SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 20 DE JANEIRO DE 2022
LUTO

Morre ex-docente da Unesp

Docente faleceu após complicações de um câncer no pâncreas, doença descoberta por ela nas últimas semanas; No Ibilce, a ex-professora lecionou Língua Espanhola para cursos de Letras e Tradutor

Arthur Pazin
Publicado em 01/03/2021 às 20:08Atualizado em 06/06/2021 às 11:00
Docente faleceu após complicações de um câncer no pâncreas, doença descoberta por ela nas últimas semanas; No Ibilce, a ex-professora lecionou Língua Espanhola para cursos de Letras e Tradutor (Divulgação)

Docente faleceu após complicações de um câncer no pâncreas, doença descoberta por ela nas últimas semanas; No Ibilce, a ex-professora lecionou Língua Espanhola para cursos de Letras e Tradutor (Divulgação)

Morreu, nesta segunda-feira, 1º, aos 61 anos, em Florianópolis (SC), a ex-professora do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce/Unesp) de Rio Preto Ana Mariza Benedetti. 

Nascida em Treze de Maio (RS), a docente faleceu após complicações de um câncer no pâncreas, doença descoberta por ela em dezembro. Formada em Licenciatura em Letras (português/espanhol) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1985), Ana Mariza fez doutorado em "Filología Española I", na Universidade Complutense de Madrid (1993) e pós-doutorado em Ensino e Aprendizagem de Português e Espanhol como línguas adicionais na Stockholms Universitet (2010).

Em sua carreira, foi professora adjunta de língua espanhola na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), em 1994 e 1995, e professora assistente doutora da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, câmpus de Rio Preto (Ibilce), entre 1995 e 2016, lecionando para cursos de Letras e Tradutor.

Na Unesp de Rio Preto, atuou também como líder do grupo de pesquisas Tecnologias nos Estudos da Linguagem (TEL), vinculado ao Departamento de Letras Modernas, foi pesquisadora principal do projeto temático "Teletandem Brasil: Línguas estrangeiras para todos", apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), entre 2007 e 2010, e chefe do Departamento de Letras Modernas (DLM) por mais de uma gestão e vice-coordenadora do programa de pós-graduação em Estudos Linguísticos.

Ana Mariza possuía experiência na área de Linguística Aplicada, com ênfase em Ensino de Língua Espanhola como Língua Estrangeira, atuando principalmente nos seguintes temas: análise e tratamento de erros, interlíngua, interculturalidade, estratégias de aprendizagem e de comunicação, crenças, ensino para fins específicos, ensino a distância e novas tecnologias para o ensino de Língua Estrangeira.

A professora doutora Suzi M. Spatti Cavalari, que é também coordenadora do laboratório Teletandem, foi orientada por Ana Mariza em seus projetos de mestrado e doutorado, quando investigou, respectivamente, correção de erros e auto avaliação durante aprendizagem de língua estrangeira.

De acordo com ela, um dos motivos para mudar de tema na pós-graduação foi justamente influência da proposta na qual sua ex-orientadora estava engajada. "A Ana era uma fortaleza, era uma pessoa sábia e muito forte e tinha habilidade de motivar e conduzir as pessoas a quererem fazer o seu melhor", avaliou a docente, que também foi colega de departamento de Ana Mariza.

"Sempre ouvi da boca dela palavras de muita gentileza, generosidade e de muito cuidado com todo mundo. Era um ser humano ímpar, de um tipo que hoje está em falta. Seu comprometimento e dedicação ao trabalho é coisa rara de se ver", acrescentou Cavalari, que ressaltou a vivência da ex-professora na cultura de diferentes países da língua espanhola.

Segundo a professora doutora Sandra Denise Gasparini Bastos, que leciona Língua Espanhola para os cursos de graduação em Letras e Tradutor, no Ibilce, e atualmente é chefe do Departamento de Letras Modernas, Ana Mariza atuou intensamente na graduação como professora de espanhol.

"Ela deu disciplinas para todos os níveis, atuando também na área de prática de tradução em espanhol", contou a docente, que lembrou que Ana Mariza foi peça fundamental em um período em que havia falta de professores da área na universidade. "Durante uma fase, ela e a professora Rosa Maria da Silva assumiram uma altíssima carga de aula e trabalharam bastante para atender a demanda necessária", disse.

Sandra também destacou que Ana Mariza orientou muitos mestrandos e doutorados, bem como alunos de estágio básico e iniciação científica em seu período à frente do Teletandem, com diversos projetos, inclusive, vinculados à Fapesp. "Ela fez um trabalho de formação muito grande de alunos, tanto na graduação como na pós", afirmou a docente, que disse também que a ex-professora participou de todas as comissões para seleção de intercâmbio, aluno bolsista e monitoria da área de espanhol e do DLM, do campus.

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por