Funcionários e empresas de Rio Preto se adaptam ao home office

Minha Casa, Meu Trabalho

Funcionários e empresas de Rio Preto se adaptam ao home office

Mercado começa a oferecer oportunidades para trabalhar de casa; neste novo cenário criado pela pandemia, profissionais com perfil proativo e que demonstrem bom relacionamento têm mais chances


Karine Albieri foi contratada para trabalhar de casa: quarto virou escritório
Karine Albieri foi contratada para trabalhar de casa: quarto virou escritório - Johnny Torres 18/6/2020

A líder de treinamento Karine Moreira Albieri, 31 anos, não imaginava que um dos quartos da casa em que mora com o marido de repente precisaria se transformar em um escritório. Recém-contratada em uma empresa de call center, desde o primeiro dia ela passou a desempenhar suas funções no sistema de trabalho home office. "É algo muito novo, mas os desafios são os mesmos do que em um trabalho presencial". Em Rio Preto, ainda que timidamente, a oferta de emprego para home office começa a surgir.

Karine é o exemplo do que passou a ser novo modelo de trabalho no Brasil, tendência que deve continuar mesmo após o período de quarentena - que exigiu regras de isolamento social. Um levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV) estima que o número de empresas que pretendem adotar o home office após a crise do novo coronavírus deve crescer 30% no país. Essa estimativa faz parte do estudo Tendências de Marketing e Tecnologia 2020: Humanidade Redefinida e os Novos Negócios, de abril.

Assim com milhares de brasileiros, Karine perdeu o emprego depois que a empresa onde ela trabalhava teve de suspender as atividades no início quarentena. Antes de assinar a rescisão, ela permaneceu algumas semanas afastada do trabalho. Foi nesse intervalo que a profissional passou a procurar por outras oportunidades de emprego até ser selecionada para participar de um processo seletivo na Cobmax. "Fiquei apenas um dia desempregada entre o desligamento da empresa antiga e assinatura do contrato no novo trabalho".

Karine não foi a única. Durante a pandemia, a empresa de call center Cobmax contratou 167 novos funcionários que iniciaram suas funções já nesse novo sistema de trabalho. Desse número, 104 foram selecionados para reforçar o time de vendedores da empresa. Ao todo, a companhia conta com 457 colaboradores, todos trabalhando de casa.

Para os próximos dias, a Cobmax anuncia que abrirá 30 novas oportunidades de trabalho para diferentes cidades da região. Agora, com as regras de distanciamento, todo o processo seletivo está sendo feito de forma virtual.

"Antes, os primeiros contatos já eram realizados de maneira online com os candidatos, mas com o distanciamento a entrevista também deixou de ser presencial e passou a ser por videoconferência", afirma Ana Luíza Santana, analista de Recursos Humanos da empresa.

Ela explica que a assim que a empresa entra em contato com o candidato, ele já é informado sobre a nova rotina e modelo de trabalho. O trabalhador que demonstrar interesse e for selecionado no processo seletivo recebe um material com informações sobre a empresa e passa por um treinamento virtual. A empresa não exige que o candidato tenha computador e internet antes de participar da seleção.

"Estamos tendo um retorno bastante positivo com relação à produtividade e adaptação dos funcionários que passaram a trabalhar de casa. Nós estamos fazendo um acompanhamento em tempo real e a única coisa que eles dizem sentir bastante é com a falta de contato", afirma a analista. Para minimizar o distanciamento, os funcionários começaram a realizar encontros e até happy hours virtuais. Ela ainda afirma que a empresa estuda a possibilidade de manter parte dos colaboradores trabalhando em casa, mesmo após o fim do isolamento social.

Desafio

Trabalhar em home office oferece a vantagem de estar no conforto de casa, mas exige maior concentração do profissional em conseguir distinguir os momentos de lazer com as obrigações. "Eu faço todo um ritual antes de começar a trabalhar, como se tivesse que sair de casa", explica Karine. Ela conta que para entrar no clima, troca o pijama pela roupa de trabalho e se despede do marido, mesmo sabendo que ele estará no cômodo ao lado.

