Poeta Zulmira Nery Praxedes morre em Rio Preto aos 95 anos

LITERATURA

Poeta Zulmira Nery Praxedes morre em Rio Preto aos 95 anos

Última publicação da poeta e escritora havia sido feita no livro 'No Cárcere com o Corona', da Ponto Z


Dona Zulmira na sessão de autógrafos de 'Zulmira de Z a A'
Dona Zulmira na sessão de autógrafos de 'Zulmira de Z a A' - Divulgação

Natural de Aramari, na Bahia, a poeta e escritora Zulmira Nery Praxedes morreu em Rio Preto na manhã desta terça-feira, 8, aos 95 anos, na casa de repouso Santa Fé. Aluna do projeto de formação literária da Casa das Flores, ela havia publicado, no início do ano, "Zulmira de Z a A", em que revisitava sua trajetória de vida por meio do cordel, a genuína poesia da cultura nordestina.

Sua mais recente publicação havia sido feita no livro "No Cárcere com o Corona - Memórias etílicas, idílicas ou nem tanto", coletânea de reflexões em torno da pandemia da covid-19 que a editora Ponto Z lançou há cerca de duas semanas.

Confira o texto de Dona Zulmira que integra a coletânea "No Cárcere com o Corona":

"Casa de Repouso Santa Fé, 7 de junho de 2020.

Estou há três meses aqui aguardando os desígnios de Deus.

Este não é meu mundo. Estou no planeta Terra, que em nada se assemelha ao mundo que eu deixei para trás — não parece o Planeta Terra. Nosso mundo anda cheio de expectativas e projetos. Aqui estamos isolados em uma clínica. Sem saber por que e para quê. Muita gente morrendo com um vírus desconhecido. Tudo muito fechado. Não podemos receber visitas nem visitar. O que aconteceu? Onde estão meus amigos, nosso povo, nossa gente? Esse não é o meu mundo. Cadê o Planeta Terra, com seus movimentos de rotação e translação?"

O corpo de Dona Zulmira está previsto para ser enterrado na manhã desta quarta-feira, 9, no Cemitério Jardim da Paz, em Rio Preto. Em respeito aos riscos que a pandemia nos impõe, o velório será reservado ao pequeno núcleo familiar constituído por uma filha, uma irmã e três netos.