Zé Neto & Cristiano querem rotina de shows mais leve após a pandemia

SERTANEJO

Zé Neto & Cristiano querem rotina de shows mais leve após a pandemia

Em coletiva online feita pelo Rezenha Musical, dupla de Rio Preto revelou que quer uma agenda de shows mais leve após a pandemia


Zé Neto & Cristiano fizeram uma espécie de coletiva online na quinta-feira, 23
Zé Neto & Cristiano fizeram uma espécie de coletiva online na quinta-feira, 23 - Divulgação

Dupla de Rio Preto que é sucesso em todo o País, Zé Neto & Cristiano querem, após a pandemia da Covid-19, uma agenda de shows mais leve do que a que encararam nos últimos anos, tendo a oportunidade de ficarem mais próximos à família. Os sertanejos participaram de uma espécie de entrevista coletiva online na noite de quinta-feira, 23, organizada pelo Rezenha Musical, fazendo um balanço da carreira nesse período de distanciamento social.

A dupla rio-pretense revelou que pretende manter a realização de lives, apesar das críticas recebidas em suas primeiras transmissões ao vivo pelo consumo de bebidas alcoólicas e por ter proferido vários palavrões. "Nós somos pais. Temos que dar um bom exemplo", reconheceu Zé Neto.

Cristiano justificou que, nas lives, não existe aquele compromisso com o público como ocorria nas apresentações em palco. "Em um show no palco, reconhecemos que a pessoa pagou o ingresso e até viajou para nos ver, fazendo o esforço de ir trabalhar cansada no outro dia. Por isso, temos que dar o nosso melhor. Já na live, não havia esse compromisso. A gente avisou que era como se a gente estivesse em casa fazendo churrasco."

Segundo a dupla, a pandemia da Covid-19 atrapalhou o lançamento do DVD "Por Mais Beijos ao Vivo", cujo show foi gravado em Belo Horizonte. "Tínhamos planejado fazer de um jeito e rolou de outro. No momento em que o DVD de BH iria estourar veio o coronavírus", disse Zé Neto, sinalizando que a dupla já tem um novo repertório pronto para trabalhar, mas ainda não sabe como serão suas ações dentro da nova normalidade.  "A gente fica meio perdido porque tudo é muito novo agora", destacou Cristiano.

Sobre a crise provocada pela pandemia no segmento musical, a dupla informou que tem se esforçado para manter a sua equipe, que conta com cerca de 45 funcionários. "Mantivemos do jeito que deu. Nossa rotatividade de gastos continua. Tem o artista e tem a empresa, que precisa ser gerida para não abrir falência. Graças a Deus conseguimos manter os funcionários", comentou Cristiano.

"A pandemia veio para separar homens dos meninos. Quando iríamos imaginar que estaríamos fazendo live para sobreviver. A pandemia mostrou que o ser humano consegue buscar meios para se manter. Vimos que conseguimos sobreviver com outros tipos de vida, outros tipos de trabalho. Porém, é claro que não se ganha como se ganhava antes", ressaltou Zé Neto.