Taxa de ocupação de leitos preocupa Saúde de Rio Preto

PANDEMIA

Taxa de ocupação de leitos preocupa Saúde de Rio Preto

Nesta terça, foram confirmados 291 casos e três mortes por Covid em Rio Preto


'Isso quer dizer que temos um sistema de saúde eficiente. Nossas UTIs, nossos hospitais têm uma qualidade importante', Aldenis Borim, secretário de Saúde, sobre a taxa de mortalidade de Rio Preto, considerada baixa
'Isso quer dizer que temos um sistema de saúde eficiente. Nossas UTIs, nossos hospitais têm uma qualidade importante', Aldenis Borim, secretário de Saúde, sobre a taxa de mortalidade de Rio Preto, considerada baixa - Reprodução

A Secretaria de Saúde de Rio Preto confirmou nesta terça-feira, 28, mais 291 casos de coronavírus na cidade, totalizando 7.997. Também foram contabilizadas mais três mortes por complicações da Covid-19, chegando-se a 219 (uma taxa de mortalidade de 2,7%). Essa atualização, feita durante live, refere-se apenas a moradores da cidade.

Havia na segunda-feira, 27, um total de 314 moradores de Rio Preto internados, sendo 177 com coronavírus diagnosticado. O restante dos pacientes estava com a doença suspeita e alguns com a infecção já descartada, porém tinham quadro sério de problema pulmonar que exigia a hospitalização.

Dentre as pessoas com Covid, 90 estavam em enfermaria e 81 em UTI. Na Santa Casa, a lotação da UTI dedicada especificamente à doença nesta terça-feira, 28, era superior a 100%, com pacientes graves - um intubado, inclusive, com Covid-19 confirmada - acomodados no isolamento da urgência e emergência. De acordo com o administrador Valdir Furlan, os pacientes têm chegado ao hospital em estado grave.

No Hospital de Jaci, cuja administração possui convênio com a Secretaria de Saúde de Rio Preto, a UTI estava com oito das dez vagas para rio-pretenses ocupadas. Na enfermaria, havia 16 pacientes para um total de 18 vagas.

"Nós estamos no pico, estamos com muitos casos mesmo. Tem nos deixado preocupados o número de casos em relação ao número de leitos. Estamos tomando e vamos tomar as providências necessárias. Estamos criando leitos conforme a necessidade e não é impossível que tenhamos que nos preparar para aumentar o número de leitos para cidadãos rio-pretenses", afirma Aldenis Borim, secretário de Saúde.

Também foram criados leitos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Jaguaré, que se transformou em uma espécie de hospital para onde os pacientes são encaminhados via Samu. Com 30 leitos montados e capacidade de ampliação, nesta terça-feira, 28, estava lotada acima da capacidade, com 22 pacientes na enfermaria e dez em cuidados intensivos, sendo quatro intubados.

Na região, conforme a Fundação Seade, a taxa de ocupação dos leitos de Covid-19 no Departamento Regional de Saúde, que abrange 102 cidades, chegou nesta segunda-feira, 27, a 81,7%, a maior desde o início da pandemia.

A Secretaria de Saúde pediu ao antigo Hospital Ielar, onde agora funciona uma clínica, sete respiradores emprestados para serem utilizados na UPA Jaguaré. Quando a pandemia começou, o assessor da pasta, o promotor aposentado Antônio Baldin, havia questionado a Justiça do Trabalho se isso seria possível, pois os equipamentos estão penhorados em processos trabalhistas. A resposta foi positiva. "Não houve nenhuma resistência, ao contrário, eles (quem administra o local hoje) facilitaram muito e a Justiça do Trabalho abriu as portas para aquilo que precisássemos", afirma Baldin. Como a Prefeitura recebeu respiradores do Estado, parte dos equipamentos será devolvida à clínica.

De acordo com Borim, está aumentando a porcentagem de casos graves em Rio Preto. Dentre os 7.997 pacientes com Covid-19 confirmada, 1.011 precisaram de hospitalização em algum momento. Uma das explicações para isso, segundo ele, é que nos meses de maio e junho havia outros vírus respiratórios circulando com maior intensidade em Rio Preto, como influenza H1N1, o que diminuía a proporção dos pacientes internados que tinham coronavírus. "Nós temos percebido que influenza não está mais sendo positivo, com isso relativamente aumenta o número de casos de Covid."

Borim comparou ainda Rio Preto com outras cidades do Estado, como São Paulo, Campinas e Santos. De acordo com os dados utilizados por ele, obtidos junto ao Estado, a mortalidade de Rio Preto é uma das mais baixas, junto com a de Sorocaba. "Isso quer dizer que temos um sistema de saúde eficiente. Nossas UTI, nossos hospitais têm uma qualidade importante."

Além de Rio Preto, 11 cidades da região registraram óbitos por coronavírus. A primeira morte registrada em Álvares Florence é de um homem de 51 anos com comorbidades. Uchoa confirmou mais um óbito, em uma mulher de 56 anos, chegando a sete.

Em Barretos, foram contabilizados mais dois óbitos, de um homem de 51 anos, sem nenhuma doença de base, e de um idoso de 77 anos, com comorbidades. Depois de Rio Preto, a cidade é a que tem o maior número de vítimas da Covid-19. São 74, com 2.109 casos positivos.

Ouroeste, Populina e Santa Clara d'Oeste registraram a segunda morte. Em Ouroeste, a vítima era um idoso de 92 anos que estava internado na Santa Casa de Fernandópolis. Já em Santa Clara d'Oeste, era um idoso de 71 anos que não tinha comorbidades.

O terceiro óbito em Três Fronteiras é de um idoso de 78 anos com comorbidades. Em Urupês, um idoso de 72 anos, sem comorbidades, não resistiu à doença - a cidade chegou a quatro mortes. Bálsamo também teve a quarta morte confirmada e Guapiaçu a 14º: as informações dos pacientes não foram reveladas.

Em Santa Fé do Sul, a 17ª vítima foi confirmada em um idoso de 78 anos, que apresentava comorbidades.

Ao todo, a região totaliza 713 óbitos pela Covid-19 em 86 municípios. São, até esta terça, 24,9 mil casos confirmados, com 17,8 mil recuperados - todas as cidades da região tiveram ao menos uma ocorrência positiva da doença.

(Colaborou Ingrid Bicker)

Departamento Regional de Saúde (DRS) de Rio Preto até 27/7/2020 (inclui 102 cidades)

Ocupação de leitos na DRS

  • Enfermaria: 52,9%
  • UTI: 81,1%
  • 79 novas internações no dia 27/7

Ocupação de leitos no Estado

  • Enfermaria:
  • Enfermaria: 50,5%
  • UTI: 65,5%

Internações de pacientes de Rio Preto em 27/7

  • 314 pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), sendo 177 deles com Covid-19 confirmada
  • Enfermaria: 188
  • UTI: 126

Hospitais de Rio Preto

Hospital de Base

  • Enfermaria (280 vagas): 120 pacientes (42,8%)
  • UTI (117 vagas): 99 pacientes (84,6%)

Santa Casa

  • Enfermaria (59 vagas): 51 pacientes (86,4%)
  • UTI (38 vagas): 41 pacientes (acima de 100%)