Moradores cobram cuidados em gramado do anel viário, em Rio Preto

Jardim Simões

Moradores cobram cuidados em gramado do anel viário, em Rio Preto

A vegetação em trecho da região Norte está seca e parte dela até foi destruída por queimada nesta semana


Pedro Colla, comerciante, mostra grama queimada 
no canteiro
Pedro Colla, comerciante, mostra grama queimada no canteiro - Marco Antonio dos Santos 9/10/2020

Moradores do Jardim Simões reclamam do abandono da grama plantada pela Prefeitura no canteiro central do anel viário, no trecho que passa pelo bairro, na zona Norte de Rio Preto. A vegetação está seca e parte dela até foi destruída por queimada nesta semana.

O trecho do canteiro central fica no final da avenida Antonio Antunes Júnior. Comerciante, Pedro Colla está revoltado com o abandono.

"Isto é um desperdício de dinheiro público. A avenida estava até bonita, mas depois foram deixando a seca tomar conta da grama. O que custa a Prefeitura mandar um caminhão-pipa para jogar água na grama duas vezes por semana?", reclama o comerciante.

Dono de uma oficina de bicicleta, Marcos Vinicius Storti gostou da obra do anel viário, mas pede mais empenho na manutenção. "O pessoal plantou a grama e deixou lá. Daqui a pouco vai morrer tudo e vão gastar novamente com replantio. Se estivesse cuidando, ainda estaria verdinho", comenta o proprietário.

Por meio de nota, a Prefeitura informou que monitora frequentemente os locais de plantio, "mesmo passando por um grave problema de estiagem e seca que torna crítico o abastecimento de água, com ações em andamento como o racionamento". O governo municipal orienta a população evitar queimadas, principalmente nas épocas com baixa umidade relativa do ar e altas temperatura.