SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MAIO DE 2022
COLUNA DO DIÁRIO

Aliados de Eleuses acreditam que mandato ajuda na acirrada disputa por apoiadores

O jogo praticado por candidatos a deputado estadual ou federal na caça a cabos eleitorais desse naipe vem ignorando qualquer tipo de demarcação, seja de território físico ou partidário

Maria Elena Covre, Vinícius Marques e Marco Antonio dos Santos
Publicado em 27/04/2022 às 00:22Atualizado em 27/04/2022 às 09:09
Eleuses Paiva (PSD) assumiu o mandato de deputado federal na Câmara (Paulo Sergio/Câmara dos Deputados)

Eleuses Paiva (PSD) assumiu o mandato de deputado federal na Câmara (Paulo Sergio/Câmara dos Deputados)

Seção exclusiva para assinantes. Assine para ter acesso ilimitado.

Já sou cadastrado.

Quero ter acesso ilimitado.

COLUNA DO DIÁRIO

Aliados de Eleuses acreditam que mandato ajuda na acirrada disputa por apoiadores

O jogo praticado por candidatos a deputado estadual ou federal na caça a cabos eleitorais desse naipe vem ignorando qualquer tipo de demarcação, seja de território físico ou partidário

Maria Elena Covre, Vinícius Marques e Marco Antonio dos Santos
Publicado em 27/04/2022 às 00:22Atualizado em 27/04/2022 às 09:09

Eleuses Paiva (PSD) assumiu o mandato de deputado federal na Câmara (Paulo Sergio/Câmara dos Deputados)

O retorno do ex-vice-prefeito de Rio Preto Eleuses Paiva (PSD) à Câmara Federal deverá acirrar ainda mais a “briga de cachorro grande” por apoiadores de luxo na região. Em especial aqueles, comprovadamente, com voto nas urnas - leia-se prefeitos e vereadores.

O jogo praticado por candidatos a deputado estadual ou federal na caça a cabos eleitorais desse naipe vem ignorando qualquer tipo de demarcação, seja de território físico ou partidário.

Um exemplo é a Câmara de Rio Preto, já em clima de fim de feira. Por lá, Eleuses tem apenas os dois correligionários – Júlio Donizete e Jorge Menezes – como apoiadores declarados. E, a menos que pesque alguém já fisgado por outro candidato, não há mais onde jogar o anzol.

Quintal onde ciscam também com afinco os deputados federais Geninho Zuliani (União Brasil), Fausto Pinato (PP) e Luiz Carlos Motta (PL), além do deputado estadual Itamar Borges (MDB), boa parte dos vereadores de Rio Preto ignorou solenemente os caciques de suas legendas, o que tem feito o clima ferver nos bastidores.

A leitura no entorno de Eleuses é de que o cenário deverá ficar mais favorável com um mandato na retaguarda. Com 81.160 votos em 2018, ele, que assumiu em outras duas legislaturas a Câmara Federal, pegou a quarta suplência. Em Rio Preto, Eleuses recebeu 13.992 votos, desempenho que o frustrou intensamente. E ele tinha, então, o mais cobiçado dos cabos eleitorais: o prefeito Edinho Araújo (MDB), hoje empenhado em mandar o filho para Brasília.

NOTAS

Pragmáticos

Em conversa com a Coluna, Eleuses Paiva sinalizou que deve retomar uma conversa que começou há alguns meses com o ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB), pré-candidato a deputado estadual. Os dois adversários ferrenhos de outrora começam a ver com bons olhos uma possível dobrada nas eleições deste ano.

No Carnaval

Por falar em dobradas improváveis, o assunto no Carnaval do Centro Cultural Vasco, reduto da esquerda de Rio Preto, era de que o vereador João Paulo Rillo (Psol) já teria decidido concorrer à vaga de deputado federal numa inimaginável parceria com Valdomiro Lopes. Para quem não conhece o contexto, seria o mesmo que Lula e Bolsonaro anunciarem uma aliança nas eleições deste ano. Questionada, a assessoria de Rillo negou. Seria só imaginação fértil em dias de folia?

Sem emergência 1

Com o fim do estado de emergência sanitária diante do arrefecimento da Covid-19, o uso da Coronavac, detentora de aprovação temporária, foi colocado em xeque no Brasil. Questionada pela Coluna, a Secretaria da Saúde de Rio Preto informou que continuará utilizando o imunizante, conforme orientação do governo estadual. “Ressalte-se que o Ministério da Saúde solicitou à Anvisa a prorrogação do uso, mesmo sem registro definitivo”, informou a pasta.

Sem emergência 2

Em relação a verbas, o repasse do Ministério da Saúde aos municípios também cai. “A título de comparação, até outubro de 2021 a pasta repassava recursos para 48 leitos de UTI-Covid, que totalizava R$ 2 milhões por mês. A partir de janeiro de 2022 não houve mais esse tipo de repasse junto ao encerramento de leitos exclusivos para o tratamento da doença.

Queixosos 1

A secretária de Meio Ambiente de Rio Preto, Kátia Penteado, ouviu queixas de toda ordem nesta terça, na Câmara, durante reunião que tratou de mudanças na coleta de lixo em algumas regiões da cidade. Inclusive de vereadores governistas. A principal bronca dos aliados do prefeito Edinho Araújo (MDB) foi o fato de não terem sido devidamente informados.

Queixosos 2

“Houve um equívoco nesta questão da comunicação”, disse Jean Charles (MDB). “E caiu no colo dos vereadores”, completou Paulo Pauléra (PP), dois dos mais leais integrantes da base de sustentação do governo.

Outra frente

A próxima auxiliar direta do prefeito Edinho Araújo (MDB) a sentar na “cadeirinha das explicações” da Câmara é a secretária de Assistência Social, Helena Marangoni. O vereador Julio Donizete (PSD) marcou para quinta-feira, 5, reunião com o objetivo de tratar de outro assunto espinhoso: o aumento de moradores de rua na cidade. Além dela, foram convidados também representantes do Ministério Público, da Polícia Militar e da Guarda Municipal.

NAS RUAS Unha e carne com Fábio Marcondes (PL) e irmão do prefeito de Catanduva, padre Osvaldo (PSDB), o padre Ernesto Rosa (foto), da Paróquia Nossa Senhora do Brasil, de Rio Preto, se reuniu nesta terça-feira, 26, com o bispo dom Antonio Vilar, para propor a elaboração de um projeto com o objetivo de reduzir a população em situação de rua na cidade. A ideia é apresentar a proposta, encabeçada pela Igreja Católica, à gestão Edinho Araújo (MDB). Segundo dados do governo municipal, houve um aumento de 11% de moradores de rua entre 2021 e 2022 no município. O padre defendeu um modelo de atendimento de inclusão no mercado de trabalho, por meio de cotas impostas às prestadoras de serviço da Prefeitura. E também tentar parcerias na iniciativa privada para internação daqueles que são dependentes químicos. (Reprodução/Instagram)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por