SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | TERÇA-FEIRA, 21 DE SETEMBRO DE 2021
SANTA FÉ DO SUL

Morre Leopoldo Nunes, premiado cineasta da região que foi diretor da Ancine

Artista produziu o documentário Profeta das Cores e o longa O Profeta das Águas, ambos ambientados na região

Arthur PazinPublicado em 26/05/2020 às 20:00Atualizado há 07/06/2021 às 02:50
Leopoldo Nunes da Silva FilhorNascimento: 24/02/1966rLocal: Santa Fé do Sul (SP)rMorte: 26/05/2020rLocal: Cuiabá (MT)rPai de: Diana, Francisco e Lúcia Nunes  (Arquivo Pessoal)

Leopoldo Nunes da Silva FilhorNascimento: 24/02/1966rLocal: Santa Fé do Sul (SP)rMorte: 26/05/2020rLocal: Cuiabá (MT)rPai de: Diana, Francisco e Lúcia Nunes (Arquivo Pessoal)

Morreu, na tarde desta terça-feira, 26, em Cuiabá, o cineasta, roteirista, diretor de TV e gestor brasileiro, Leopoldo Nunes. Nascido em 1966, em Santa Fé do Sul, Leopoldo teve complicações após uma crise hemorrágica no estômago, segundo informações da família.

O cineasta sofria de crises hepáticas e, nos últimos anos, adquiriu um problema no estômago por conta de varizes. Na tarde de ontem, 25, ele passou mal e foi levado ao Hospital Municipal da capital matogrossense, onde foi a óbito às 16 horas de hoje.

Em sua carreira, Leopoldo foi Diretor-Presidente da Agência Nacional do Cinema (Ancine) e participou da implementação da TV Brasil, além de ter coordenado a campanha de Edinho Araújo, atual prefeito de Rio Preto, em 2000 e 2004, quando o chefe do Executivo ainda concorria pelo PPS, agora Cidadania.

De acordo com Edinho, o olhar apurado de Leopoldo Nunes fará falta nestes tempos conturbados. "Ele tinha uma paixão especial pelo cinema. Levou a saga de Antônio, o Profeta das Águas, para as telas, com sensibilidade e brilhantismo", comentou o prefeito.

Com uma extensa carreira na área do Cinema, o santafesulense recebeu o prêmio de Melhor Documentário no 28º Festival de Brasília, em 1995, pelo curta O Profeta das Cores, inspirado em Antônio da Silva Nascimento, o Toninho , artista de quadros de Rio Preto que foi submetido a exames em Franco da Rocha e internado em manicômio por "ideias delirantes".

Em 2005, dirigiu, junto a Reinaldo Volpato, seu primeiro longa-metragem: O Profeta das Águas, filme gravado na região que retrata a inundação em Rubinéia, em 1973, no período de construção da hidrelétrica de Ilha Solteira. A obra inspirou também a peça  Terra Abaixo, Rio Acima, produção da Cia. Cênica, de Rio Preto, em 2016.

Atualmente, Leopoldo aguardava para assumir um cargo de assessor de cultura no mandato do deputado estadual Mário Maurici (PT/SP). Engajado na política, ele começou a militância ainda aos 18 anos, quando ingressou no movimento cineclubista de Ribeirão Preto.

Além da Ancine, por diversas vezes, exerceu cargos vinculados ao Governo do PT. Em 2003 e 2004, foi Chefe de Gabinete e Secretário Substituto da Secretaria Especial de Cultura (SAv/Ministério da Cultura). Entre 2004 e 2006, foi Diretor de Patrocínios da Secretaria de Comunicação da Presidência do país, cargo onde ficou até chegar à Ancine.

De 2009 a 2011 foi Secretário de Cultura de São Bernardo do Campo, ocasião em que atuou na recuperação da Companhia Cinematográfica Vera Cruz. Na sequência, Nunes atuou como assessor da Presidência da Riofilme S/A para alguns editais e em 2013 foi nomeado titular da SAv (Secretaria do Audiovisual) pela então ministra Marta Suplicy. 

Para Reinaldo Volpato, que foi gerente executivo de programação da TV Brasil junto ao amigo e parceiro, seu trabalho foi indispensável, uma vez que Leopoldo conseguiu integrar todas as TVs públicas do Brasil em sua gestão.

"Um trabalho muito forte que deixa um legado de obras e prêmios e uma luta importante na política, tendo implementado diversas políticas públicas na Ancine e criado articulações com entidades e secretarias, levando recursos e ampliando equipes", disse o também cineasta.

O corpo do cineasta está sendo velado no velório municipal de Santa Fé do Sul. O sepultamento se dará as 17h30 no cemitério São João Batista. 

Leopoldo Nunes como ator no vídeo ao fundo, durante edição de Reinaldo Volpato do filme Linhas Tortas (Arquivo Pessoal)
Leopoldo Nunes ao lado de Reinaldo Volpato no Festival de Goiás, durante premiação de O Profeta das Águas (Arquivo Pessoal)
Leopoldo Nunes ao lado de Reinaldo Volpato durante sessão solene do filme O Profeta das Águas no Festival de Brasília, em 2005 (Arquivo Pessoal)
 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por