SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SÁBADO, 20 DE AGOSTO DE 2022
IKIGAI

Como conciliar a sua profissão com o seu propósito de vida

De acordo com a tradição japonesa, todos possuem um "ikigai", mas a maioria das pessoas não consegue encontrar esse propósito de vida ou não vive de acordo com ele

Da Redação
Publicado em 31/07/2022 às 08:04Atualizado em 31/07/2022 às 08:04
Mandala Ikigai (Reprodução)

Mandala Ikigai (Reprodução)

Conciliar o emprego com o propósito de vida pode ser um desafio para muita gente. Por isso, ferramentas são criadas para auxiliar essa busca entre algo que proporcione um prazer e fonte de renda aos trabalhadores. O Ikigai é uma filosofia que auxilia na descoberta de como viver bem e encontrar propósito.

Mais do que uma filosofia, o Ikigai é um estilo de vida. O termo surgiu em Okinawa, um conjunto de ilhas no Sul do Japão com moradores centenários, que afirmam que Ikigai é o segredo para a longevidade.

Segundo Rafael Freccia, fundador da Protagonize, Escola de Soft Skills, essa técnica é aplicada no Brasil por meio de uma mandala criada por Francesc Miralles e Héctor García, pesquisadores que viajaram até as ilhas Okinawa e entenderam os hábitos dos moradores e traduziram para a realidade ocidental.

"Eles entenderam que a Mandala Ikigai é composta por quatro pilares que devem coexistir em equilíbrio e perceberam então que, juntando esses quatro pilares, a gente consegue alcançar a realização pessoal e profissional", conta.

A primeira pergunta é "o que eu amo?", que busca trazer pontos em que determinada pessoa se sente realizada em fazer, que traz um sentimento de preenchimento, de satisfação. "Essa atividade costuma ser aquela em que a pessoa perde a noção das horas, se entrega de coração e não precisa se preocupar muito, porque ela curte o processo de realizar essa atividade", diz.

A segunda questão é "no que eu sou bom?", que busca refletir sobre as habilidades dessa pessoa. O especialista afirma que as habilidades são definidas a partir da história de vida de cada um. Sejam habilidades sociais, artísticas, analíticas ou emocionais, tudo pode ser utilizado na mandala. "Cada história traz características para as pessoas. Então uma pessoa pode ser, por exemplo, muito boa comunicadora porque ela fez teatro ou fazia apresentação em colégio".

O terceiro pilar é "o que eu posso ser pago para fazer?", ou seja, aquilo que garante sustento, equilíbrio e sustentabilidade. É possível que esse trabalho seja feito através de permuta, através de um serviço que garanta uma moradia, alimentação, segurança ou propriamente uma remuneração financeira também. "Então essa pessoa pode encontrar em um serviço, uma profissão, um freela ou até um projeto grande que dure meses".

O quarto pilar é "o que o mundo precisa?", que trabalha a questão de alinhar os valores pessoais, habilidades com os valores, a cultura do mundo hoje. Então se eu consigo unificar uma atividade que eu amo, que eu tenho talento, que me pagariam pra fazer e que contribui para o mundo eu trago o sentimento de razão de viver, satisfação'

Busca constante

Segundo o especialista, o Ikigai pode mudar de acordo com a fase da vida da pessoa. Por isso é necessário refazer a mandala conforme a fases da vida. "O meu Ikigai há cinco anos já é diferente do meu Ikigai hoje, porque ele é algo subjetivo, Ele é uma hipótese daquilo que a gente é, então sempre ajustando conforme o amadurecimento, experiências e o processo de autodescoberta. Por isso eu falo, pra não se apegar e não colocar tanta pressão assim no Ikigai porque é natural que ele vá se moldando conforme a nossa personalidade te molda", finaliza Rafael.

(Colaborou Júlia de Britto)

COMO ENCONTRAR SEU IKIGAI?

Faça as quatro perguntas essenciais:

O que eu amo? – Escreva uma lista de absolutamente tudo o que você ama! Pense nas coisas que te fazem bem e te deixam empolgado;

No que eu sou bom? – Também lembre-se de anotar todos os seus talentos, até mesmo os mais estranhos. Isso te ajudará a enxergar a amplitude do seu potencial;

Eu posso ganhar dinheiro com o que? – Quais itens das listas anteriores podem trazer dinheiro para custear suas necessidades?

O mundo precisa de alguma coisa que eu posso oferecer? – Quais problemas você gostaria de resolver no mundo? Como você se conecta com esses problemas?

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por