SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MAIO DE 2022
COLUNA DO DIÁRIO

Tucanos bem posicionados de Rio Preto e região ainda botam fé em Rodrigo, mas dão Doria como 'morto'

Ouvidos pela Coluna, eles avaliam que a situação do atual governador, agora operador da poderosa máquina do Estado, é bem diferente do contexto em que se encontra o ex-governador

Maria Elena Covre e Vinícius Marques
Publicado em 05/05/2022 às 01:57Atualizado em 05/05/2022 às 08:49
Governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB) (Johnny Torres 8/2/2020)

Governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB) (Johnny Torres 8/2/2020)

Seção exclusiva para assinantes. Assine para ter acesso ilimitado.

Já sou cadastrado.

Quero ter acesso ilimitado.

COLUNA DO DIÁRIO

Tucanos bem posicionados de Rio Preto e região ainda botam fé em Rodrigo, mas dão Doria como 'morto'

Ouvidos pela Coluna, eles avaliam que a situação do atual governador, agora operador da poderosa máquina do Estado, é bem diferente do contexto em que se encontra o ex-governador

Maria Elena Covre e Vinícius Marques
Publicado em 05/05/2022 às 01:57Atualizado em 05/05/2022 às 08:49

Governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB) (Johnny Torres 8/2/2020)

Embora Rodrigo Garcia e João Doria sigam patinando nas pesquisas, numa leitura desapaixonada tucanos bem posicionados de Rio Preto e região ainda botam fé na empreitada do primeiro de permanecer no Palácio dos Bandeirantes. Mas são bem menos otimistas quanto às chances de o segundo chegar ao Palácio do Planalto.

Ouvidos pela Coluna, eles avaliam que a situação do atual governador, agora operador da poderosa máquina do Estado, é bem diferente do contexto em que se encontra o ex-governador. O fato de as ações espetaculosas de Rodrigo, com farta distribuição de recursos públicos, viaturas e maquinários agrícolas, como se viu nesta semana em Rio Preto, ainda não impactarem o eleitor comum é visto como normal.

“Essas atividades, amplamente noticiadas pela imprensa, fortalecem os apoios políticos e chegam aos formadores de opinião, mas não alcançam o povo. São estes dois primeiros (prefeitos e vereadores, mais formadores de opinião, como empresariados e afins) que, convencidos, vão mais tarde levar o nome do candidato adiante”, raciocina uma das fontes da Coluna. Daí a expectativa de que a posição de Rodrigo melhore quando a campanha chegar à população.

Sobre Doria, ninguém nega com veemência o óbvio: o “abandono” do presidenciável à própria sorte dentro do PSDB em nível nacional. Mas ninguém duvida também de que ele, resiliente, vai levar a candidatura até o fim. “Para Doria, não há outra alternativa. É menos ruim ser candidato e perder do que não ser e cair no ostracismo ao longo da campanha”, diz outro entrevistado.

NOTAS

Não desiste

Um fator que fortalece a convicção dos tucanos de alta plumagem da região de que Doria vai até o fim com sua candidatura presidencial, e discorda dos humores pessimistas dos correligionários, é a instalação em andamento da estrutura de seu QG de campanha na avenida Brasil, em São Paulo, com capacidade para abrigar 300 profissionais. Tudo sob a coordenação de um outro tucano graduado na região: Marco Vinholi, ex-secretário estadual de Desenvolvimento Regional e presidente do PSDB paulista.

Piada interna

A fala de Rodrigo Garcia sobre as forças de segurança pública do Estado era tão, mas tão parecida com o tom adotado pelo bolsonarismo no tocante aos policiais, que levou muita gente a ‘trolar’ o governador: “Até parece que foi o coronel Fábio Rogério que escreveu o discurso dele”, disse um simpatizante do ex-comandante do CPI-5, defenestrado do cargo por excesso de simpatia ao modus operandi do capitão que preside a República.

Naftalina

O nome marqueteiro que batiza as novas ações contra roubos no Estado – Operação Sufoco – foi resgatado do fundo do baú da PM, que já o utilizou em 2000, quando o governador paulista era o então tucano Geraldo Alckmin. A expressão voltou a ser cunhada pela PM em 2012 em operações barulhentas na Cracolândia, em São Paulo.

Pai Eleuses

Com imaginação fértil para apelidos provocativos, o vereador Júlio Donizete (PSD) passou a se referir ao recém-empossado deputado federal Eleuses Paiva, cacique do PSD, como “pai”. “Faço o que o pai mandar”, responde o policial militar aposentado quando questionado pela Coluna sobre apoios nas eleições deste ano.

Camarote

O advogado Marcelo Zola, presidente do Albergue Noturno de Rio Preto e membro da diretoria do Hospital Bezerra de Menezes, vai jantar nesta quinta-feira, 5, com os deputados Eduardo Bolsonaro (federal) e Gil Diniz (estadual), mais o empresário Ricardo Rebelato, em Catanduva. O objetivo é “trocar ideias” sobre possíveis ações para impulsionar as campanhas bolsonaristas na região, segundo ele.

Ela vai

A ex-deputada estadual Beth Sahão (PT) vai abençoar pessoalmente o “casamento” de Lula (PT) e Geraldo Alckmin (PSB). A dupla anuncia oficialmente hoje, em São Paulo, a chapa à Presidência da República em evento só para convidados, uma vez que o local abriga no máximo 4 mil pessoas.

Ele não vai

Questionado pela Coluna se também vai testemunhar a união do ex-presidente petista com o ex-governador tucano, o ex-prefeito e ex-deputado estadual Valdomiro Lopes (PSB) foi curto: “Brincou, né?”

Aprova

O Conselho Municipal de Saúde de Rio Preto aprovou, em reunião extraordinária na noite desta quarta, 4, convênio entre a Prefeitura e a Santa Casa para a contratação de 26 leitos de enfermaria para atendimento de urgência e emergência por sete meses.

SOBE Aos 23 anos de idade, completados nesta quarta-feira, 4, o músico Abner Tofanelli (foto) assumiu a presidência do PDT de Rio Preto, o que já era esperado desde que Carlos Arnaldo, com duas décadas de “casa”, anunciou na segunda, 2, sua “retirada” do comando da legenda, assim como de toda a executiva do diretório municipal. Desde as eleições municipais de 2020, o partido vivia internamente um choque de gerações entre a velha guarda do partido e o pessoal novo que estava chegando. Com 3.467 votos para a Câmara Municipal, Abner só não se elegeu vereador porque o partido não somou votação suficiente para abrir uma cadeira, mas se cacifou junto à cúpula nacional. A ideia, segundo o músico, é “oxigenar o partido”. Na próxima semana, por exemplo, o PDT de Ciro Gomes vai enviá-lo para um curso de formação no Uruguai. Com Abner na presidência, a comissão provisória que assume terá quatro vice-presidentes: Rogério Vinícius, Marcelo Pimenta, Leandro Freitas e Camila Fogaça. João Pedro Castelli será tesoureiro e Lucas Mastrocola, secretário-geral. (Divulgação)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por