Série de vídeos do Sesc dá espaço à música autoral de Rio Preto

MÚSICA

Série de vídeos do Sesc dá espaço à música autoral de Rio Preto

Criações de artistas e grupos da música de Rio Preto ganham destaque na programação online realizada pelo Sesc durante o período de pandemia


Kelvin Miura, da Capivaras Kill, gravou vídeo interpretando sua música 'Jane'
Kelvin Miura, da Capivaras Kill, gravou vídeo interpretando sua música 'Jane' - Fotos: Reprodução

Evidenciando a cena artística de Rio Preto por meio de ações realizadas dentro de sua programação online, o Sesc destaca a produção autoral da música da cidade com o projeto "Autorais", em que artistas e grupos musicais são convidados para apresentar suas criações em versão acústica. Os registros em vídeos podem ser conferidos tanto no site do Sesc (sescsp.org.br/riopreto) como em suas redes sociais (Facebook, Instagram e Youtube).

Pelo projeto "Autorais", 14 artistas já apresentaram suas composições próprias. A ideia é oferecer espaço para a produção autoral no ambiente virtual, que foi tomado pelas lives de artistas famosos ou de bandas que tocam músicas consagradas pelo público. "A proposta partiu da necessidade de fomentar essa produção de conteúdo singular frente a escassez de espaços mais alternativos. Antes do isolamento social, o Sesc realizava presencialmente o projeto 'Sonora', que abria espaço para as produções autorais, assim, a ideia foi também de dar continuidade a esse projeto já realizado pela instituição", pontua a técnica de programação Edimeire Piovezam.

Os vídeos são gravados e editados pelos próprios músicos em suas residências, respeitando o atual período de isolamento social. Há até composições inéditas, criadas durante no calor da pandemia: "Mundo Breve", do cantor, músico e compositor Zeca Barreto.

Na série "Autorais", também possível conferir "Little Boy" (2018), música do guitarrista e blueseiro Lucas Rocha; "Até Logo" (2016), da banda de rock Psicodella, que no vídeo é interpretada pela vocalista Anie Doná, autora da letra; o reggae "Pra Onde Você Quiser" (2015), de Robson Lodi (Dubaruts); e "Jane", do músico e cantor Kelvin Miura, da Capivaras Kill.

Ainda há nomes como Ananda, Kelly Boschetti, Andre Madi, Soledad, José Cássio Jaber (que interpreta a canção "Celeste", composta em parceira com André Fernandes), Esdras Nunes, Joe Ara, Carlos Alecrim e Eduardo Coleone.

Para os próximos episódios de "Autorais", estão previstas as participações de Adriane Calixto, Deise Marane, Samuel Nunes, Gustavo Bombonato, Fernando Nasal, Enúbio Queiroz, Mariana Carvalho, Romualdo Simas, Taroba, Tainá Maia, Márcia Morelli, Diego Guirado e MC Grá.

Reprodução

Outro projeto do Sesc Rio Preto voltado à cena local é o "Teatro, Leituras e Performatividade", cuja programação digital é composta por quatro episódios de leituras performáticas de dramaturgias contemporâneas brasileiras, interpretadas por artistas da cidade. O último episódio da série foi lançado na sexta, 4, nas redes sociais.

"A proposta era explorar a dramaturgia contemporânea brasileira com o objetivo de apresentar novos olhares desses textos, aplicados em diversos formatos como leituras, performances ou cenas. Nós indicamos os temas, que deveriam girar em torno do amor, do íntimo, da memória e da arte e tanto a pesquisa do material quanto dos dramaturgos partiu dos artistas", explica o técnico de programação Mateus Santos.

No primeiro quadro do projeto, a atriz e integrante da Cia. Cênica Simone Moerdaui traz sua interpretação sobre o recorte do íntimo, em um fragmento do texto "Mão e Pescoço", do dramaturgo, diretor e cineasta paraense Elzemann Neves.

Abordando a temática do amor, Fabiano Amigucci, professor de teatro e membro da Cia. Cênica, apresenta sua releitura do texto "Esta Madrugada é a Primeira do Mundo", do dramaturgo Gustavo Colombini.

O terceiro vídeo da série traz um olhar sobre a arte com a atriz e performer Vanessa Cornélio, do Asa de Borboleta Performance Art, em uma interpretação do trecho do texto "La Bruja", de sua autoria. O texto retrata a vida e obra da artista Frida Kahlo.

Encerrando o projeto e se conectando com o tema memória, o ator Ícaro Negroni, também integrante da Cia. Cênica, faz a leitura dramática de "A Festa de São João", cuja autoria é da jornalista Graziela Delalibera.