Robo.art recebe artista transmídia em última sessão de 'Corpomáquina'

ARTE MULTIMÍDIA

Robo.art recebe artista transmídia em última sessão de 'Corpomáquina'

Apresentação de solo de Vinicius Francês no Youtube e Facebook, neste sábado, 10, será seguida de papo com Pedro Galiza


'Corpomáquina' trata da relação entre o ser humano e a tecnologia
'Corpomáquina' trata da relação entre o ser humano e a tecnologia - Jose Vitor Gomes/Divulgação

O coletivo de arte multimídia Robo.art, de Rio Preto, está levando ao extremo os limites das fronteiras entre as linguagens artísticas desde que se propôs a criar uma versão online para seu espetáculo "Corpomáquina", que faria circulação pela cidade em projeto contemplado no Prêmio Nelson Seixas, da Secretaria Municipal de Cultura, se não fosse a pandemia da covid-19.

A última apresentação desse novo trabalho em torno do solo protagonizado pelo dançarino Vinicius Francês, que coloca em discussão a relação entre o ser humano e a tecnologia, será realizada neste sábado, 20h, no Youtube do Robo.art. A transmissão também será feita pelo Faceboook.

Assim como as duas anteriores, a sessão será seguida de bate-papo mediado pela artista multimídia Luciana Ramin, do Agrupamento Andar7, de São Paulo. O convidado da vez é o artista transmídia Pedro Galiza, pessoa não-binária cujo trabalho como artista do corpo engatilha propostas de criações que se estendem por diversos fazeres: na arte da ação, na performance, na música, no audiovisual, na dança, no teatro, na moda.

"Para essa última apresentação propomos a reflexão sobre a questão latente de 'lives e não-lives', assim como dessa crescente demanda da utilização de mecanismos audiovisuais nos tempos atuais", destaca Vinicius Dall'Acqua, diretor de "Corpomáquina".

O grupo ainda lançará um documentário no Youtube sobre o processo de concepção da versão virtual de "Corpomáquina", que nasceu durante uma imersão de 15 dias em uma chácara da região de Rio Preto.