Começa campanha de castração de cães e gatos em Rio Preto

ANIMAIS DOMÉSTICOS

Começa campanha de castração de cães e gatos em Rio Preto

Diretoria do Bem-Estar Animal inicia castração em massa de cães e gatos em Rio Preto. Expectativa é fazer o procedimento em cinco mil pets


Elisângela Ferreira com a cadela Piti: ela quer evitar mais filhotes
Elisângela Ferreira com a cadela Piti: ela quer evitar mais filhotes - Fotos: Guilherme Baffi 8/9/2020

A Diretoria do Bem-Estar Animal (Dibea) iniciou nesta terça-feira, 8, o processo de castração em massa de cinco mil animais domésticos de Rio Preto, que faz parte do programa municipal de controle populacional e prevenção contra disseminação de zoonoses. Nesta primeira etapa serão esterilizados 1,2 mil cães e gatos do zona Norte da cidade.

As castrações vão ocorrer até domingo no CEU das Artes, no bairro Nova Esperança, pela Clínica Veterinária Ricardo, que venceu a licitação de R$ 638 mil, em novembro de 2019.

Só serão esterilizados os animais previamente cadastrados em julho deste ano. Cães e gatos precisam estar em dia com as vacinas, banhados e em jejum de oito horas.

A esterilização animal é direcionada para moradores de baixa renda, sem dinheiro para custear o processo em uma clínica veterinária particular.

Uma das pessoas que estavam na fila de espera para castração é a dona de casa Elisângela Ferreira, 46 anos, dona de duas cadelas, Piti e Pecinha. Ela cuida como suas filhas. "Uma das minhas cachorras já deu cria a 12 filhotes. Levei dois meses para doá-los entre amigos e vizinhos. Não tenho condições de cuidar de tanto e não quero que isto se repita", explicou a dona de casa.

Moradora da Nova Esperança, Dionete Moraes, 37 anos, levou dois cães para castração, Duque e Bicho - este último, um cachorro abandonado que ela adotou há dois anos. "Resolvi castrar porque eles são cães que vivem saindo pra rua. Quando correm atrás de uma fêmea no cio, eles voltam até machucados. Fico com dó. Quem sabe castrados eles ficam mais calmos", afirma a moradora.

O ajudante geral Aparecido Donizete de Sousa, 56 anos, teve de fazer várias viagens de sua casa até o local da castração para levar um por um de seus sete gatos de estimação.

"Já tenho sete gatos e não tenho condições de alimentar mais do que isto. Pra mim, a castração destes meus bichanos é vital", afirma.

Para evitar tumultos, foram separados os locais de espera dos donos de cães e gatos. Todos os animais passavam por um exame prévio, antes de serem castrados e todos também receberam um microchip.

Segundo a diretora da Dibea, Karoline de Castro Prada, a meta é fazer a castração de 200 animais por dia - nesta terça, foram 172, sendo 105 cães e 67 gatos. "É importante para controle populacional destes animais e controle de doenças e zoonoses", explica a diretora.

A castração vai continuar até domingo, dia 13, das 8h às 15h, no CEU das Artes. As próximas etapas de castração serão realizados em outubro e novembro, em novos pontos da cidade.