Rio Preto registra nove mortes pela Covid-19 em um dia

SEM ESTABILIDADE

Rio Preto registra nove mortes pela Covid-19 em um dia

Nos últimos sete dias, Rio Preto registrou 1.623 casos e 42 mortes por Covid - os maiores números para uma semana desde o início da pandemia


Amauri e a esposa, Laudenir, que faleceu no último domingo, 26
Amauri e a esposa, Laudenir, que faleceu no último domingo, 26 - Arquivo Pessoal

Há 15 dias, Laudenir do Nascimento Souza, empregada doméstica de 54 anos, começou a passar mal, com dores no corpo e falta de ar. Primeiro a família, moradora do bairro Caic, em Rio Preto, levou a mulher até o postinho da Vila Toninho, e depois para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Jaguaré, onde foi realizado o exame que comprovou a infecção por coronavírus. Há pouco mais de uma semana, ela foi internada na Santa Casa.

"Quando entrou com os medicamentos, os pulmões estavam atacados. Ela caiu na Santa Casa e só saiu dentro do caixão", diz o marido, o jardineiro Amauri de Jesus Souza, que também foi infectado pelo coronavírus e afirma ter perdido uma parte de si mesmo com o falecimento da esposa, com quem era casado há 35 anos e tem dois filhos.

Laudenir, que tinha diabetes e hipertensão, faz parte de uma triste e crescente estatística em Rio Preto: o número acelerado de mortes por complicações do coronavírus. Somente nos últimos sete dias, foram confirmados 42 óbitos pela doença e 1.623 casos positivos - o maior número em uma semana até o momento.

Frequentadora da Igreja do Evangelho Quadrangular, Laudenir gostava das músicas de Aline Barros e não curtia muito cozinhar aos finais de semana. "Essa doença é uma desgraça. Eu nunca falei com ela no hospital, eu tinha que acreditar em tudo que eles falavam. Isso é o que mais me doeu. Não pude dar um abraço nela. Deveria ter um vidro pelo menos para ver a pessoa (no caixão). Mas meus filhos não puderam se despedir da mãe e nem eu da minha esposa", lamenta o jardineiro. Laudenir foi sepultada no cemitério São João Batista, em Rio Preto.

Apenas entre domingo e segunda-feira, 27, foram confirmados 290 casos e 13 mortes por Covid-19 na cidade, totalizando, respectivamente, 7.706 e 216 (uma taxa de mortalidade de 2,8%).

De acordo com a Secretaria de Saúde de Rio Preto, neste domingo, 26, havia 306 rio-pretenses hospitalizados, sendo que a maioria (170) já está com coronavírus confirmado - o restante possui suspeita ou teve o vírus descartado, porém está com doença pulmonar grave que demandou a hospitalização. Dentre os pacientes de Covid-19, 89 estão em enfermaria e 81 em UTI. "Quando tem um aumento de casos em uma semana, na semana seguinte vai refletir nas internações e também nas mortes", afirma Andreia Negri Reis, gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica de Rio Preto.

"Esperamos que esse seja o pico da doença. A nossa expectativa é que estejamos no pico, que possamos ficar em um platô e desacelerar. Vai depender das medidas serem implementadas adequadamente", pontua a enfermeira.

Em Jaci, todos os 18 leitos de enfermaria destinados a pacientes de Rio Preto estavam ocupados nesta segunda-feira. Na UTI, a taxa de ocupação era de 50%. Na UPA Jaguaré, para onde os pacientes são transferidos pelo Samu, a enfermaria tinha 15 pacientes internados, além de seis na UTI, sendo três intubados. Na Santa Casa e no Hospital de Base, os outros dois hospitais que atendem SUS na cidade, a ocupação da UTI está superior a 80%. A lotação regional, conforme a Fundação Seade, estava em 80,8% no domingo, a mais alta até o momento.

Unidades de saúde

Por causa do aumento do número de pacientes com coronavírus, a unidade básica de saúde da família (UBSF) do Solo Sagrado passará a funcionar 24 horas por dia a partir de quarta-feira, dia 29, somente para pacientes com sintomas gripais. O atendimento de crianças de até 12 anos com sintomas de coronavírus, que antes era feito no Anexo Faceres, passará a ser realizado na UBS do Santo Antônio, de segunda a sexta-feira das 7h às 19h.

