Homem é morto a tiros dentro de minimercado, em Rio Preto

VIOLÊNCIA

Homem é morto a tiros dentro de minimercado, em Rio Preto

Rapaz que cometeu o homicídio não foi identificado e está foragido


Acima, câmera do comércio mostra autor do crime ao fugir após os tiros dentro do mercado; ao lado, a vítima: Rafael Henrique de Vito, 26 anos
Acima, câmera do comércio mostra autor do crime ao fugir após os tiros dentro do mercado; ao lado, a vítima: Rafael Henrique de Vito, 26 anos - Fotos: Reprodução

O servente de pedreiro Rafael Henrique de Vito, 26 anos, foi morto por um homem a tiros na manhã desta quarta-feira, 7, dentro de um minimercado, no Nato Vetorasso, em Rio Preto. Os peritos contaram 22 perfurações no corpo da vítima. O autor, ainda não identificado, teria ficado com ciúmes da mulher, e cometeu o crime. Ele continuava foragido até a tarde desta quarta.

Segundo testemunhas, Rafael tinha acabado de sair do minimercado, onde foi para comprar pão, quando foi surpreendido pela chegada do autor.

Ao ver o homem armado, o rapaz correu para o interior do minimercado, mas foi perseguido. Durante a fuga, ele escorregou, próximo aos caixas, caiu, e acabou sendo baleado pelo agressor, que fugiu logo em seguida. Toda cena foi registrada por uma câmera de monitoramento do estabelecimento comercial e as imagens serão repassados para a Polícia Civil.

A mulher de Rafael, Camila Ferreira, 40 anos, conta que o marido comentou com ela que na terça-feira, 6, algo de estranho aconteceu no seu trabalho. "Ele contou que o homem ficou encarando ele, mas continuou trabalhando. Quando foi hoje (quarta-feira), acho que o cara deve ter seguido ele, e eles começaram a discutir na porta do minimercado", diz.

A viúva do servente não acredita que o marido tenha mexido com a esposa de outro homem.

"Acho que ele deve ter confundido o Rafael com outra pessoa, ou o motivo disto seja outra coisa que eu ainda não sei", diz a mulher.

Os peritos criminais contaram 22 ferimentos a bala (entre entrada e saída dos projéteis) no corpo do servente de pedreiro. Foram oito perfurações no braço esquerdo, cinco na cabeça, três no braço direito, uma pescoço, três no tórax, um nas nádegas e no pênis.

Foi localizado no local do crime três projéteis e mais nove cápsulas deflagradas e duas munições intactas, sendo todas de calibre nove milímetros.

O porta-voz do 17º Batalhão da Polícia Militar, tenente Cláudio Ziroldo afirma que, pelo tipo de munição encontrada no local, a suspeita é de que o autor tenha usado uma pistola automática para matar Rafael.

"Uma pistola automática padrão pode ter até 16 balas, mas há modelos que podem aceitar um pente com até 30 balas. Apenas um laudo com exame de balística poderá dar com exatidão qual o tipo de arma usada no crime", explica o tenente.

Ouvido pelo delegado de plantão, Marcelo Parra, que esteve no local do crime, o dono do minimercado reconheceu Rafael como cliente que diariamente fazia compras em seu estabelecimento, mas disse desconhecer a identidade do autor dos disparos.

"Por enquanto, a versão que temos é que o crime tenha sido praticado por motivo fútil, mas nós não identificamos quem seria o autor dos disparos".

Tia do rapaz, Rosana de Vito, 39 anos, conta que o sobrinho deixou dois filhos, uma menina de quatro anos e um menino de cinco. "Recebi a ligação da minha irmã que ele (Rafael) tinha levado tiros. Ele sempre foi muito tranquilo. Estava feliz em trabalhar. Foi uma covardia o que fizeram com ele", afirma.

Outros casos

Antes deste assassinato, a Polícia Civil registrou duas tentativas de homicídio em Rio Preto. Um homem de 37 anos foi baleado na coxa direita, no final da tarde de terça-feira, 6, durante uma briga com o irmão em casa, no Solo Sagrado. A vítima foi medicada na UPA Tangará e não corre risco de morte.

Também na terça-feira, um homem de 53 anos foi esfaqueado nas costas pela namorada, no Jaguaré. A mulher foi detida logo em seguida pela Polícia Militar, mas foi liberada após prestar depoimento na Central de Flagrantes, porque alegou ter agido em legitima defesa.