Sarau rio-pretense terá versão online neste domingo

VERSOS QUE TE FIZ

Sarau rio-pretense terá versão online neste domingo

Iniciativa da poetiza e escritora Mayara Ísis, Versos Que Te Fiz completa um ano de trajetória neste mês


Mayara Ísis é idealizadora e organizadora do Sarau Versos Que Te Fiz
Mayara Ísis é idealizadora e organizadora do Sarau Versos Que Te Fiz - Reprodução/Facebook

Iniciativa da poetiza e escritora Mayara Ísis, de Rio Preto, para reforçar a partilha de afetos por meio da poesia e da música, o sarau Versos Que Te Fiz, que completa um ano de história neste mês, terá sua terceira edição realizada neste domingo, 21, em formato virtual. A transmissão online será feita a partir das 17h, no perfil do sarau no Instagram (@sarauversosquetefiz).

Depois de duas edições físicas, realizadas no ano passado, o Versos Que Te Fiz ganha o ambiente virtual devido à pandemia do novo coronavírus, que forçou o distanciamento social. Por outro lado, a realização do evento nesse formato possibilitou que Mayara contasse com a participação de convidados de outras localidades. "São amigos e amigas que sempre quis ter presentes no sarau, mas devido à distância exigia um certo investimento para o deslocamento até Rio Preto. O formato online permitiu essa aproximação", conta ela.

A terceira edição do Versos Que Te Fiz conta com quatro convidados fixos, chamados pela idealizadora do sarau como agentes oficiais de partilha de afetos: o poeta, compositor e artista visual Di Preto, de São Paulo, o poeta e professor Vagner Farias, do Recife (PE), a historiadora, escritora e poetiza Carolina Rocha (Dandara Suburbana), do Rio de Janeiro, e a poetiza rio-pretense Ana Cabral, que atualmente reside em Curitiba.

Além dos convidados, qualquer pessoa pode se inscrever para participar do sarau, seja com uma poesia ou uma música. Basta entrar em contato por meio das redes sociais do Versos Que Te Fiz. Desde sua primeira edição, o evento também conta com a hashtag #tedengo, uma espécie de correio elegante permanente para incentivar o público a compartilhar afetos, e não apenas de forma romântica. "Pode ser um 'dengo' para um amigo ou amiga, irmão ou irmão, pai ou mãe", explica. 

Segundo Mayara, o momento da sociedade reforça ainda mais a urgência da partilha de afetos, tornando o sarau ainda mais oportuno na pandemia da Covid-19.