SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
"TRIBUNAL DO CRIME"

Integrante do PCC é condenado a 41 anos de prisão

Ele recebeu pena de 41 anos e seis meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, agravado pela prática de grupo de extermínio

Arthur Pazin
Publicado em 03/12/2020 às 19:29Atualizado em 06/06/2021 às 16:25

Um homem foi condenado pela Justiça de Tabapuã, na última quarta-feira, 2, pela atuação como membro da alta hierarquia da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). A sentença da juíza Patricia da Conceição Santos atendeu a uma ação impetrada pelo Ministério Público (MP) do Estado de São Paulo.

Antônio Reis dos Santos, conhecido como Tonhão, é de Catanduva e recebeu pena de 41 anos e seis meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, agravado pela prática de grupo de extermínio. Ele foi preso em setembro de 2018 apontado como sintonia, o homem com a função de dar a ordem para matar aqueles que desrespeitavam a organização criminosa liderada por presos.

Na época, o réu foi apontado como autor da execução de Alexandre Pereira de Souza , cujo corpo foi encontrado em adiantado estado de decomposição, na zona rural de Catiguá. A ossada da vítima foi localizada sem a mandíbula e falanges da mão direita, tendo sido executada em uma espécie de "tribunal do crime".

De acordo com o MP, a participação de um membro integrante do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que testemunhou e relatou as investigações conduzidas no âmbito da Operação Octopus, no julgamento foi peça chave para comprovar a posição ocupada pelo réu na organização criminosa.

(Colaboraram Francela Pinheiro e Marco Antônio dos Santos)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por