SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 26 DE JULHO DE 2021
COLUNA DO DIÁRIO

PSDB filia 65 prefeitos e vice-prefeitos e mira a eleição de 2022

Agora, o PSDB passa a ter 231 prefeitos nos 645 municípios paulistas. Incluindo vices, são 368 nomes no comando do Executivo

Vinícius Marques e Rodrigo LimaPublicado em 15/07/2021 às 23:32Atualizado há 16/07/2021 às 09:48
[object Object]

Rodrigo discursa em evento ao lado de Vinholi: contra ‘bolso/petistas’ (Divulgação)

Seção exclusiva para assinantes. Assine para ter acesso ilimitado.

Já sou cadastrado.

Quero ter acesso ilimitado.

COLUNA DO DIÁRIO

PSDB filia 65 prefeitos e vice-prefeitos e mira a eleição de 2022

Agora, o PSDB passa a ter 231 prefeitos nos 645 municípios paulistas. Incluindo vices, são 368 nomes no comando do Executivo

Vinícius Marques e Rodrigo LimaPublicado em 15/07/2021 às 23:32Atualizado há 16/07/2021 às 09:48

Rodrigo discursa em evento ao lado de Vinholi: contra ‘bolso/petistas’ (Divulgação)

De olho na corrida eleitoral de 2022, a direção estadual do PSDB realizou um estrondoso evento na noite desta quarta, 14, e formalizou a filiação de 65 prefeitos e vice-prefeitos para o ninho tucano. A reunião híbrida, em modo presencial e virtual, foi comandada pelo vice-governador Rodrigo Garcia, neófito no partido, que destacou a abrangência da sigla no Estado. Agora, o PSDB passa a ter 231 prefeitos nos 645 municípios paulistas. Incluindo vices, são 368 nomes no comando do Executivo.

A mega filiação foca as eleições estaduais e para o Planalto. Prefeitos devem agir como “cabos eleitorais” de luxo de Rodrigo Garcia, pré-candidato ao governo paulista. João Doria é a aposta do grupo para ser candidato a presidente contra Jair Bolsonaro e Lula. Os grupos são classificados de “radicais Bolso/petistas”, segundo o presidente estadual do partido, Marco Vinholi.

“O PSDB demonstra uma capacidade de renovação”, afirmou Rodrigo Garcia. A filiação no atacado é uma demonstração de força tucana. O resultado no varejo, no voto a voto, porém, é o maior desafio.

NOTAS

Na CPI 

Gastos da Prefeitura de Rio Preto com uso de verba federal vinculados à pandemia de coronavírus estão em poder da CPI da Covid, no Senado Federal. O acompanhamento das despesas de governos e municípios foi solicitado por senadores bolsonaristas da comissão. A Prefeitura gastou cerca de R$ 80 milhões unicamente na pandemia, incluindo convênios com hospitais, e materiais principalmente de proteção. A lista, inclusive com notas fiscais, também está disponível no site da Prefeitura. Não se sabe quando e a comissão irá avaliar despesas do País todo. O foco da CPI neste momento a gestão de Bolsonaro no combate a Covid.

Fundão

Ano de véspera de eleição, a festa corre solta, com ou sem pandemia. Comissão Mista de Orçamento no Congresso aprovou nesta quarta, 15, proposta que irá mais do que turbinar as despesas previstas com o fundo eleitoral, recurso público que abaste partidos para campanhas. A estimativa para o fundo na eleição do ano que vem é de R$ 5,7 bilhões. O recurso destinado na campanha do ano passado s foi de R$ 2 bilhões. 

Na bronca

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB) ficou surpreso com a decisão da Justiça que determinou de forma imediata fornecimento de água para moradores da favela da Vila Itália. Edinho pediu explicações ao Semae sobre o caso. A primeira decisão foi em maio e não foi cumprida. Em função disso, a Justiça fez o alerta para o município, sob pena de multa diária de até R$ 20 mil.

Alívio

O leilão de 22 aeroportos regionais de São Paulo foi celebrado pela cúpula do governo em tom de alívio. O valor ofertado pelo pacote encabeçado por Rio Preto, e mais dez aeroportos, foi de R$ 7 milhões. O aeroporto de Rio Preto, assim como de Ribeirão Preto, eram os poucos que davam lucro (antes da pandemia) . Os demais, eram tidos como um “peso” estatal. Mais aliviado que a cúpula do Estado sobre o leilão, só o martelo usado no evento. Políticos, prefeitos, dirigentes de estatais, de empresas, só faltaram quebrar o artefato de tanta marteladas na mesa para celebrar o leilão.

Estranha

O secretário de Governo de Rio Preto, Jair Moretti, afirmou que causa “estranheza” queixa de João Paulo Rillo (Psol) que teve quatro emendas vetadas na Lei de Diretrizes Orçamentárias. Uma das emendas do parlamentar, de promoção dos direitos humanos, foi incluída no projeto. Mas Moretti reclama que  Rillo votou contra a proposta. O parlamentar se posicionou contra porque afirma que não teria sido cumprida exigência de audiência publica com ampla divulgação. A direção do Republicanos, de Robson Ricci, que também teve emenda vetada criticou o governo em redes sociais.

coluna do diário
 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por