Santuário retoma missas após 133 dias

Em aparecida

Santuário retoma missas após 133 dias


Depois de 133 dias sem a presença dos fiéis em razão da pandemia do coronavírus, o Santuário Nacional de Aparecida, maior templo mariano do mundo, retomou as missas presenciais nesta terça-feira, 28, em Aparecida, interior de São Paulo. Devido às regras de distanciamento social, o público é limitado e as celebrações continuam sendo transmitidas pelos meios de comunicação da Rede Aparecida. As romarias de outubro em comemoração à padroeira seguem indefinidas.

Os fiéis foram orientados a atender a sinalização, sentando apenas duas pessoas por banco. O padre Luiz Cláudio, administrador ecônomo do santuário, recepcionou os devotos e comandou a celebração, ao lado do padre Eduardo Catalfo. A missa da retomada teve a participação de apenas 100 fiéis, muito abaixo da capacidade do templo, que já chegou a reunir 35 mil devotos.

Conforme o padre Catalfo, a partir de agora, quem visita a basílica deve seguir um protocolo de segurança, definido de acordo com as autoridades sanitárias e religiosas. "Nossa perspectiva é de sempre proporcionar aos fiéis o cuidado com a saúde, seguindo as normas, não só do governo estadual e da prefeitura, mas também apresentadas pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil."

Sem ônibus

Nesse período de retomada, o santuário fica aberto de segunda a sexta-feira, das 6h às 18h, e aos sábados e domingos, das 5h às 20h. No estacionamento só é permitido o acesso de veículos com até sete lugares, já que decreto municipal impede o ingresso de ônibus e veículos com capacidade maior.