SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 14 DE AGOSTO DE 2022
COLUNA DO DIÁRIO

Agenda desmarcada na região faz grupo de Tarcísio crer em pressão tucana sobre empresários

O convite do dia 4 foi para que o pré-candidato participasse da festa julina da Citrosol, produtora de laranja e cana-de-açúcar

Maria Elena Covre e Vinícius Marques
Publicado em 18/07/2022 às 23:30Atualizado em 19/07/2022 às 15:25
O sertanejo Cristiano abraçado a Tarcísio de Freitas e Danilo Campetti (camisa azul) (Divulgação)

O sertanejo Cristiano abraçado a Tarcísio de Freitas e Danilo Campetti (camisa azul) (Divulgação)

Uma agenda com Tarcísio de Freitas (Republicanos) que aconteceria em Mendonça no último dia 4 de julho, e foi desmarcada em cima da hora por parte de quem convidou, vem dando o que falar no entorno do pré-candidato bolsonarista ao Palácio dos Bandeirantes.

Segundo um interlocutor do ex-ministro, com quem a Coluna conversou, o fato reforçou a crença em aliados do pré-candidato de que empresários do Interior, em especial gente ligada ao agronegócio, estão temendo retaliações do governo estadual se abrirem as portas para Tarcísio se apresentar.

O convite do dia 4 foi para que o pré-candidato participasse da festa julina da Citrosol, produtora de laranja e cana-de-açúcar. Os convites do “Arraiá da Citrosol” aos funcionários chegaram a citar que durante o evento, com início às 19h, haveria um “bate-papo com o ex-ministro Tarcísio de Freitas”.

A festa ocorreu no mesmo dia que o pré-candidato esteve em Rio Preto para falar com empresários dos setores do comércio e da indústria no final da tarde. A ida do pré-candidato a Mendonça chegou a ser anunciada à imprensa, mas a atividade foi abortada sem explicações. E a informação era de que Tarcísio aproveitaria a noite para descansar.

Segundo o interlocutor da Coluna, no entanto, outras situações parecidas já ocorreram e o caso da Citrosol, que não fala sobre o assunto, foi definitivo para “consolidar as suspeitas”, porque a festa acabou ocorrendo normalmente, mas sem Tarcísio, claro.

NOTAS

Deu bom

E como político atrás de voto não “perde a viagem”, o “descanso” de Tarcísio acabou sendo na chácara em Ipiguá, de propriedade de um ilustre apoiador do pré-candidato, o cantor sertanejo Cristiano, que faz dupla com Zé Neto.

Saia justa

Por falar em apoio de empresários a pré-candidatos ao governo de São Paulo, o bolsonarista Paulo Emílio se viu numa saia justa no último sábado, 16, quando, ao lado de Rodrigo Garcia, foi questionado por jornalistas se apoia o governador tucano nas eleições deste ano. Isso, em detrimento de Tarcísio de Freitas (Republicanos), o escolhido do presidente Jair Bolsonaro (PL). “Quem mais eu poderia apoiar?”, respondeu o “rei dos bretes”.

Fissura

A fala de Paulo Emílo representa uma visível fissura no meio que ele circula, o do agronegócio, hermeticamente fechado com o capitão e seu ex-ministro. Mais do que um racha no setor como um todo, Paulo Emílio se coloca na trincheira oposta a dois nomes muito próximos dele: Osmair Guareschi e Eloy Gonçalves.

Escorregou

Questionado pela Coluna sobre esse “racha”, Paulo Emílio preferiu não polemizar. “A nossa festa é uma das maiores e mais importantes do Brasil e vitrine para quem quer conhecer o mundo do rodeio. Recebi o governador Rodrigo Garcia que é um amigo de longa data, nos conhecemos desde a infância e pelo qual tenho admiração e respeito.”

Fecharam

O deputado federal e candidato à reeleição Geninho Zuliani (União Brasil) e o vereador-delegado Renato Pupo (PSDB), que disputa cadeira na Assembleia Legislativa, consolidaram a parceria que vinham negociando há alguns dias. Com isso, Geninho, que vai disputar sua primeira eleição com domicílio eleitoral em Rio Preto, ganha na cidade um parceiro para chamar de seu. Pupo esperou até o último minuto um nome tucano para dobrar na cidade, mas o PSDB acabou ficando sem um representante nessa via. Negócio bom para ambas as partes.

Prioridade

A corrida eleitoral deste ano entra em nova fase com as convenções partidárias, que começam nesta quarta-feira, 20, e vão até 5 de agosto. O calendário eleitoral já muda também a rotina da Justiça e do Ministério Público, que passam a dar prioridade nos processos e provocações relacionados às eleições. Isso em todas as esferas, salvo casos de habeas corpus ou mandados de segurança. A regra vale até 4 novembro.

É pique!

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), é o anfitrião do oba-oba de entrega das obras do Mercadão nesta terça-feira, 19, às 17h. O evento marca ainda o aniversário de 78 anos do tradicional ponto de encontro de moradores e políticos. A reforma do prédio, iniciada em fevereiro de 2020, custou R$ 5,2 milhões. Também como parte das festividades de aniversário, nesta semana vai ter pastel noturno, com o Mercadão aberto até as 21h.

TRAUMA DE POLÍTICO

Ao chegarem no Rio Preto Country Bulls no último sábado, 16, o governador e pré-candidato à reeleição Rodrigo Garcia (PSDB) e políticos aliados chegaram a temer o pior, ou seja, uma incitação a vaias em meio à multidão. O sinal de perigo surgiu quando a comitiva buscava um acesso “privado” ao Recinto de Exposições, por trás do palco, e deu de cara com um pequeno grupo que classificaram como “agroboys” (termo usado para se referir a jovens abastados que transitam pelo universo sertanejo com suas reluzentes caminhonetes). Neste momento, alguns deles dispararam provocações na linha “vai pra casa, já perdeu, aqui é Bolsonaro”. Se foi isso que desestimulou o tucano de encarar o “formigueiro de gente” na arena e limitar sua incursão aos camarotes, não se sabe. O fato é que o entorno do tucano só respirou aliviado mesmo quando o locutor anunciou a presença do governador e nenhuma reação contrária se sobressaiu. “O melhor dos mundos diante do atual cenário político de reações extremas”, avaliou um integrante da tropa à Coluna.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por