Doação de órgãos em Catanduva poderá salvar até 9 pacientes

SOLIDARIEDADE

Doação de órgãos em Catanduva poderá salvar até 9 pacientes

Jovem de 27 anos morreu neste sábado, 12, vítima de um aneurisma cerebral


Equipe coloca caixas com pulmões e pâncreas em avião da FAB, no aeroporto de Rio Preto
Equipe coloca caixas com pulmões e pâncreas em avião da FAB, no aeroporto de Rio Preto - Johnny Torres 12/9/2020

O gesto de solidariedade da família de uma jovem de 27 anos poderá salvar a vida de até nove pacientes na fila por transplante de órgãos. A mulher morreu neste sábado, 12, no Hospital São Domingos, em Catanduva, depois de sofrer um aneurisma cerebral. O coração, os dois pulmões, os dois rins, as duas córneas, o fígado e o pâncreas foram captados pela Organização de Procura de Orgãos (OPO) e distribuídos para o Hospital de Base, Hospital da Criança e Maternidade, de Rio Preto, Hospital das Clínicas em Ribeirão Preto e Incor em São Paulo.

O primeiro a ser captado foi o coração. Com resistência de apenas quatro horas fora do organismo, o órgão foi retirado do corpo da doadora pela equipe médica do chefe do Serviço de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular Pediátrica do HCM, Ulisses Alexandre Croti, o mesmo especialista responsável por transplantar o órgão em um jovem, de 17 anos, de Lavínia, portador de miocardiopatia dilatada (doença que dilata o coração e prejudica o bombeamento de sangue).

O rapaz receptor estava na fila por um coração há três dias. Ele estava internado no Hospital de Base desde o dia 17, mas pelo peso, 48 quilos, foi transferido para o HCM para receber o coração no hospital. Entre a captação do coração e o transplante no paciente, houve a mobilização de pelo menos 20 profissionais, entre cirurgiões, anestesista, instrumentistas, enfermeiros, técnicos entre outros. A cirurgia estava em andamento até o fechamento deste texto. Este é o décimo transplante de coração no HCM.

Outros órgãos

A doação múltipla de órgãos também mobilizou equipes da Força Área Brasileira (FAB). Dois pilotos e uma aeronave vieram para o aeroporto de Rio Preto, na tarde deste sábado, para transportar os dois pulmões e o pâncreas para o Incor, em São Paulo.

O fígado teve como destino o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, os rins se dividiram para Botucatu e São Paulo e as duas córneas foram para o banco de córneas do HB. Todos os órgãos foram retirados e, como norma, passam por análises antes de serem transplantados.