Reabertura de escolas tem poucos alunos em Rio Preto

Volta com distanciamento

Reabertura de escolas tem poucos alunos em Rio Preto

Apenas sete estudantes do ensino médio foram ao primeiro dia do retorno das aulas presenciais na Escola Estadual Deputado Bady Bassitt, no Anchieta. A unidade é a única pública de Rio Preto que já optou pela retomada


Na sequência, jovens se cumprimentam com o cotovelo; aluna vai higienizar as mãos com álcool em gel; funcionária orienta alunos no pátio; professores com três estudantes em sala
Na sequência, jovens se cumprimentam com o cotovelo; aluna vai higienizar as mãos com álcool em gel; funcionária orienta alunos no pátio; professores com três estudantes em sala - Guilherme Baffi

Depois de duzentos dias de atividades presenciais suspensas, apenas sete alunos compareceram à Escola Estadual Deputado Bady Bassitt, no bairro Anchieta, em Rio Preto, no primeiro dia da retomada das aulas. A unidade é a única da cidade e da Diretoria de Ensino que voltou a ter atividades presenciais nesta quarta-feira, 7.

Na entrada, aferição de temperatura corporal, limpeza do solado dos calçados em tapete sanitizante e álcool em gel. Depois uma rápida reunião com os sete estudantes e a representante da escola foi feita no pátio da instituição, para explicação sobre os protocolos da retomada. Nas salas de aula, carteiras indicando o distanciamento e em quais os alunos poderiam ou não sentar.

Três classes da escola foram separadas para acolher os estudantes, que tiveram aulas em tempo reduzido. Acostumados a entrar às 7h e sair por volta das 16h - a escola é de período integral -, os alunos vão entrar às 8h e sair às 11h40min.

Segundo a dirigente substituta regional de ensino de Rio Preto, Adriana Aparecida Campanholo do Prado, dos 318 alunos matriculados na escola Deputado Bady Bassitt, 40 demonstraram interesse em retornar. Contudo, apenas sete comparecem no primeiro dia. "Nesta quarta-feira, dia 7, voltou apenas a escola estadual Deputado Bady Bassitt. No dia 13, volta a escola Pio X, na Santa Cruz. As demais devem retornar em novembro". Apenas os ensinos médio e superior e a Educação de Jovens e Adultos (EJA) estão autorizados a voltar em Rio Preto - e o retorno é opcional. O fundamental 1 (do 1º ao 5º ano) já teve a volta adiada apenas para o ano que vem - neste ano, vai continuar de forma virtual. Sobre o fundamental 2 (do 6º ao 9º ano), ainda não há decisão da Prefeitura sobre a retomada. A previsão é que a decisão saia na segunda quinzena desse mês.

Dados da Diretoria de Ensino de Rio Preto apontam que 10.312 alunos estão matriculados no ensino médio da cidade, que é de responsabilidade do Estado. A Diretoria de Rio Preto conta com 49 escolas na região, sendo que 35 unidades estaduais ficam em Rio Preto. "Nesse momento o retorno é opcional, então foi feita a pesquisa com os pais para ver se teria demanda em cada escola. E ficou a critério da equipe da escola se retornariam", disse Adriana.

Entre os sete alunos que voltaram para a sala de aula nesta quarta-feira, dia 7, está Marcio José Martins Junior, de 16 anos. "Eu não estava fazendo os trabalhos em casa. Foi quando a escola chegou a ligar na minha casa para ver se meus pais gostariam que eu voltasse, aí resolvi retornar". Marcio junto com Henrique Rocha Bernardo, de 16, foram os únicos estudantes de uma sala de 22 alunos do segundo ano do ensino médio. "Estava querendo voltar para terminar o ano", destacou Henrique.

Em todo o Noroeste paulista, segundo a Secretaria Estadual de Educação, 20 cidades das diretorias de ensino de Catanduva, Jales, José Bonifácio, Fernandópolis e Votuporanga reabriram escolas estaduais nesta quarta-feira, 7. Já no Estado, das 5,1 mil escolas estaduais, segundo a Secretaria, 904 instituições em 219 municípios voltaram a ter atividades. As demais retornam nos próximos dias ou aguardam decisão dos pais para ver se reabrem ou não as escolas nesse mês. Todos os pais que optaram pelo retorno dos filhos tiveram que assinar um termo de responsabilidade.

Os alunos que decidirem não retornar continuarão tendo aulas de forma remota, através dos aplicativos oferecidos por cada escola e pela plataforma do Centro de Mídias.

Testes

A partir da próxima terça-feira, 13, o governo de São Paulo vai começar a testar 10 mil alunos e 9,3 mil servidores para avaliar a incidência do novo coronavírus nas escolas da rede estadual de educação.

Os testes serão feitos por meio do exame de RT-PCR, que identifica o vírus de forma ativa, inclusive em pessoas sem sintomas.

Inicialmente, os testes serão feitos em alunos e profissionais de 100 escolas, distribuídas em 20 cidades de diversas regiões do Estado. Segundo o governo, as escolas participantes serão escolhidas por meio de sorteio. Em cada uma dessas escolas serão feitos testes em 100 alunos e em todos os seus servidores.

A adesão à volta também foi baixa pelos alunos nos colégios particulares de Rio Preto que retornaram com aulas presenciais nesta quarta-feira, dia 7.

No Colégio Anglo de Rio Preto, dos 23% das famílias da primeira e segunda série do ensino médio que eram favoráveis ao retorno, apenas 15% mandou os filhos para a escola no primeiro dia. "Nós trabalhamos com o ensino híbrido flexível, com aulas sendo transmitidas ao vivo da sala de aula para os alunos que estavam em casa", destacou o diretor do colégio, Marcelo Costa. Outro colégio que também retornou as atividades presenciais foi o Colégio Liceu, mas o número de alunos que retornaram não foi informado.

Segundo o Sindicato dos Professores de Rio Preto (Sinpro), pelo menos sete instituições de ensino optaram pelo não retorno agora: Colégio Lamarck, Coopec, Colégio Intelectus, Cursinho Alternativo, Colégio Invictus, Colégio Universitário e Colégio Coeso. Outras instituições, como o Colégio London e a Escola SEB Rio Preto, optaram por retornar nas próximas semanas. (RC)