SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MAIO DE 2022
Artigo

Check-up Vascular

Para você que deseja começar 2022 com a circulação saudável e em dia

STHEFANO ATIQUE GABRIEL
Publicado em 12/01/2022 às 18:26Atualizado em 19/01/2022 às 15:26
Sthefano Atique Gabriel (Arquivo pessoal)

Sthefano Atique Gabriel (Arquivo pessoal)

Seção exclusiva para assinantes. Assine para ter acesso ilimitado.

Já sou cadastrado.

Quero ter acesso ilimitado.

Artigo

Check-up Vascular

Para você que deseja começar 2022 com a circulação saudável e em dia

STHEFANO ATIQUE GABRIEL
Publicado em 12/01/2022 às 18:26Atualizado em 19/01/2022 às 15:26

Sthefano Atique Gabriel (Arquivo pessoal)

A fragilidade do nosso sistema circulatório provavelmente representou a principal lição aprendida durante a pandemia da Covid-19. Com a invasão do organismo humano por um vírus até então desconhecido e a ausência de defesas imunológicas eficazes para combatê-lo, nossa circulação não resistiu e foi severamente agredida pela proliferação viral e por seus deletérios efeitos locais e sistêmicos.

A batalha travada entre os agentes virais ávidos por destruição e o despreparado e desorganizado sistema imunológico resultou em quadros sequenciais e disseminados de trombose em toda a árvore circulatória, seja ela arterial ou venosa. Apesar da piora do quadro clínico respiratório, o acometimento magno foi circulatório e isto foi comprovado e reconhecido internacionalmente após análise de coortes de pacientes internados em unidades de terapia intensiva, onde foi constatada a elevada incidência de embolia pulmonar, derrame cerebral, infarto do miocárdio, trombose venosa profunda e trombose arterial nestes indivíduos.

A vacina constitui a solução protetora para o comprometimento circulatório? Não é possível afirmar isto ainda, mas não há dúvidas de que o controle da proliferação viral e a hipertrofia da resistência imunológica reduziram consideravelmente os efeitos danosos ao sistema circulatório. Prova disto foi o esvaziamento dos leitos de terapia intensiva na proporção direta da porcentagem de vacinados com duas doses ou dose única, de acordo com o tipo de vacina administrada. Além disso, é de conhecido público que os não vacinados e os resistentes à vacinação constituem atualmente o grupo de risco para complicações graves em decorrência da infecção pelo coronavírus.

Estima-se, também, que muitas pessoas que positivaram para o coronavírus ainda podem evoluir tardiamente com sintomas decorrentes dos efeitos virais. Queda de cabelo, déficit de memória, dores articulares, inchaço e dores nas pernas são os campeões no quesito sintomas pós-Covid, tanto que algumas Sociedade Médicas Brasileiras recomendaram a extensão da vigilância clínica por período de 3 até 6 meses após a alta hospitalar ou a recuperação pós-Covid.

Paralelo a este contexto, observamos a progressão da variante Ômicron, que temporariamente abriu inúmeras discussões a respeito da eficácia vacinal, da necessidade de distanciamento social e dos reais efeitos desta modalidade viral em nosso organismo. Até o momento, seu impacto a curto prazo já promoveu o cancelamento maciço de viagens aéreas durante o período de festividade, o aumento substancial do número de casos confirmados em países como Inglaterra, Itália e Estados Unidos, e acirrou as preocupações a respeito das fronteiras intercontinentais.

Em meio a este panorama favorável, porém ainda inseguro e preocupante, a chegada do ano de 2022 renova as nossas esperanças e aumenta as nossas expectativas quanto a recuperação econômica e a retomada das atividades profissionais, brutalmente prejudicadas nos períodos de restrição domiciliar e caos sanitário. Para acompanhar o clima de ano-novo, é fundamental estar com a saúde em dia e para isto é necessário cuidar da circulação.

O check-up vascular periódico identifica precocemente alterações em nosso sistema arterial e venoso, permitindo seu tratamento imediato e evitando complicações e internações hospitalares. Doenças como derrame cerebral, embolia pulmonar, infarto do miocárdio, trombose venosa profunda, trombose arterial, varizes e má circulação, podem ser identificadas com o check-up vascular.

STHEFANO ATIQUE GABRIEL, Cirurgião vascular

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por