

Caixa sinaliza reduzir juros do cheque especial


Em evento de hasteamento da Bandeira Nacional nesta terça-feira, 12, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, sinalizou "reduções de juros", incluindo no cheque especial. "A gente tem boas notícias em relação a reduções de taxa de juros, que a gente vai anunciar muito em breve", respondeu quando questionado pelo presidente Jair Bolsonaro sobre "boas notícias". Em seguida, quando perguntado pelo presidente sobre o juros do cheque especial, Guimarães sinalizou uma nova redução.

"Quanto era o cheque especial no comecinho de 2019?", perguntou Bolsonaro. O presidente da Caixa respondeu que no período os juros estavam em 14% ao mês e atualmente estão em 2,9% ao mês.

De acordo com dados do Banco Central, na semana entre 17 e 24 de abril, a taxa cobrada pela Caixa foi de 4,55% ao mês, o que inclui os juros efetivamente cobrados mais os encargos fiscais e operacionais do banco estatal.

"Era 14% e está em 2,9% o cheque especial. E vai baixar mais ainda?", indagou Bolsonaro. Com a resposta afirmativa de Guimarães, Bolsonaro brincou: "Por isso que eu sou o mais novo cliente da Caixa. Vem para a Caixa você também".

Guimarães, contudo, evitou citar números. "Você (Pedro Guimarães) não vai falar quanto que é, mas vai baixar mais ainda", afirmou Bolsonaro.

Auxílio

Já o vice-presidente de varejo da Caixa Econômica Federal (CEF), Paulo Henrique Angelo, disse que o banco aguarda o governo federal divulgar o novo calendário do Auxílio Emergencial para detalhar como será feito o pagamento das próximas parcelas.

A expectativa do banco era receber a resposta sobre 17 milhões de brasileiros que já fizeram o cadastro para receber a primeira parcela mas que ainda estão em análise ainda nesta terça, mas até o fechamento desta edição isto ainda não havia ocorrido.