SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
ECONOMIZE

Após meses de alta, preço dos hortifrútis cai em Rio Preto

Reflexos desse movimento já podem ser observados nos supermercados de Rio Preto, onde tem produto até 24% mais barato; confira pesquisa em nove supermercados e economize

Da Redação
Publicado em 21/06/2022 às 00:55Atualizado em 21/06/2022 às 08:39

Seção exclusiva para assinantes. Assine para ter acesso ilimitado.

Já sou cadastrado.

Quero ter acesso ilimitado.

ECONOMIZE

Após meses de alta, preço dos hortifrútis cai em Rio Preto

Reflexos desse movimento já podem ser observados nos supermercados de Rio Preto, onde tem produto até 24% mais barato; confira pesquisa em nove supermercados e economize

Da Redação
Publicado em 21/06/2022 às 00:55Atualizado em 21/06/2022 às 08:39

Pela primeira vez no ano, todo o setor de hortifrútis registrou redução de preços. Até então, apenas o grupo das frutas havia registrado queda no ano, em abril, quando ficou 2,75% mais barato, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio. Agora os legumes, tubérculos, hortaliças e verduras também tiveram reduções. Os reflexos desse movimento já podem ser observados nos supermercados, onde tem produto até 24% mais barato.

A maior redução foi no grupo dos legumes e tubérculos, que desde janeiro deste ano registrava altas e agora ficou 10,09% mais barato. Os principais itens que baratearam no período foram a cenoura (-24,07%), seguida pelo tomate (-23,72%) e pela abobrinha (-14,24%). Apesar disso, alguns produtos ainda registraram alta, como a cebola (+21,36%) e o pepino (+8,02%).

Segundo a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), a maior oferta dos hortifrútis, como a cenoura e os tomates, contribuiu para o recuo na média dos preços. Entretanto, as questões climáticas (para as culturas mais sensíveis) e o aumento dos custos de produção ainda refletem em alguns itens.

Para o economista Hipólito Martins Filho, a queda no preço dos hortifrútis também está ligada a baixa procura dos produtos. “Eles são perecíveis, ou seja, precisam ser vendidos rapidamente se não estragam. Com os preços altos, a procura diminui então os supermercados precisam baratear os produtos para incentivar a venda”.

O grupo das hortaliças e verduras também registrou a primeira queda no ano, de 3,22%. Os itens com maiores reduções foram a couve-flor (-10,07), o repolho (-5,55%) e o brócolis (-5,33%). Apenas a couve e o cheiro verde registraram alta no último mês, de 2,86% e 0,49%, respectivamente.

As frutas foram menos afetadas pelas altas neste ano. Em abril o grupo já tinha registrado queda de 2,75% e agora ficaram 2,30% mais baratas. A laranja-bahia e o mamão lideram as reduções, com 7,97% cada. A melancia também registrou queda expressiva, de 7,69%, seguida pelo maracujá (-6,81%) e pela tangerina (-6,77%). Nas altas, destaque para a banana-da-terra, que ficou 14,27% mais cara e para a manga, com 13,62%.

Pesquisa

Em pesquisa publicada pelo Diário nesta terça-feira, 21, foram cotados os preços de 61 produtos de hortifrútis em nove supermercados de Rio Preto. A variação total chegou a R$ 302,12. (Colaborou Lucas Amancio)

Clique aqui para ver a tabela de preços dos hortifrútis

Corte gastos supérfluos

Gastos supérfluos são aqueles feitos sem uma reflexão prévia sobre a sua real necessidade. Podem ser tanto compras de itens de vestuário, eletrônicos ou qualquer outro produto de maior valor, quanto pequenas compras do dia a dia — como o cafezinho depois do almoço, o sorvete no fim da tarde ou o jantar fora de casa em vários dias da semana.

O segredo é entender o que é um gasto dispensável para compreender a situação financeira e as necessidades da rotina de cada um, já que elas variam de pessoa para pessoa. Acompanhe a seguir a melhor maneira de fazer essa divisão.

Lazer: com exceção de situações extremas, o lazer nunca deve ser excluído completamente do orçamento. Todavia, a fatia da renda destinada a esse gasto deve ser pequena e utilizada de forma bastante controlada. Usou todo o dinheiro reservado para isso antes de o mês acabar? Então procure alternativas gratuitas ou mais baratas para se divertir até o mês seguinte.

Vestuário: roupas, por si só, não são uma despesa supérflua. Mas não se deve comprar peças que serão utilizadas pouquíssimas vezes e nem gastar demasiadamente com roupas de marcas famosas, que sempre são mais caras.

Serviços: faça uma avaliação cuidadosa dos pacotes de TV, internet e telefone contratados. Não é raro que esses serviços estejam comprometendo uma fatia muito grande do orçamento sem que tudo esteja sendo de fato utilizado. Para aumentar a economia, opte por serviços de streaming. Com uma mensalidade bem mais em conta, eles oferecem boas opções de séries e filmes. (Por Portal Rodobens)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por