Rio Preto confirma 105 casos e 4 mortes de Covid-19

PANDEMIA

Rio Preto confirma 105 casos e 4 mortes de Covid-19

Cidade chegou a 18.646 ocorrências da doença e a 491 óbitos


Covid-19
Covid-19 - Pixabay/Banco de Imagens

A Secretaria de Saúde de Rio Preto confirmou nesta quarta-feira, 9, mais 105 casos de coronavírus e outras quatro mortes. Das 105 ocorrências positivas, 72 foram confirmadas por teste PCR (feito a partir de amostras de fluidos respiratórios do paciente, aponta que a infecção é recente e está nos primeiros dias) e 33 foram pelo exame sorológico (o chamado teste rápido, mostra que já se passaram vários dias e a pessoa pode estar perto de estar curada).

Com as novas confirmações, Rio Preto chega a 18.646 casos confirmados de Covid-19 e a 491 mortes pela doença (uma taxa de mortalidade de 2,6%). Do total de pacientes, 16.010 (85,8%) são considerados recuperados, ou seja, não podem transmitir mais a doença.

O Secretário de Saúde, Aldenis Borim, diz que a expectativa é que a quantidade de mortes comece a cair - embora em alguns dias possam ocorrer mais óbitos. A média móvel de casos nesta quarta ficou em 199 novas confirmações, em média, em cada um dos últimos sete dias, e 7,5 mortes registradas por dia, em média - levando-se em conta a data de divulgação e não a da notificação. Segundo Borim, a alta quantidade de óbitos foi um reflexo do grande número de casos registrado há semanas - apenas entre sábado e segunda-feira, foram 27 óbitos.

Clique aqui para ver tabela

 

Nedir Ferreira Guedes, de 61 anos, faleceu no último domingo, dia 6. Morador de Rio Preto, ele estava desde o dia 16 de agosto internado em Américo Braziliense, e a família questiona o fato de ter sido cobrada em R$ 740 para que pudesse realizar o translado do corpo do idoso.

Segundo a nora de Nedir, a pedagoga Rita Maria Santos, de 38 anos, ele estava internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Jaguaré, já intubado. A família foi chamada para ir até lá conversar, mas o idoso já teria sido transferido para Américo Braziliense, cidade que não pertence ao Departamento Regional de Saúde (DRS) de Rio Preto, com a alegação de que na cidade não havia leitos disponíveis - a ocupação de leitos na região não atingiu 90% em nenhum momento, conforme dados do próprio Estado.

Segundo Rita, o sogro não ficou desassistido. "É um hospital de referência", afirma. O questionamento da família é a respeito do pagamento do translado. "É um direito nosso, não é justa essa falta de respeito, essa falta de humanidade. O que a gente passou não foi fácil, graças a Deus a gente tinha o recurso para trazer ele." Ela conta que a família tinha condições de arcar com o valor, mas questiona o que teria acontecido se não tivesse. A pedagoga conta ainda que a família tentou contato com a Secretaria de Saúde de Rio Preto, mas foi informada de que nada poderia ser feito durante o feriado prolongado e que era a primeira vez que algo do tipo acontecia.

O secretário de Saúde de Rio Preto, Aldenis Borim, disse que quando o paciente precisa ser transferido da UPA e não há vagas na Santa Casa nem no Hospital de Jaci é acionada a Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), do governo do Estado - é esse sistema que determina para onde a pessoa vai, não a Prefeitura. Sobre o pagamento da taxa de translado pela família, ele informou que irá averiguar o que pode ser feito. Borim disse ainda que vai averiguar na UPA a respeito da acusação da família de que não teria sido comunicada previamente sobre a transferência do paciente. "Obviamente tem que comunicar a família antes. Muitas famílias assinaram o termo de responsabilidade e preferiram deixar o paciente na UPA e não mandar para outros locais."

A reportagem questionou a Secretaria de Estado da Saúde sobre o fato de Nedir ter sido transferido para outro DRS mesmo que os leitos da região de Rio Preto não estivessem lotados. Em nota, a Cross alegou que "as transferências inter-hospitalares e intermunicipais de pacientes são feitas quando há necessidade, pela Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), sistema online que funciona 24 horas por dia e que verifica vagas disponíveis em hospitais do SUS em SP."