Vertedouro da Represa de Rio Preto volta a secar

Estiagem

Vertedouro da Represa de Rio Preto volta a secar

Semae descarta racionamento no abastecimento de água


Cláudio Santos, 27 anos, serralheiro, tenta pescar no vertedouro da Represa Municipal
Cláudio Santos, 27 anos, serralheiro, tenta pescar no vertedouro da Represa Municipal - Marco Antonio dos Santos 4/9/2020

Rio Preto está com dois meses de forte estiagem, o que provocou diminuição do nível da Represa Municipal e voltou a deixar seco o vertedouro. O Semae descarta racionamento no abastecimento de água, mas alerta para o crescimento de 10% do consumo em toda cidade.

O vertedouro fica no Lago 1 da Represa Municipal, usado para captação de 25% da água potável consumida em Rio Preto.

De acordo com o Semae, o consumo médio por habitante em Rio Preto tem ficado em 250 litros por dia, quando o ideal seria em torno de 180 a 200 litros/dia. A autarquia pede à população o uso racional da água, evitando lavar carros e quintais com água potável.

Quem ficou assustado com a redução de água da Represa Municipal foi o serralheiro Cláudio dos Santos, 30 anos, que reclama que a seca tem afetado a quantidade de peixes. "Sempre que sobra um tempo, venho pescar da Represa, mas o volume de água está muito baixo. Precisa chover rapidamente", diz.

Segundo os medidores do Aeroporto Municipal de Rio Preto, a temperatura máxima na sexta-feira foi de 34 graus e a umidade do ar ficou em 13%, bem abaixo dos 60% considerados ideiais pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Não há previsão de chuva para os próximos seis dias em Rio Preto, segundo o Climatempo.

Coordenador da Defesa Civil de Rio Preto, o coronel Carlos Lamin afirma que o órgão tem disparado alertas, via mensagem por telefone (SMS) toda vez que o índice de umidade fica abaixo dos 15%.

"Nesta situação o melhor é evitar atividade física, das 12h às 15h, beber muita água e evitar as queimadas urbanas como forma de limpar quintal, porque isto piorar ainda mais a qualidade do ar", recomenda o coordenador.