SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 10 DE AGOSTO DE 2022
ARTIGO

Empreendedorismo dentro das escolas

Ser empreendedor está diretamente ligado com comportamentos e atitudes, os quais o indivíduo pode aplicar e desenvolver, independente dos caminhos profissionais que escolha para sua vida

Bianca Araujo Manzanares Brunetti
Publicado em 02/12/2021 às 00:19Atualizado em 02/12/2021 às 00:28
Bianca Araujo Manzanares Brunetti

Bianca Araujo Manzanares Brunetti

Seção exclusiva para assinantes. Assine para ter acesso ilimitado.

Já sou cadastrado.

Quero ter acesso ilimitado.

ARTIGO

Empreendedorismo dentro das escolas

Ser empreendedor está diretamente ligado com comportamentos e atitudes, os quais o indivíduo pode aplicar e desenvolver, independente dos caminhos profissionais que escolha para sua vida

Bianca Araujo Manzanares Brunetti
Publicado em 02/12/2021 às 00:19Atualizado em 02/12/2021 às 00:28

Bianca Araujo Manzanares Brunetti

Ao nos referimos ao termo empreendedorismo, muitas vezes, tem-se uma interpretação equivocada, assimilando-o apenas ao fato de adultos obterem um negócio próprio e ganharem dinheiro com isso.

O que muitas vezes não se sabe é que empreender é muito mais do que isso, que não se trata de algo exclusivamente para adultos e que, quando trabalhado desde a infância, esse conceito pode ser um grande pilar transformador na vida dos jovens.

Isso porque ser empreendedor está diretamente ligado com comportamentos e atitudes, os quais o indivíduo pode aplicar e desenvolver, independente dos caminhos profissionais que escolha para sua vida.

Buscar despertar esses comportamentos em crianças e jovens é o objetivo do programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) do Sebrae. Um programa voltado a alunos do ensino fundamental, que visa mostrar na prática como esses jovens podem ampliar seu olhar sobre as oportunidades e seu papel na sociedade, assim como, desenvolverem habilidades que os possibilitem serem os protagonistas da sua própria história.

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a taxa de desemprego entre os jovens (de 15 a 24 anos) é duas a três vezes maior do que a média nacional, na maioria dos países. No Brasil, segundo recente pesquisa do Sebrae, esse dado não é diferente, o que se agravou ainda mais com a pandemia, chegando ao índice de 31,4% jovens desempregados no terceiro trimestre de 2020.

Preparar esse jovem para lidar com esses cenários desafiadores, com persistência, comprometimento e sabendo das suas potencialidades é um dos compromissos desse programa de educação empreendedora do Sebrae.

Com uma metodologia semiaberta, o programa JEPP tem o seu embasamento na base nacional comum curricular (BNCC), oferecendo gratuitamente aos educadores toda a metodologia e ferramentas, para que possam aplicar em sala de aula vivências de comportamentos empreendedores e da estrutura de um negócio, de forma que os alunos possam desenvolver na prática, questões como: organização, criatividade, persistência, cooperação, sustentabilidade, pensamento crítico, comprometimento, entre outros comportamentos que contribuem para o despertar dos jovens como cidadão.

Além desses comportamentos, o programa proporciona conhecimentos sobre a base de um negócio, mostrando a importância do planejamento, da educação financeira, do trabalho em equipe e da inovação, quesitos que muitas vezes são responsáveis pelo insucesso de vários empreendimentos, justamente por seus proprietários não possuírem esse embasamento e visão estratégica.

O empreendedorismo social também faz parte do projeto, incentivando os jovens a olharem para o ambiente externo e entenderem como podem contribuir, por meio da educação, para uma sociedade mais justa e bem informada.

A disseminação da cultura empreendedora dentro das escolas é, portanto, muito mais do que um projeto de empreendedorismo juvenil, mas um projeto de vida! Uma semente plantada para o despertar de jovens mais conscientes e preparados, confiantes dos seus potenciais, despertos para sonharem e serem os autores da própria história, de forma que sejam cada vez mais agentes transformadores do futuro.

Bianca Araujo Manzanares Brunetti, Analista de negócios do Sebrae-SP

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por