Para que o desafio possa se transformar em uma experiência positiva, é preciso contar também com a cooperação dos outros moradores da casa, reforça a líder de equipe. "Meu marido não tem acesso ao quarto durante meu período de trabalho. Mas, a gente delimita a cozinha e o banheiro como áreas comuns", afirma.

Neste novo cenário, profissionais com perfil proativo e que demonstrem bom relacionamento interpessoal têm mais chances de aprovação. "Acho que todo mundo ainda está se adaptando. Eu mesmo estou fazendo essas entrevistas online há três meses e ainda não me acostumei", destaca a recrutadora. Para os futuros candidatos, ela orienta que para se destacar na hora da entrevista é preciso ter foco e tranquilidade para conversar remotamente. "É preciso se entregar para a entrevista", finaliza.

Com os processos de recrutamento adaptados para versão online, os candidatos que buscam uma recolocação no mercado de trabalho precisam estar atentos às mudanças na forma de seleção. Fazer uma entrevista virtual exige a mesma preparação necessária para uma entrevista presencial, afirma Ellen Leandra Anholeto, especialista em recursos humanos e diretora da Action RH.

Ela reconhece que esse processo é novo para todos, inclusive para os recrutadores, mas algumas ações podem ajudar na contratação. "Nós pedimos que a pessoa se vista de maneira adequada e encontre um lugar reservado da casa que não tenha muito barulho ou fluxo de pessoas".

Ellen ressalta que durante a entrevista virtual o candidato deve manter a atenção voltada para a recrutadora e tente não se distrair com barulhos do ambiente externo. "O recrutador sempre está olhando o contexto geral. Ele avalia que a forma com a qual o candidato se porta durante a entrevista será a maneira em que ele vai trabalhar no dia a dia", destaca a profissional.

Após ser contratado, a orientação para a pessoa ter um bom aproveitamento é criar um planejamento. A especialista destaca é necessário fazer um check-list para acompanhar a produtividade diária e, assim, conseguir seguir uma rotina diária. Outro ponto importante é se preparar para trabalhar em casa.

Ellen reforça a tendência de que as empresas foquem mais no sistema home office, mesmo após o fim da quarentena. "Hoje, as empresas estão sentindo uma melhora no nível de produtividade e de resultado dos seus colaboradores porque ganha-se tempo", finaliza. (FN)

Apesar de ter registrado uma perda superior a 3,3 mil postos de trabalho em abril - segundo dados do Caged - Rio Preto apresentou um leve aumento nas ofertas de trabalho. As vagas são disponibilizadas diariamente pelo Balcão de Empregos da Secretaria do Trabalho e do Emprego.

Na quinta-feira, 18, a cidade tinha 122 vagas disponíveis no cadastro da Prefeitura. Há um mês, no dia 18 de maio, eram 61. Pouco antes do início da pandemia, no dia 16 de março, eram 508.

Segundo o secretário da pasta, Edemilson Favaron, um dos fatores que auxiliaram no aumento do número de vagas na cidade foi a procura por funcionários que trabalhem no modelo home office. Embora não haja um número de exato de vagas do tipo, sabe-se que têm crescido.

Nesta quinta-feira, por exemplo, havia dez oportunidades para corretor de seguros para operação home office. "Passamos a ter oportunidade de trabalho para a atendente de negócios e consultores de vendas, por exemplo, que são serviços online. Essas eram vagas que não tínhamos na cidade".

Favaron ressalta que algumas empresas passaram a anunciar vagas para trabalho de telemarketing e corretor de seguros, que são funções nas quais o trabalhador pode desempenhar de casa. "Isso mostra que as empresas estão se reinventado para conseguir sobreviver". (FN)