ENGATANDO A MARCHA EM MEIO À CRISE

Fiat e Mercedes-Benz retomam produção

Mais montadoras religarão máquinas este mês: Volkswagen, Nissan e a Hyundai


Na retomada da produção na fábrica de Betim-MG, a Fiat instalou na portaria aparelho para medir a temperatura dos funcionários
Na retomada da produção na fábrica de Betim-MG, a Fiat instalou na portaria aparelho para medir a temperatura dos funcionários - Divulgação/Leo Lara/Fiat

Após 48 dias de paralisação por causa da epidemia do novo coronavírus, a FCA (Fiat Chrysler Automobiles) reabriu nesta segunda-feira, 11, as fábricas da Fiat em Betim-MG e da Jeep em Goiana-PE. Apenas parte dos funcionários retornou ao trabalho, já que a operação em ambas unidades será parcial. Também retomaram atividades parciais as fábricas da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo e em Juiz de Fora-MG.

Segundo a FCA, em Minas Gerais retomaram atividades 4,3 mil funcionários da linha de produção de automóveis e de motores e 1,5 mil da unidade da Jeep em Pernambuco. O retorno está sendo gradual e foi precedido pela adoção de um conjunto amplo de medidas de padrão mundial em sanitização, reorganização de postos de trabalho e adaptação de espaços comuns, visando a uma jornada segura para os trabalhadores.

O processo, diz a empresa, começa desde a preparação em casa para o trabalho, a viagem nos ônibus que fazem o transporte para as fábricas, passando por todos os passos dos empregados dentro do ambiente fabril, até o retorno para casa ao fim do expediente. O regime de home office continua a vigorar para todos os trabalhadores administrativos.

"Na semana passada acompanhei pessoalmente todos os passos da nova jornada dos nossos empregados, desde a viagem no ônibus até o momento da volta para casa", informa Antonio Filosa, presidente da FCA para a América Latina. "Nossas pessoas são o patrimônio mais valioso que temos, portanto, seguiremos absolutamente vigilantes para garantir que a produção seja restabelecida dentro das melhores e mais rigorosas condições de segurança e saúde possíveis."

Laboratório na Mecedes

Na fábrica de caminhões e ônibus da Mercedes-Benz no ABC paulista, metade dos 4,5 mil funcionários também voltaram ao trabalho nesta segunda, 11. Para garantir a segurança, além de todos os protocolos estabelecidos pelos órgãos de saúde, a empresa montou um laboratório de campanha no pátio da fábrica com para atendimento específico de trabalhadores com sintomas da Covid-19.

"Ao todo são cerca de 30 médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem para esse atendimento", afirma Fernando Garcia, vice-presidente de recursos humanos da Mercedes-Benz. A tenda com o novo ambulatório tem leito, ventilador pressurizado e outros equipamentos. O ambulatório normal continua funcionando para outros casos.

Ao longo deste mês, também voltarão a ligar as máquinas a Volkswagen (dia 18), a Nissan (dia 21) e a Hyundai (dia 27).

Entre os dias 23 de março e 12 de abril, 63 das 65 unidades de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e máquinas agrícolas do País fecharam as portas e colocaram em casa, em férias coletivas ou home office 125 mil trabalhadores.

Estoques altos

A partir de meados de abril, oito fabricantes voltaram a operar, e 30 mil funcionários retornaram às fábricas, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Neste mês um grupo maior de empresas começou a retomar atividades e, ao longo de junho, é possível que todas estejam em funcionamento, embora a maioria delas de forma parcial já que os estoques ainda estão altos e a demanda por veículos segue fraca.

Dados da Anfavea indicam que fábricas e revendas têm em seus pátios 128 mil veículos, número equivalente a quatro meses de vendas, de acordo com a média diária de negócios do último mês.

Em abril, as vendas somaram apenas 55,7 mil veículos, uma queda de 75% em relação ao mesmo mês do ano passado. No cumulado dos primeiros quatro meses do ano, a queda é de 27% na comparação com igual período de 2019, para 613,8 mil unidades.

Entre as fabricantes de automóveis e comerciais leves, voltam a operar em junho Ford, General Motors, Honda, Jaguar Land Rover, PSA Peugeot, Citroën e Toyota.