Professoras criam 'delivery' de doces para reencontrar alunos em Rio Preto

ESCOLA MUNICIPAL

Professoras criam 'delivery' de doces para reencontrar alunos em Rio Preto

As professoras Ednéia Silva dos Santos Araújo e Mariana Fazio Garcia passaram na casa dos seus alunos entregando saquinhos com balas, pirulitos, chocolate, pipoca, bexigas, catavento e língua de sogra


Anayeli, mãe da Alice, com as professoras
Anayeli, mãe da Alice, com as professoras - Arquivo pessoal

Duas professoras da rede municipal de ensino de Rio Preto fizeram no sábado, dia 5, uma entrega de doces para os seus alunos do berçário da escola municipal Letícia Di Lorenzo Arroyo, localizada no bairro Nova Esperança. Depois de quase seis meses sem aulas presenciais, elas encontraram uma forma de diminuir a saudade das crianças.

As professoras Ednéia Silva dos Santos Araújo e Mariana Fazio Garcia passaram na casa dos seus alunos entregando saquinhos com balas, pirulitos, chocolate, pipoca, bexigas, catavento e língua de sogra. Elas decidiram realizar a ação porque os alunos ofereciam doces durante as chamadas de vídeo.

Depois de receber a autorização da diretoria da escola, as duas enviaram um convite para os pais, através de um correio encantado online, e perguntaram se aceitariam a visita. "Temos 20 alunos, 17 pais aceitaram e mandaram o endereço. Decidimos fazer a entrega porque são crianças pequenas, de 1 a 2 anos e meio, que moram em lugares considerados carentes. Além disso, também é bom para nós, para aquecer o coração em meio à pandemia. O mais importante é o amor que eles têm por nós, e nós por eles", afirma Ednéia.

Elas contam que os pais foram muito receptivos e carinhosos e alguns até se emocionaram. "Foi uma felicidade imensa fazer a visita às famílias. As mães ficaram emocionadas, algumas até choraram. E nós também ficamos, porque teve criança que queria abraçar, beijar e infelizmente não podíamos. O tempo todo seguimos as regras de distanciamento, passando álcool em gel nas mãos entre uma criança e outra e tomando todos os cuidados necessários para não ter contaminação", menciona Mariana.

A mãe da aluna Alice Cristina Lisbôa Barbino adorou a iniciativa das professoras. "Essa é uma das formas de demostrar o amor e o carinho que elas sentem pelas nossas crianças. Eu vi o brilho nos olhos delas de felicidade", conta a mãe, Anayeli Cristina Lopes Lisbôa.

Todos os gastos foram de responsabilidade das professoras, que dividiram a quantia necessária para comprar os doces, uma faixa com uma frase dizendo que estavam com saudades e a produção do correio encantado online.

(Colaborou Ingrid Bicker)