Traíras e baile à luz da lua

Traíras e baile à luz da lua


Basílica em construção
Basílica em construção - Reprodução

A morte da professora Nilce Lodi foi a segunda baixa, este ano, ligada à defesa da memória de Rio Preto. Em março, a cidade já havia perdido Milton Marconi. Bibliófilo, dono de acervo raríssimo, ele também deu grande contribuição para preservação da história local.

Pouco antes de partir, seu Mimi deixou um presente para este cronista, extensivo ao Diário e a todo público leitor: uma versão digitalizada de "Rio Preto de Ontem", obra de 1947 na qual o educador e jornalista Basileu Toledo França aborda a história de Rio Preto no período entre a sua fundação, em 1852, até 1912, ano da chegada do trem. A edição é da Casa de Cultura, então presidida por Olímpio Rodrigues.

A obra digitalizada estava salva em CD com problema técnico, agora resolvido. E, uma vez aberto, descortina toda a história de Rio Preto em minúcias desde os seus primórdios. Focaliza, no final da década de 1890, as noites embaladas por chotes e mazurcas no barracão ao lado da "Ponte da Formiga", na rua Prudente de Moraes, nos bailes à luz de lampiões e da lua. Fala da fartura de traíras próximo da antiga estação da EFA. Lembra que, em 1907, o cinema era ambulante, até o surgimento da primeira sala de projeção, o "Pathé Cinema", de Barbosa e Victor, em 1911. Dos brindes ofertados por algumas lojas, incluindo relógios marca Roskopf de algibeira. Dos engenhos de pinga e de açúcar às margens do Borá, num impensável cenário para a avenida Bady Bassitt. E da produção recorde, em 1898, de 10 mil arrobas de café e de 960 arroubas de toucinho.

Todos os fatos e personagens centrais estão presentes - de João Bernardino de Seixas Ribeiro a Pedro Amaral, de Ugolino Ugolini ao coronel Adolpho Guimarães Correa - , mas a leitura saborosa permite a imersão numa Rio Preto que atravessou o tempo. Num capricho da história, a contrariar o vaticínio do Visconde de Taunay feito em 1867 de que o então arraial ficaria estacionado naquele estado precário ou até mesmo se arruinaria totalmente.