Homem é preso ao tentar subornar policiais civis de Rio Preto

CORRUPÇÃO

Homem é preso ao tentar subornar policiais civis de Rio Preto

Agentes gravaram o diálogo com um celular e fizeram a prisão em flagrante


TENTATIVA DE SUBORNO Polícia Civil de Rio Preto prendeu um homem por contrabando e corrupção ativa. Ele chegou a oferecer R$ 50 mil aos policiais para que fosse liberado Pág. 4B
TENTATIVA DE SUBORNO Polícia Civil de Rio Preto prendeu um homem por contrabando e corrupção ativa. Ele chegou a oferecer R$ 50 mil aos policiais para que fosse liberado Pág. 4B - Divulgação/Deic

Um homem de 42 anos foi preso por dois policiais civis de Rio Preto pelo crime de corrupção ativa, porque ofereceu R$ 50 mil de propina para cada um dos investigadores. Ele havia sido detido com 28,5 mil maços de cigarros contrabandeados do Paraguai.

Também foi preso um motorista de 44 anos, contratado para fazer entregas do contrabando. Ele foi detido na rodovia Assis Chateaubriand, perto de Guapiaçu, após fazer uma entrega em Olímpia.

A oferta de propina ocorreu quando o contrabandista percebeu que iria ser preso. Para documentar a tentativa de suborno, os policiais gravaram o diálogo, que será repassado para o Ministério Público e anexado na denúncia crime.

Segundo o delegado do Grupo de Operações Especiais de Rio Preto (GOE), Fernando Tedde, o homem já era investigado há dois meses.

Na tarde de quarta-feira, 9, os policiais do GOE descobriram que o motorista teria feito uma entrega da carga cigarros contrabandeados em Olímpia e o abordaram perto de Guapiaçu.

De acordo com o GOE, o motorista admitiu o contrabando e disse que recebia R$ 600 por cada entrega de cigarros. Na casa da mãe do motorista, em uma propriedade rural em Guapiaçu, foi encontrado um Fiat Ducati com 28,5 mil maços de cigarros piratas.

Quando os policiais se preparavam para levar o motorista e o furgão para a sede da Deic de Rio Preto, um veículo Ford Focus chegou ao local. O homem que desceu do carro não percebeu a equipe, pois os policiais estavam em um veículo descaracterizado sem emblema policial, e perguntou: "Onde você vai?", fazendo menção de que aquele veículo não era para sair daquele lugar.

A equipe o abordou e ele foi identificado como sendo proprietário da da carga de cigarros. Em revista no seu automóvel, os policiais encontraram R$ 100 mil, entre dinheiro em espécie e cheques de diversos correntistas.

"O dono da carga acabou oferecendo dinheiro para os policiais que estavam efetuando a prisão. Ofereceu R$ 50 mil para cada um dos policiais. Eles estavam em dois", diz o delegado.

Por contrabando, o motorista e o dono dos cigarros podem pegar uma pena entre dois a cinco anos de reclusão. Como ofereceu propina, o contrabandista poderá ser condenado a até 12 anos de prisão.

O GOE vai continuar a investigação para identificação dos fornecedores do cigarro e da rede de compradores. Os cigarros contrabandeados serão entregues na sede para Receita Federal, em Rio Preto. Depois tudo será incinerado.

Confira trecho do diálogo da tentativa de suborno

Suspeito: não tem como a gente...

Policial: Seja objetivo no que você quer falar.
Não fica dando volta.

Suspeito: Faz 50 (R$ 50 mil) pra nós acertar a situação.