Rio Preto confirma nove mortes em um dia

PANDEMIA

Rio Preto confirma nove mortes em um dia

Total na cidade chega a 631 óbitos e 23.259 casos de coronavírus


Andreia Negri, gerente da Vigilância Epidemiológica de Rio Preto
Andreia Negri, gerente da Vigilância Epidemiológica de Rio Preto - Reprodução

A Secretaria de Saúde de Rio Preto confirmou nesta terça-feira, 6, mais nove mortes por coronavírus, totalizando 631 - uma taxa de mortalidade de 2,7% em relação aos 23.259 casos confirmados, com mais 131 contabilizados nesta terça. Dentre o total de pacientes, 20.430 (87,8%) são considerados recuperados e já não podem mais transmitir o vírus - não se fala em cura porque não se sabe ao certo sobre as chances de reinfecção e não existe nenhum tratamento comprovadamente eficaz contra a doença.

A taxa de positividade (porcentagem de casos positivos entre os pacientes testados) dos casos graves voltou a subir na semana epidemiológica 40, ficando em 61,6%, ante 58,5% na anterior. A de casos leves está em 29,2% - mais baixa do que os 34,3% registrados na 39, porém ainda elevada.

"O vírus está circulando, sim. As pessoas não podem imaginar que a pandemia acabou, que os casos acabaram. Ele está circulando em um percentual significativo na nossa população", afirmou Andreia Negri Reis, gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica do município, durante live nesta terça.

A média móvel (soma da quantidade de notificações dos últimos sete dias dividida por sete) de casos leves permanece em tendência de elevação - em 16 de setembro eram 146; em 1º de outubro esse número saltou para 185. No dia 5 de outubro, a média estava em 147, mas esse número ainda não está fechado, já que há exames à espera de resultado. Para a Saúde, este aumento está atrelado às aglomerações que vêm sendo registradas nos últimos dias - tanto que a pasta desistiu de desativar leitos que estão destinados exclusivamente à Covid, temendo que o sistema fique novamente sobrecarregado.

Também cresceu a média móvel de casos graves (pacientes que precisaram de hospitalização) de Covid-19 - em 23 de setembro, eram em média 14 por dia, número que cresceu para 19 no dia 30. A média móvel de mortes foi de três para quatro por dia. "Começaram a diminuir os caos de Covid leve e na sequência foram diminuindo os casos graves e os óbitos foram os últimos a diminuir, só que com esse aumento de casos leves e graves a nossa tendência para o futuro é termos mais óbitos, infelizmente", afirmou Andreia.

Na semana epidemiológica 32, quando aconteceu o pico de casos graves, foram 190 casos de Covid-19 confirmados entre os pacientes com síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Na semana passada, foram 111 confirmações e ainda há 54 notificações em investigação; nesta semana, a 41, são seis casos de SRAG confirmados para Covid e outros 52 ainda em análise. "As nossas taxas de internação estão com tendência de aumento. As pessoas estão internando e internando com gravidade", pontuou a enfermeira. "As pessoas internam e não vão ter alta no dia seguinte, vai demorar em média cinco dias e enfermaria e os casos que vão para UTI vão demorar em média de dez a 15 dias."

Entre domingo e segunda-feira, mesmo com as mortes registradas, o número de pacientes internados com SRAG subiu de 309 para 333. Desse total, 151 deles têm coronavírus confirmado, sendo que 77 estão em enfermaria e 74 em UTI. O índice já chegou a 50,7% em setembro, mas nesta semana estava em 58%. No Departamento Regional de Saúde (DRS), que abrange 102 municípios, o índice de ocupação de UTI estava em 60,1% nesta terça - é o maior índice das últimas duas semanas.

Região

Além de Rio Preto, 15 cidades da região confirmaram mortes pela Covid-19. Em Fernandópolis, foram mais seis registros e em Jales mais quatro, totalizando 44 nos dois municípios. Em Catanduva, são 144 mortes, as mais recentes confirmadas de duas mulheres, uma de 84 e outra de 90 anos, que estavam internadas no Hospital Emílio Carlos.

Bebedouro confirmou mais três óbitos, chegando a 40. Em Santa Fé do Sul, foram mais duas vítimas: homem de 64 anos, sem comorbidades, e idosa de 70, com comorbidades. A cidade soma 38 confirmações.

Bálsamo e Ibirá também registraram mais duas ocorrências, chegando a 21 e sete, respectivamente. Em Votuporanga, a 89ª morte foi confirmada em um homem de 58 anos que tinha comorbidades.

Novo Horizonte confirmou o 14º óbito; Cosmorama, o 17º; Guapiaçu, o 28º; Ilha Solteira e Itajobi, o décimo e Ipiguá, o oitavo. Em Irapuã, foi registrada a primeira vítima da doença.

(Colaborou Ingrid Bicker)

Departamento Regional de Saúde (DRS) de Rio Preto até 6/10/2020 (inclui 102 cidades)

Ocupação de leitos na DRS

  • Enfermaria: 50,6%
  • UTI: 60,1%
  • 77 novas internações

no dia 6/10 Ocupação de leitos no Estado

  • Enfermaria: 33,5%
  • UTI: 43,4%

Internações de pacientes de Rio Preto em 5/10

  • 333 pacientes
  • Enfermaria: 202
  • UTI: 131

Hospitais de Rio Preto

Hospital de Base (inclui pacientes da região)

  • Enfermaria (195 vagas): 118 pacientes (60,5% de ocupação)
  • UTI (145 vagas): 104 pacientes (71,7% da ocupação)

Hospital da Criança

Enfermaria (30 vagas): 3 pacientes

  • UTI (14 vagas): 2

Santa Casa

  • Enfermaria (59 vagas): 39 pacientes (66,1%)
  • UTI (51 vagas): 43 pacientes (84,3%)

Hospital de Jaci

  • UTI (dez vagas): 4 pacientes
  • Enfermaria (22 vagas): 7 pacientes

UPA Jaguaré

  • UTI (30 vagas): 12 pacientes
  • Enfermaria (15 vagas): 15 pacientes

UPA Santo Antônio

  • UTI (8 vagas): 2 pacientes

UBS Anchieta

  • Enfermaria (20 vagas): 13 pacientes