A UBS do Estoril atende pacientes com síndrome respiratória todos os dias, inclusive fins de semana, das 7h às 22h. Já na UBS Vila Mayor o horário é o mesmo, mas de segunda a sexta-feira. As unidades Anchieta, Lealdade/Amizade, Vetorazzo, Caic/Cristo Rei e Santo Antônio funcionam de segunda a sexta das 7h às 19h.

 

Além de Rio Preto, outras 19 cidades da região também registraram óbitos por coronavírus. Ao todo, são 696 mortes em 85 municípios. Em Fernandópolis, a vítima é o radialista e jornalista Márcio Costa, de 51 anos, que estava internado na Santa Casa da cidade. Ele foi sepultado em Guarani D'Oeste. A Prefeitura de Fernandópolis divulgou uma nota em homenagem ao comunicador Marcinho, como era conhecido. Ele trabalhava na Rádio Alvorada FM, e já havia passado por diversas emissoras.

"Vivia intensamente sua paixão pelo rádio. Profissional respeitado por onde passou, deixa um legado de fãs do velho e bom jornalista. Fica aqui o agradecimento de toda a equipe da Secom pelas inúmeras parcerias na divulgação e esclarecimentos de assuntos relacionados à municipalidade".

Mais cinco óbitos foram registrados em Votuporanga, chegando a 37. As vítimas eram quatro idosos, um de 63, outro 68, um de 84 anos e um de 99 anos, e uma mulher de 51 anos, todos com comorbidades, à exceção do idoso de 99 anos, que segundo a Secretaria de Saúde não tinha outras doenças de base.

Em Olímpia, um homem de 52 anos e um idoso de 70 não resistiram à doença. Os dois tinham comorbidades e estavam internados na Santa Casa da cidade. Ao todo, são nove óbitos na cidade. Em Catanduva, as vítimas mais recentes são uma idosa de 73 anos e um idoso de 86. A cidade contabiliza 43 óbitos.

A 13º morte em Mirassol foi registrada em um idoso de 72 anos e a 14ª de um idoso de 66, que faleceu no dia 17 de junho em um município do Pará, porém o óbito só foi comunicado à Prefeitura de Mirassol nesta segunda-feira, 27. Em Barretos, foram duas mortes, de um idoso de 68 e um homem de 48, ambos com doenças associadas.

Mendonça confirmou a sexta morte, de um idoso de 81 anos, com comorbidades, que estava internado no HB. Pereira Barreto também registrou o sexto óbito, de um paciente de 82 anos. Em Urânia, uma idosa de 73 anos, com comorbidades, não resistiu à doença. A cidade contabiliza sete óbitos.

Em Santa Fé do Sul, o 16º óbito é de um idoso de 77 anos que estava internado na Santa Casa de Fernandópolis. Bálsamo e Orindiúva confirmaram a terceira morte; Buritama, a quinta; Cardoso, a quarta e Tanabi, a 15º. As informações sobre os pacientes não foram reveladas.

A primeira morte em General Salgado foi registrada no domingo, 26, em um idoso de 82 anos. Guzolândia também teve a primeira confirmação de morte, de uma idosa de 68 anos. Em Novais, as informações sobre a primeira vítima não foram divulgadas.

(Colaboraram Ingrid Bicker e Millena Grigoleti)

Departamento Regional de Saúde (DRS) de Rio Preto até 26/7/2020 (inclui 102 cidades)

Ocupação de leitos na DRS

  • Enfermaria: 52,5%
  • UTI: 80,8%
  • 95 novas internações no dia 26/7

Ocupação de leitos no Estado

  • Enfermaria:
  • Enfermaria: 50,9%
  • UTI: 65,7%

Internações de pacientes de Rio Preto em 26/7

  • 306 pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), sendo 170 deles com Covid-19 confirmada
  • Enfermaria: 184
  • UTI: 122

Hospitais de Rio Preto

Hospital de Base

  • Enfermaria: 112 pacientes (40%)
  • UTI: 100 pacientes (85,4%)

Santa Casa

  • Enfermaria: 59 pacientes (98,3%)
  • UTI: 31 pacientes (81,5%)