Famerp tem 403 candidatos para testes da vacina contra a Covid em Rio Preto

Testes da vacina

Famerp tem 403 candidatos para testes da vacina contra a Covid em Rio Preto

Podem participar dos testes profissionais de saúde que atendem vítimas de Covid


Eliane Fávaro, bióloga e coordenadora do estudo da vacina CoronaVac pela Famerp, confere a caixa de e-mails por onde chegam as inscrições dos candidatos
Eliane Fávaro, bióloga e coordenadora do estudo da vacina CoronaVac pela Famerp, confere a caixa de e-mails por onde chegam as inscrições dos candidatos - Divulgação

A Famerp tem 403 profissionais de saúde candidatos a serem voluntários para participar dos testes da vacina contra o coronavírus. No primeiro dia de inscrições, a instituição recebeu 500 e-mails de interessado, mas o número caiu porque, de acordo com a faculdade, alguns dos inscritos, depois que os critérios de seleção foram divulgados com mais clareza nesta semana, fizeram uma espécie de "auto triagem" e enviaram mensagens dizendo que não tinham o perfil adequado. Houve casos, por exemplo, de gente que tinha se candidatado, mas não trabalha na linha de frente de combate à Covid-19.

Ainda não há data para os testes começarem, pois as doses ainda não chegaram a Rio Preto, mas a expectativa é que tenham início em agosto. A próxima fase é o envio do formulário, que a Famerp fará, para todos os inscritos. Com as perguntas que serão respondidas, será possível filtrar em definitivo quem se encaixa ou não no perfil buscado nos voluntários.

A estimativa é que entre 500 a 700 candidatos sejam selecionados em Rio Preto. Todos eles serão acompanhados por um ano, por uma equipe multidisciplinar de médicos, enfermeiros e farmacêuticos. Ainda dá tempo de se inscrever. Podem participar do estudo profissionais de saúde que estejam trabalhando no atendimento a pacientes com Covid-19 e que não tenham sido infectados pelo coronavírus nem tenham participado de outros estudos. Mulheres não podem estar grávidas nem planejando engravidar nos próximos três meses. Outra restrição é não ter doenças instáveis ou fazer uso de medicações que alterem a resposta imune.

A pré-seleção dos interessados deve ser feita no site do governo do estado (https://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/vacina). O candidato deve responder algumas questões de acordo com os critérios de inclusão ou exclusão ao estudo. Em seguida deverão entrar em contato com o centro de pesquisa da Faculdade de Medicina de Rio Preto pelo e-mail: [email protected] para dar continuidade às etapas de adesão à vacina.

A CoronaVac

A CoronaVac é uma das vacinas em estudos clínicos no mundo, produzida pelo laboratório chinês em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. Nesta etapa, o imunizante começou a ser testado no Brasil na terça-feira, 21, em 890 profissionais da saúde que estão em atuação em alas de Covid-19 no Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Posteriormente, os centros de pesquisa do Instituto Emílio Ribas, na Capital, Hospital das Clínicas da Faculdade de Ribeirão Preto da USP, Universidade Municipal de São Caetano do Sul e Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte, também iniciaram os testes.

As doses da CoronaVac estão guardadas no Instituto Butantan desde a madrugada da segunda-feira, 20, quando os imunizantes chegaram na Capital. O estudo de testes coordenado pelo Instituto será realizado em 12 centros de pesquisa - quatro no Estado e o restante em Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

A vacina já foi aplicada em 744 voluntários chineses nas fases 1 e 2 do estudo em humanos, durante testagem preliminares e sobre segurança detalhada da vacina e resposta imune. As etapas anteriores foram validadas por órgãos responsáveis e a pesquisa continuou para essa fase final. Segundo informações do Estado, o imunizante também passou por teste experimental em macacos com resposta imune positiva contra o coronavírus.

(Colaborou Francela Pinheiro)

  • A Coronavac é produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac. É baseada na manipulação em laboratório de células humanas infectadas com o coronavírus
  • Doze centros de pesquisas farão os estudos clínicos no Brasil da Coronavac, entre eles o Laboratório de Virologia da Famerp.
  • A vacina será aplicada em nove mil voluntários no País - entre 500 e 700 pela Famerp, em Rio Preto
  • Os testes por aqui devem começar em agosto - a data exata ainda não foi definida
  • Voluntários serão profissionais de saúde da rede pública ou privada, que trabalham na linha de frente de combate à Covid
  • Eles não podem ter testado positivo para Covid-19, não podem ter doenças instáveis - que afetem a resposta imune - ou distúrbios de coagulação;
  • É possível responder a um questionário no site www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/vacina para saber se é apto a receber as doses
  • Para oficializar o desejo de participação, é preciso enviar e-mail para [email protected]
  • No e-mail, o candidato deve se apresentar (nome, idade, profissão, entre outros) e dizer que é um voluntário em potencial pelos critérios do site e que pretende participar,
  • Os participantes do estudo serão acompanhados por um ano por equipe multidisciplinar que envolve médicos, enfermeiros e farmacêuticos