SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
COLUNA DO DIÁRIO

Após demolição que pegou até associados de surpresa, Acirp anuncia projeto de R$ 2 milhões

A Coluna apurou que, além de casa totalmente nova, o antigo Centro de Convenções da Acirp vai ter novo perfil para uso e também outro nome: o local deverá ser rebatizado como Auditório Acirp

Maria Elena Covre, Vinícius Marques e Lucas Israel
Publicado em 22/06/2022 às 00:11Atualizado em 22/06/2022 às 12:25
Centro de Convenções da Acirp, em reforma, em Rio Preto (Guilherme Baffi)

Centro de Convenções da Acirp, em reforma, em Rio Preto (Guilherme Baffi)

A Acirp (Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto) vai apresentar na próxima semana o projeto que substituirá o prédio demolido duas semanas atrás na avenida Bady Bassitt, área pública do município cedida à entidade.

A Coluna apurou que, além de casa totalmente nova, o antigo Centro de Convenções da Acirp vai ter novo perfil para uso e também outro nome: o local deverá ser rebatizado como Auditório Acirp.

A nova instalação prevê pelo menos três espaços para eventos de diferentes tamanhos e o investimento, ainda prévio, está estimado em R$ 2 milhões. Os recursos serão integralmente da entidade.

As informações foram apresentadas em reunião na noite desta segunda-feira, 20, que juntou integrantes da diretoria e membros do Conselho Consultivo. E foi motivada justamente pelo estranhamento de muitos associados da Acirp, além da população em geral, que foram pegos de surpresa ao ver o antigo prédio, numa das principais avenidas da cidade, ir ao chão.

Durante a reunião, o presidente da entidade, Kelvin Kaiser, fez uma espécie de mea culpa, admitindo que houve uma falha de “timing”. Segundo ele, o ideal seria que o projeto novo e as motivações para a demolição do imóvel anterior fossem apresentados antes de tudo virar pó diante da curiosidade generalizada.

NOTAS

SÓ PENSAM NAQUILO Depois de Paulo Pauléra (PP) dar toda a pinta de que está em campanha para a presidência da Câmara de Rio Preto, que elege a nova Mesa Diretora em dezembro deste ano, Jorge Menezes (PSD), na foto ao lado, também começou a passar recibo de que nutre a mesma pretensão. Numa espécie de acordo de cavalheiros, a dupla trabalha unida naquela que será a principal plataforma para aglutinar um grupo coeso capaz de vencer a disputa: a criação no parlamento municipal de emendas impositivas com valor entre R$ 1 milhão e R$ 1,2 milhão por vereador. A ideia é que o nome com mais poder de fogo para articular a maioria dos votos vai para as cabeças. Pauléra, que já presidiu a Casa, é o preferido do Executivo. O também ex-presidente Menezes, que é o vereador mais longevo, corre por fora.

Mais barato

Um laudo encomendado pela Acirp para projetar a reforma teria apontado, segundo Kelvin, que as grandes obras estruturais realizadas na avenida Bady Bassitt, como o canal antienchente, acabaram danificando a “acanhada” estrutura do prédio, que era antigo. “O laudo apontou que compensava mais começar do zero do que reforçar a fundação e adequar todo o espaço para o que se pretende. E o novo projeto ficou lindíssimo”, disse uma fonte da coluna que acompanhou a apresentação.

Agosto

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), está determinado a inaugurar em agosto o Hospital da Região Norte. Tudo indica que apenas um tropeço na licitação para a contratação da OS (organização social) que vai assumir a unidade poderá frustrar o emedebista, mas por ora segue bem. Nesta segunda, 20, uma equipe do Hospital de Base fez a visita técnica ao prédio. No último dia 6 deste mês, a Faceres esteve no local. Além dos dois, estão na disputa o Hospital Osvaldo Cruz (Capital), o Hospital Mahatma Gandhi (Catanduva) e a SPDM (da Unifesp/Capital).

Outro foco 1

A Associação Fraternidade São Francisco de Assis, liderada pelo frei Francisco, desistiu da licitação para assumir o Hospital da Região Norte. Wellington de Angelo, membro do Conselho Executivo da entidade, afirmou que a ideia é se concentrar em vários projetos novos em andamento. Entre as prioridades está uma que é fundamental para o governo de Rodrigo Garcia (PSDB): a construção do novo Hospital de Mirassol. O Estado vem sendo cobrado por oferta de mais leitos de SUS na região.

Outro foco 2

As outras duas prioridades da associação são o Hospital Padre Colombo, em Parintins (AM), e o 3º Barco Hospital São João XXIII. “Com isso acabamos não entregando todos os documentos para completar o processo de qualificação da nossa entidade junto ao município de Rio Preto”, disse Angelo.

Punido 1

O diretório do Solidariedade de Rio Preto está impedido pela Justiça Eleitoral de receber recursos dos fundos partidário e eleitoral nas eleições deste ano. A decisão do juiz Lincoln Augusto Casconi se deve ao fato de o partido não ter prestado contas relativas às eleições municipais de 2020.

Punido 2

“Os dirigentes do diretório municipal vigente à época das Eleições 2020 foram cientificados acerca da omissão na apresentação das contas. (...) Por fim, foi aberta vista ao Ministério Público Eleitoral, com manifestação pelo julgamento como não prestadas”, diz a decisão do juiz.

Deu ruim

A farra de shows bancados por prefeituras em todo País, incluindo a região de Rio Preto, começa a tropeçar no Judiciário. O ministro Humberto Martins, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), manteve decisão suspendendo o festival junino de Cachoeira Alta (GO), com shows previstos da banda Barões da Pisadinha e do cantor Leonardo e custo estimado em R$ 1,5 milhão. “A preocupação com a probidade administrativa exige tal cautela com a aplicação das verbas públicas”, afirmou o ministro. Se a moda pega...

SÓ PENSAM NAQUILO Depois de Paulo Pauléra (PP) dar toda a pinta de que está em campanha para a presidência da Câmara de Rio Preto, que elege a nova Mesa Diretora em dezembro deste ano, Jorge Menezes (PSD), na foto ao lado, também começou a passar recibo de que nutre a mesma pretensão. Numa espécie de acordo de cavalheiros, a dupla trabalha unida naquela que será a principal plataforma para aglutinar um grupo coeso capaz de vencer a disputa: a criação no parlamento municipal de emendas impositivas com valor entre R$ 1 milhão e R$ 1,2 milhão por vereador. A ideia é que o nome com mais poder de fogo para articular a maioria dos votos vai para as cabeças. Pauléra, que já presidiu a Casa, é o preferido do Executivo. O também ex-presidente Menezes, que é o vereador mais longevo, corre por fora.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por