SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
COLUNA DO DIÁRIO

Prefeito de Monte Aprazível destina R$ 1,3 milhão para bancar shows de festa junina e festa do peão

Prefeito de Monte Aprazível, Márcio Luiz Miguel (PSDB), se mostra disposto a garantir o topo do ranking de gastos do gênero.

Maria Elena Covre e Vinícius Marques
Publicado em 08/06/2022 às 23:05Atualizado em 09/06/2022 às 09:30
Vista aérea da cidade de Monte Aprazível (Reprodução/Facebook/Prefeitura de Monte Aprazível)

Vista aérea da cidade de Monte Aprazível (Reprodução/Facebook/Prefeitura de Monte Aprazível)

Seção exclusiva para assinantes. Assine para ter acesso ilimitado.

Já sou cadastrado.

Quero ter acesso ilimitado.

COLUNA DO DIÁRIO

Prefeito de Monte Aprazível destina R$ 1,3 milhão para bancar shows de festa junina e festa do peão

Prefeito de Monte Aprazível, Márcio Luiz Miguel (PSDB), se mostra disposto a garantir o topo do ranking de gastos do gênero.

Maria Elena Covre e Vinícius Marques
Publicado em 08/06/2022 às 23:05Atualizado em 09/06/2022 às 09:30

Vista aérea da cidade de Monte Aprazível (Reprodução/Facebook/Prefeitura de Monte Aprazível)

Ainda que legalizada, a caixa preta de atrações artísticas contratadas por prefeituras para festas temáticas ou do peão segue mostrando que prefeitos da região são useiros e vezeiros do expediente.

Depois de o prefeito de Bálsamo, Du Lourenço (MDB), destinar R$ 300 mil da pasta de Educação e Cultura para financiar celebridades do 2º escalão para a festa do peão local, o prefeito de Monte Aprazível, Márcio Luiz Miguel (PSDB), se mostra disposto a garantir o topo do ranking de gastos do gênero.

O tucano já publicou a contratação de artistas para dois eventos na cidade que somam a nada modesta cifra de R$ 1,3 milhão. Monte Aprazível, com 25,6 mil habitantes, tem um orçamento de R$ 82 milhões.

Um dos eventos é a Festa Juninão, que acontece na praça da cidade neste fim de semana (sexta, sábado e domingo) e vai custar R$ 550 mil em cachês artísticos: R$ 250 mil para Luan Santana, R$ 130 mil para Rio Negro e Solimões e mais R$ 170 mil para Jads e Jadson.

Já os outros R$ 750 mil, devidamente publicados no diário oficial do município, vão pagar os shows da festa do peão que acontece em agosto e terá no palco Leonardo, Clayton e Romário, João Bosco e Vinícius, além de César Menotti e Fabiano.

Questionado pela Coluna, o prefeito Márcio Luiz Miguel diz que o “investimento” se justifica, porque os eventos fazem parte do projeto de tornar Monte Aprazível município de interesse turístico. Além disso, segundo ele, a festa Juninão é tradicional e ajuda entidades assistenciais da cidade. Quanto à Festa do Peão, ele afirmou que o valor é o limite que pretende gastar, mas que a ideia é deixar o valor final “abaixo”.

NOTAS

Kelvin e a sereia 1

Rolou com Osvaldo Graciani, com Yolanda Bassit, com Maurício Bellodi, com Paulo Sader e, com muito mais insistência ainda, com Adriana Neves, entre tantos outros ex-presidentes da Acirp (Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto). Agora é a vez de Kelvin Kaiser virar alvo do canto da sereia para que pense na possibilidade de se lançar no mundo da política-partidária. Coisa para 2024, claro.

Kelvin e a sereia 2

Entre os antecessores de Kelvin, apenas Bellodi teve coragem de se aventurar, mas acabou descobrindo que, a despeito da força do PIB, o empresariado local se revelou igual aquele cunhado invejoso que vota num estranho, mas não dá a colher de chá, ou melhor, o voto, ao cara com quem almoça junto todo Natal.

Tem pressa 1

O governo federal pretende trocar os cartões do programa Bolsa Família (marca dos governos Lula) pelos do Auxílio Brasil (que remete ao presidente Jair Bolsonaro) até agosto, quando começa oficialmente a campanha eleitoral deste ano. Serão substituídos 18 milhões de cartões ao custo de R$ 324 milhões.

Tem pressa 2

Em Rio Preto, são 16.132 famílias incluídas no programa, segundo os dados do mês de maio, que juntas receberam R$ 3,5 milhões, num valor médio de R$ 223 cada. Destas, 12 mil ainda sacam o valor do benefício no banco com o cartão do Bolsa Família, justamente o que se pretende evitar. E pensar que o programa foi um dos principais alvos de críticas dos liberais que apoiaram Bolsonaro nas eleições de 2018.

Alvos 1

Militantes e simpatizantes de movimentos da esquerda estão “denunciando” em grupos de WhatsApp e nas redes sociais os deputados federais que ajudaram a aprovar o projeto de lei 4.188/2021, do Executivo, que cria o marco legal das garantias de empréstimo.

Alvos 2

Pela nova proposta, que segue agora para o Senado, os bancos poderão ficar com o imóvel de uma pessoa endividada mesmo que seja de moradia da família. Pela regra atual, único imóvel não pode ser requisitado para quitar o “calote”. Em tempo: os quatro representantes da região – Fausto Pinato (PP), Eleuses Paiva (PSD), Geninho Zuliani (União Brasil) e Luiz Carlos Motta (PL) – foram favoráveis à medida.

Segue o mistério

Embora tenha dito que decidiria seu futuro político no final da semana retrasada, Marco Vinholi (PSDB), ex-secretário estadual do Desenvolvimento Regional e homem de confiança de João Doria (PSDB), segue fazendo mistério. Nomeado pelo governador Rodrigo Garcia (PSDB) para o Conselho Regional do Sesi, e cotado para o comando do Sebrae-SP, Vinholi disse à Coluna nesta terça, 7, que ainda não tem nada decidido. Uma das leituras é de que ele vai esperar o anúncio que Doria fará no próximo dia 13 para, então, se manifestar.

LEI DO RETORNO Ainda provoca murmurinho no Hospital de Base (HB) postagem do deputado federal Eleuses Paiva (PSD) nas redes sociais. Ao registrar a audiência que descolou com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para representantes do Lar São Francisco na Providência de Deus, de Jaci, e do Hospital de Base de Rio Preto, o parlamentar coroou de elogios o primeiro e ignorou o segundo. “Hoje tive a oportunidade de apresentar ao ministro da Saúde um dos melhores projetos que conheci em toda a minha trajetória na área: a Associação Lar São Francisco na Providência de Deus. Com a gestão de Frei Francisco, a Associação conta com mais de 70 serviços de saúde, 3,6 mil leitos gerais e realiza mais de 70 milhões de atendimentos em sete estados do Brasil”, escreveu. Talvez explique o fato de Frei Francisco ter ido pessoalmente. Pelo HB, nem Jorge Fares, nem Amália Tieco, que adoram dar um pulinho até Brasília, compareceram. O hospital foi representado pelo diretor financeiro Robson Pádua. (Reprodução/Instagram)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por