Jovem é encontrado morto com marcas de tortura em Rio Preto

VIOLÊNCIA

Jovem é encontrado morto com marcas de tortura em Rio Preto

Rapaz de 24 anos tinha hematomas por braços, pernas e costas


Guilherme Lord Wilson da Silva Costa, 24 anos, era de Barretos e tinha vindo para Rio Preto trabalhar, segundo a família
Guilherme Lord Wilson da Silva Costa, 24 anos, era de Barretos e tinha vindo para Rio Preto trabalhar, segundo a família - Reprodução internet

Um garçom de 24 anos foi encontrado morto na tarde deste domingo, 13, em uma casa no bairro Jardim das Oliveiras, zona Norte de Rio Preto. O corpo de Guilherme Lord Wilson da Silva Costa tinha sinais de tortura, segundo a polícia, com hematomas pelos braços, pernas e costas. O rapaz foi localizado pela Polícia Militar caído no chão da cozinha. A suspeita é de que o autor do crime seja o cunhado dele, um estudante de 27 anos que não havia sido localizado até o fim da tarde desta segunda, 14.

A vítima também estava com parte dos dentes danificados por um objeto contundente, que não foi encontrado dentro do imóvel. Peritos criminais veem indícios de que a vítima teria sido espancada no banheiro, onde foram encontradas várias manchas de sangue.

Há também suspeita de que o rapaz tenha recebido descargas elétricas, por um taser (arma de eletrochoque), durante a sessão de tortura.

Tia de Guilherme, Daniele Costa, 32 anos, afirma que o sobrinho e o suspeito de ser o autor do crime já eram amigos há dois anos. Há um ano, o suspeito havia começado a namorar a irmã de Guilherme, de 15 anos.

"Nós todos estamos perplexos, porque os dois eram muito amigos. Meu sobrinho já tinha ido morar na casa do colega no começo do ano, quando foi trabalhar em um restaurante em Rio Preto. Veio a pandemia, ele ficou desempregado e veio para Barretos (onde a família mora). Retornou agora para Rio Preto, com a reabertura dos restaurantes", diz a tia.

Muito abalado com a morte do filho, o pai de Guilherme, Alexandre Lord, postou uma mensagem de indignação em rede social. "Acabei de saber que o meu filho mais velho Guilherme Lord acabou de falecer, assassinado por alguém que se dizia amigo dele. Quando eu dizia: 'cuidado com as amizades que você tem', ele não me escutava e hoje a desgraça bate à porta com toda força".

A PM foi chamada por uma vizinha que ouviu uma pessoa gritar por socorro na casa onde ocorreu o crime. Ao questionar o estudante de 27 anos sobre o que estaria acontecendo, o morador teria dito que estava apenas fazendo o rapaz "fazer uma devolução", sem dar detalhes. Pouco tempo depois, os gritos acabaram e o morador foi embora em uma motocicleta antes da chegada da viatura policial.

Uma equipe de paramédicos chegou a prestar socorro para Guilherme, mas não conseguiu restabelecer seus sinais vitais. Logo em seguida foram chamados os peritos criminais para começar a levantar a causa da morte.

O rapaz de 27 anos foi identificado e consta como suspeito de ser autor do crime.

Por enquanto, a policia descarta a hipótese de latrocínio, porque a vítima foi encontrada com todos seus cartões bancários, documentos e celular. O caso vai ser apurado pelo 4º Distrito Policial de Rio Preto.

Guilherme morava em Barretos e seus familiares vieram até Rio Preto para solicitar o translado do corpo, após liberação do Instituto Medico Legal (IML).