Polícia Ambiental solta 11 animais silvestres na região

Operação São Francisco

Polícia Ambiental solta 11 animais silvestres na região


Polícia Ambiental liberta animais em mata de Guapiaçu
Polícia Ambiental liberta animais em mata de Guapiaçu - Divulgação/Polícia Ambiental

Policiais ambientais apreenderam 49 animais silvestres na região mantidos em cativeiro durante a operação São Francisco, nesta quinta-feira, 8. A ação, de combate ao tráfico de animais, também realizou a soltura de 12 bichos em região de mata de Guapiaçu, próximo ao rio Turvo. Entre os libertados estavam sete urubus, três jiboias, uma lontra e um filhote de gambá.

Segundo o major da Ambiental, Alessandro Daleck, parte dos animais era mantida em cativeiro por vendedores de espécies nativas, colocados em jaulas e gaiolas apertadas, com pouca ou alimentação inadequada.

Daleck afirma que os animais são capturados nas matas da região ou até trazidos ilegalmente de outras regiões do país.

Depois de fotografá-los, os traficantes fazem a venda dos animais em grupos fechados de redes sociais, para tentar evitar serem pegos pela polícia. Na região de Rio Preto, há tráfico de aves silvestres, principalmente canários, araras e maritacas.

"Todos os brasileiros deveriam se orgulhar da rica fauna existente no território nacional, a mais diversificada e também a que apresenta a mais alta taxa de espécies endêmicas do planeta", diz o oficial.

Foram cumpridos nesta quinta-feira oito mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça, que resultou na apreensão de seis armas e munições de vários calibres, além de armadilhas e outros petrechos comumente utilizados para caça, informou a Ambiental.

Três homens foram presos e um adolescente foi apreendido por tráfico de animais. Também foi lavrada uma multa de R$ 5,3 milhões por queimada em Planalto.

Crime ambiental pode gerar condenação pela Justiça a pena que varia de 6 meses a um ano de detenção, além de multa de R$ 500 no caso de animais não ameaçados de extinção e de R$ 5 mil para os ameaçados.