SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 14 DE AGOSTO DE 2022
COLUNA DIÁRIO

Empenho de secretário de Edinho à candidatura de Valdomiro incomoda governistas

Secretário de Esportes de Rio Preto, Fábio Marcondes (PL), virou o enigma da vez desde que se tornaram públicas as digitais dele na campanha do ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB)

Maria Elena Covre com Vinícius Marques e Marco Antonio dos Santos
Publicado em 28/07/2022 às 01:00Atualizado em 28/07/2022 às 12:05
Fábio Marcondes, vereador licenciado e secretário de Esportes de Rio Preto: o enigma da vez (Arquivo/Diário)

Fábio Marcondes, vereador licenciado e secretário de Esportes de Rio Preto: o enigma da vez (Arquivo/Diário)

O secretário de Esportes de Rio Preto, Fábio Marcondes (PL), virou o enigma da vez no entorno do prefeito Edinho Araújo (MDB) desde que se tornaram públicas, e assumidas, as digitais dele na campanha a deputado estadual do ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB). O pessebista tenta voltar ao protagonismo político depois do ostracismo imposto pela derrota de 2018.

O ex-prefeito é adversário direto do grupo que orbita Edinho e o resultado das urnas neste ano é visto como fator decisivo na formação do tabuleiro de 2024, quando o emedebista fica impedido de disputar, mas trabalha para “construir” um sucessor competitivo.

Foi Marcondes quem costurou a dobrada exclusiva de Valdomiro com o deputado federal Luiz Carlos Motta (PL). A aliança entre os dois é vista como parte do jogo pelos aliados de Edinho. O que tem levado o pessoal do oitavo andar a queimar neurônios é a decisão do secretário de abraçar com tanto empenho a tentativa de “ressurreição” do adversário.

Marcondes tem dito aos quatro cantos que será candidato a prefeito em 2024 e já recebeu alguns afagos públicos de Edinho neste sentido. Daí a ansiedade dos “edinistas” em desvendar qual a estratégia do secretário de Esportes em cacifar o “outro”.

Valdomiro não vai disputar em 2024? Ele (o ex-prefeito), se eleito, abrirá mão de concorrer para apoiar Marcondes? Se for isso (troca de apoio para 2024), Marcondes, que também busca o apoio de Edinho, tem a pretensão de colocar o ex e o atual prefeito no seu palanque?

“Ele (Marcondes) enfiou um pé em cada canoa. Não tem como ser candidato dos dois (Valdomiro e Edinho). Está difícil entender esse arranjo”, diz um interlocutor da Coluna.

NOTAS

Óbvio

Questionado pela Coluna, Marcondes apela ao discurso oficial de dez entre dez políticos nestas situações. “Só vou pensar nas eleições para a Prefeitura em 2024”, respondeu. O secretário de Esportes disse ainda que Motta comunicou pessoalmente ao prefeito sobre a aliança que faria com Valdomiro e que, no caso dele, especificamente, os acordos com o ex-prefeito terminam no dia 3 de outubro. “Eu nunca conversei nem com Edinho, nem com Valdomiro sobre 2024. Tenho trabalhado muito na secretaria e, fora do expediente na Prefeitura, na campanha. Essa é minha estratégia: trabalhar.”

Teorias

Uma das teorias dos observadores da cena política local, no entanto, é de que Marcondes teria ficado “esperto” em relação à suposta simpatia do governo ao nome dele para 2024 depois de ver o empenho do MDB local em favor do deputado estadual Itamar Borges (MDB). Além de correligionário de Edinho, o pai, e fazer dobrada com Edinho, o filho, que é candidato a deputado federal, Itamar já chegou na cidade de olho comprido para a cadeira de prefeito também.

Deu linha...

Outra situação que anda provocando desconforto dentro do governo é a adesão do vereador Celso Peixão ao grupo de apoio de Valdomiro Lopes. Na verdade, uma recaída. Filiado ao MDB para as eleições de 2020, o nobre edil militou ao lado do ex-prefeito no PSB desde quando era apenas um girino político. Para aumentar a encanação, Peixão foi “resgatado” de dentro da campanha de Itamar, assim como Rossini Diniz (PL). De novo, Marcondes jura de pés juntos que não tem nada a ver com isso. “Foram com as pernas deles.”

Tô fora

A deputada federal paulistana Adriana Ventura (Novo), que vem investindo tempo e recursos por meio de emendas em Rio Preto e região de olho na reeleição, deixa claro que não abraça e nem pretende abraçar, num eventual segundo mandato em Brasília, pautas como feminicídio, violência contra as mulheres ou cotas femininas.

To dentro

“Para começo de conversa, sou contra a política de cotas. E quero, como mulher, discutir economia e empreendedorismo. Mostrar que a mulher pode falar de outros assuntos além de feminicídio, por exemplo”, disse ela em visita ao Diário nesta quarta, 27.

Média

Os vereadores votaram e aprovaram, em sessão secreta nesta terça, 27, títulos de cidadãos honorários ao deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Carlão Pignatari (PSDB), e ao deputado federal Geninho Zuliani (União Brasil). As honrarias foram apresentadas, respectivamente, pelos vereadores Bruno Marinho (Patriota) e Francisco Júnior (União Brasil).

Bola preta

Ninguém se opôs em fazer esse tipo de média, tão valorizada em período eleitoral, a Geninho. Já Carlão não conseguiu a unanimidade. Levou bola preta do correligionário e desafeto Bruno Moura.

DATA-TOALHA

O presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Lula (PT) andam movimentando o Shopping Azul, em Rio Preto. As gigantes toalhas de banho estampadas com closes dos dois estão penduradas lado a lado no varal de um comerciante do local e podem ser levadas para casa a R$ 35 a unidade. O dono do negócio diz que a procura anda boa, mas se recusa a arrumar confusão revelando qual das duas tem mais saída. Em São Paulo e em Brasília, a disputa já rendeu até uma espécie de pesquisa de popularidade divertidamente batizada como “datatoalha”. Questionado sobre qual das duas versões seca mais rápido, o empreendedor rio-pretense, sempre prudente, respondeu que só quem comprar vai saber. 

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por